Mitsubishi Cup completa etapa de cross-country em Indaiatuba marcada por prova noturna

O rali cross-country da Mitsubishi Cup teve uma mistura de etapas diurnas e noturnas, representando um novo desafio para os competidores. A visibilidade no interior de São Paulo ficou prejudicada por trechos com lama e poeira

A cidade de Indaiatuba, localizada no interior de São Paulo, já é tradicional no calendário do rali cross-country de velocidade Mitsubishi Cup. Mas o fim de semana trouxe um novo tipo de desafios para os competidores na Fazenda Pimenta: na sexta-feira (19), pilotos e navegadores precisaram lidar com uma prova que contou com trechos realizados à noite.
 
"Andamos por trechos que não havíamos percorrido antes, porque a cada ano a organização busca trazer lugares inexplorados. Foi uma prova bem bacana", resume Beco Andreotti, navegador campeão na categoria L200 Triton Sport RS.
 
O formato agradou as equipes, que precisaram planejar faróis e iluminação para os veículos, e estudar mais a fundo a navegação, prejudicada pela falta de luz natural. A lama em certos trechos também foi uma pedra no sapato. Já na tarde deste sábado, com sol e a temperatura subindo, o piso secou e as duplas encaram mais duas provas de 34 km, o que significou levantar muita poeira. “É totalmente diferente, principalmente para o navegador. Além da planilha, nós seguimos muito no visual… Então hoje a velocidade que a gente atingiu foi muito maior que ontem na prova noturna”, explicou Rafael Franco Arena, navegador campeão na categoria L200 Triton ER.
 
Os melhores de cada categoria subiram ao pódio para celebrar o resultado desta 5ª etapa. As atividades continuam neste domingo, dia da sexta etapa da temporada 2018.
Indaiatuba teve uma novidade: a realização de prova noturna (Foto: Ricardo Leizer/Mitsubishi)
Na ASX RS, a dupla vencedora foi Andrey Castro e Marco Tulio Lana. “Essa foi minha segunda etapa da Mitsubishi Cup, foi meu amigo Marco Tulio que me trouxe. Estou super satisfeito e surpreso com o primeiro lugar”, contou Andrey. “Foi um trecho muito técnico, com piso diferenciado, alguns trechos de alta e a maioria travados… Gostei! Estou me adaptando ao carro e à pista”, seguiu.
 
O navegador já soma 15 anos de Mitsubishi Cup. Os motivos para ser frequentador assíduo são vários. “O legal da Mit Cup é que a família vem, não é só a competição. Todo mundo se conhece e se gosta, todo mês é esperado o dia da prova. São anos de vários amigos de rali”, celebrou.
 
Já na ASX RS Master, Elcio Bardeli Junior e Idali Bosse comemoraram o primeiro lugar. “Em todas as etapas têm uma experiência nova. A gente gosta bastante do esporte, e a Mitsubishi Cup é o melhor campeonato que tem”, contou Elcio. “Cada etapa é uma etapa, e a noturna ainda traz um sabor diferente. Então mesmo conhecendo a fazenda é preciso estar muito atento”, completou o navegador Idali.
 
A dupla que subiu ao lugar mais alto do pódio na categoria L200 Triton ER foi Pietro Branchina Neto e Rafael Franco Arena – e comemoraram duplamente, já que é aniversario de Pietro. “Entramos concentrados para tentar ganhar, porque em seis anos nunca tínhamos conseguido. Estou muito feliz”, falou o piloto. “Tem que treinar mesmo, tem que correr as provas, se acertar com o navegador.”
O pódio da categoria ASX RS (Foto: Ricardo Leizer/Mitsubishi)
Os vencedores da categoria L200 Triton ER Master foram Juliano Diener e Gunnar Dums. “A etapa noturna é boa, porque aumenta o nível de concentração. O piloto se obriga a acreditar ainda mais no navegador, e a dupla se entrosa na marra”, explicou Gunnar. “Estamos vindo de uma fase muito boa, estamos entrosados. Não se pode errar, e temos até agora 100% de aproveitamento. Estamos muito felizes”, continuou Juliano.
 
Gunter Hinkelmann e Beco Andreotti venceram, mais uma vez, na categoria L200 Triton Sport RS. “Para mim é uma alegria ele ter aceito o convite de navegar para mim. O cara é um monstro”, celebrou Gunter. “A Mitsubishi Cup é o melhor ambiente para você treinar pilotagem e navegação. Você consegue chegar até o limite, explorar um pouco mais. Aqui em Indaiatuba a pista é muito técnica, travada”, completou Beco, que tem ampla experiência em rali e é tricampeão do Rally dos Sertões. “A gente está aqui porque ama o esporte, porque gosta de navegar. É sempre muito bom.” A dupla ainda sentiu uma adrenalina extra nesta etapa: “Estou de jetlag. Sai de Mumbai, na Índia, fiz escala em Dubai, e pousei em Guarulhos depois de 20 horas de viagem. Cheguei aqui faltando 10 minutos para largar e já entrei no carro de corrida”, conta o piloto Gunter. “E valeu muito a pena”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube