Vídeo: na chegada ao Mato Grosso do Sul, Spinelli cita problemas no amortecedor, mas garante: “É a melhor ASX que já guiei”

A 23ª edição do Rali dos Sertões avançou no seu quarto dia de disputas rumo ao inédito destino no Mato Grosso do Sul, que pela primeira vez recebeu uma etapa da prova na história. Guilherme Spinelli e Youssef Haddad seguem na vice-liderança geral, enquanto João Franciosi e Rafael Capoani abriram vantagem na Protótipos T1

Etapa 4

São Simão (GO) a Três Lagoas (MS)
Deslocamento inicial: 147 km
Trecho cronometrado: 240 km
Deslocamento final: 39
Total percorrido: 426 km

A história do Rali dos Sertões mostra que a prova já desbravou as fronteiras mais longínquas do Brasil. E neste novo formato mais enxuto para 2015, a competição desembarca em um novo destino, o Mato Grosso do Sul. A quarta etapa da 23ª edição do maior rali do Brasil, na última quarta-feira (6), foi disputada entre São Simão, ainda em Goiás, e partiu rumo à cidade de Três Lagoas, distante 325,9 km da capital, Campo Grande.

Para a Mitsubishi Petrobras, a jornada pelo Centro-Oeste brasileiro foi marcada por muitas dificuldades, mas também pela permanência das duas duplas na briga pelo título do Sertões.

Spinelli e Haddad encararam um trecho de muitos saltos rumo ao Mato Grosso do Sul (Foto: Victor Eleutério/Mitsubishi)

A bordo do ASX Racing #301, Guilherme Spinelli e Youssef Haddad tiveram de lidar com problemas nos amortecedores. Em uma prova tão exigente como é o Sertões, ainda mais em trechos repletos de saltos, o problema acaba até proporcionando algumas dificuldades físicas, como dores nas costas dos competidores, o que vem impedindo a dupla de ser ainda mais rápida. ‘Guiga’ Spinelli destacou que, no entanto, esta é a “melhor ASX que já guiou”.

A dupla Spinelli/Haddad segue na briga pelo título e manteve a vice-liderança geral da prova. Já o duo formado pelos não menos experientes João Franciosi e Rafael Capoani vai cumprindo com o objetivo traçado antes da largada, que é vencer o Rali dos Sertões na classe Protótipos T1, a principal dentre os carros fabricados no Brasil.

Com a L200 Triton SR, a dupla manteve a liderança e parte em busca do tricampeonato da categoria no Rali dos Sertões. O piloto se mostrou muito satisfeito com a performance do carro até o momento. “Acreditamos muito nesse carro, é um carro que já nos deu dois títulos no Sertões. Então confiamos muito nele, seguimos em primeiro na categoria”, explicou.

Nesta quinta-feira, os pilotos e navegadores vão encarar a etapa mais dura do Sertões até agora, a primeira ‘perna’ da Etapa Maratona. A prova deixa o Mato Grosso do Sul e parte rumo à pacata cidade de Euclides da Cunha Paulista, no interior de São Paulo, para um percurso total de 587,26 km, sendo 291,16 de trecho cronometrado. Durante esse percurso, os competidores não poderão contar com nenhuma assistência por parte das equipes de apoio.

É tradição no Sertões dizer que a Etapa Maratona costuma “separar os homens dos meninos”. Definitivamente, é a fase decisiva da prova.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube