Aleix Espargaró defende Catalunha e critica postura “lamentável” do governo da Espanha: “Estão ignorando a democracia”

Ao contrário de muitos de seus pares, Aleix Espargaró preferiu não se calar e criticou a repressão do governo da Espanha ao referendo convocado em prol da independência da Catalunha. Piloto da Aprilia defendeu que as pessoas possam manifestar suas opiniões e avaliou que o governo de Mariano Rajoy está ignorando a democracia

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Sempre disposto a manifestar suas opiniões, Aleix Espargaró não fugiu da raia nem mesmo ao tratar de um assunto polêmico. O piloto da Aprilia criticou a repressão do governo da Espanha e defendeu que o povo da Catalunha tem direito de manifestar sua opinião.
 
O governo de Mariano Rajoy considera ilegal o plebiscito convocado para 1 de outubro sobre a independência da Catalunha. Na quarta-feira, a Guarda Civil fez buscas em vários prédios do governo catalão e prendeu 14 funcionários que supostamente estão envolvidos na preparação do referendo. Além disso, policiais confiscaram cédulas de votação.
Aleix Espargaró defendeu liberdade de voto na Catalunha (Foto: Aprilia)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Ao contrário da maioria dos pilotos, que preferiu não entrar na polêmica, Aleix defendeu o referendo em entrevista à Catalunya Radio.
 
“É lamentável o que o governo espanhol e a Guarda Civil estão fazendo. Estão ignorando a democracia”, disparou Aleix. “Realmente é uma pena, porque parece que retrocedemos e vamos para uma guerra civil. Eu não esperava isso. É mais uma prova de que a Espanha tem muito medo de ficar sem a Catalunha”, comentou o catalão.
 
“Creio que, pelo menos, o que está bem claro é que as pessoas têm de ter o direito de decidir. Tem de ter democracia. Não se pode perder a paz e parece que estamos perdendo, e isso porque falta uma semana para o 1 de outubro”, avaliou. 
 
Caçula entre os irmãos Espargaró, Pol também defendeu a liberdade de escolha da Catalunha.
 
“Teria de ter um pouco de liberdade, que cada um escolha o que pensa ou o que quer”, opinou. “Evidentemente, sou partidário do voto. Estamos em uma civilização muito evoluída que precisa se entender conversando e na democracia, e sou parte dela. Evidentemente, não me parece bem o que está acontecendo em Barcelona. Nem a mim e nem a ninguém, porque privam muitos direitos. Mas é assim e os catalães, aconteça o que acontecer, seguirão em frente”, concluiu.
 
’SOLDADINHO’ DA PENSKE?

CASTRONEVES TEM FALTA DE TÍTULO COMO MANCHA NA CARREIRA  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube