Aprilia celebra entrada antecipada na MotoGP e diz que presença regular no top-10 é “meta razoável” para temporada 2016

Chefe da Aprilia, Romano Albesiano avaliou que a fábrica italiana tomou a decisão certa ao antecipar seu retorno à MotoGP. Dirigente defendeu que o top-10 é uma meta razoável para a temporada 2016

A Aprilia antecipou seu retorno ao Mundial de Motovelocidade e usou 2015 como um ano de testes na MotoGP. Agora, a fábrica italiana prepara uma nova abordagem para o próximo ano, quando pretende ser presença constante no top-10 da classe rainha e aumentar sua visibilidade na TV.
 
A Aprilia fechou a temporada 2015 com o quinto posto no Mundial de Construtores, à frente apenas da Forward e da ART. A escuderia de Noale somou 36 pontos, 371 a menos que a campeã Yamaha. Na disputa entre as Equipes, a Aprilia aparece na 11ª colocação, com 39 pontos, 616 a menos que a equipe de Jorge Lorenzo e Valentino Rossi.
Romano Albesiano já comandava a Aprilia no Mundial de Superbike (Foto: Aprilia)
Em termos de resultados em corrida, a fábrica italiana conseguiu chegar no décimo posto três vezes: duas com Álvaro Bautista — Catalunha e Inglaterra — e uma com Stefan Bradl — Malásia. 
 
 Chefe da Aprilia, Romano Albesiano reconheceu que a temporada foi muito mais difícil do que o esperado, mas acredita que as lições aprendidas permitirão a evolução do time no próximo ano.
 
“O início do ano foi meio que um choque”, disse Albesiano. “Nós sabíamos que seria difícil, mas foi ainda mais do que nós esperávamos”, reconheceu.
 
“Ainda assim, nós aprendemos com as dificuldades, o nosso progresso foi bom e isso deve ser muito útil para a próxima temporada”, considerou.
 
Questionado se tem alguma meta especial para 2016, Romano respondeu: “Acho que podemos subir para o décimo posto, essa é a nossa meta razoável”.
 
“Também espero que nós tenhamos mais bons momentos para sermos notados pelas câmeras de vez em quando, levando em conta que eles ainda estarão filmando, principalmente, as primeiras três ou quatro motos”, falou.
 
Na visão de Albesiano, a missão da Aprilia foi dificultada pela força do grid da MotoGP, que em 2015 contou também com o retorno da Suzuki.
Álvaro Bautista esteve no top-10 duas vezes em 2015 (Foto: Aprilia)
“Acho que chegamos no campeonato mais difícil que tivemos nos últimos anos”, opinou. “Se olharmos até mesmo para aquele de 2013, acho que tinham menos motos competitivas na pista”, afirmou.
 
“Em 2015, eram todas boas motos e acho que no próximo ano o nível será ainda mais alto. Mas estou confiante de que faremos um bom progresso”, ressaltou.
 
Apesar do ano difícil, Romano avalia que a Aprilia tomou a decisão certa ao antecipar o retorno para a MotoGP.
 
“É certo que se tivéssemos planejado a nova moto sem esse tipo de experiência, teria sido diferente. Qual será o nível da moto do próximo ano? Veremos”, comentou. “Mas se tivéssemos tido só uma temporada de testes, não acho que teríamos essa quantidade de dados para trabalhar”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube