Arenas bate Dalla Porta nos metros finais e vence na Tailândia na Moto3. Canet cai

Albert Arenas bateu Lorenzo Dalla Porta nos metros finais e venceu o GP da Tailândia deste domingo (6). Alonso López ficou com o terceiro posto. Vice-líder do Mundial, Arón Canet foi derrubado em um incidente iniciado por Darryn Binder

Albert Arenas coroou um bom fim de semana com uma vitória em Buriram neste domingo (6). O piloto da Ángel Nieto bateu Lorenzo Dalla Porta nos metros finais para vencer o GP da Tailândia com 0s231 de vantagem. Alonso López completa o pódio. 
 
Dono da pole-position, Celestino Vietti não fez uma boa largada e perdeu a ponta para Marcos Ramírez ainda nos primeiros metros de Buriram. O piloto da Leopard não teve respiro no início da disputa, já que era seguido de perto por Tony Arbolino e Alonso López, que também brigavam entre si pelo segundo posto.
 
Aos poucos, porém, Tatsuki Suzuki foi escalando até, na quinta volta, aproveitar a saída da curva 3 para tomar a ponta de Ramírez. O piloto da Leopard até reagiu, mas não só voltou a perder a ponta, como também despencou para o quinto posto.
Albert Arenas (Foto: Reprodução)
Na sexta volta, Lorenzo Dalla Porta assumiu brevemente a liderança, mas levou o troco de Suzuki rapidamente, com Arbolino e Arenas também passando. O líder do Mundial, porém, respondeu rápido e voltou à ponta.
 
Dois giros depois, Arón Canet, vice-líder do Mundial, caiu na curva 12 em um incidente iniciado por Darryn Binder que também envolveu Suzuki e John McPhee, facilitando o trabalho de Dalla Porta para ganhar um respiro na tabela. O sul-africano, aliás, foi punido pelo Painel de Comissários da FIM (Federação Internacional de Motociclismo) com um ride-through por direção irresponsável, mas, antes, cumpriu a pena errada: a da volta volta.
 
Ciente do revés de Canet, Dalla Porta ia defendendo a ponta, mas sempre pressionado por Arenas, Arbolino e Ramírez. Na décima volta, Albert assumiu o comando da disputa, mas Lorenzo tratou de recuperar o comando quase que imediatamente.
 
Com três voltas para o fim, Arenas tomou a ponta, à frente de Ramírez, mas Dalla Porta rapidamente conseguiu recuperar o comando da disputa em Buriram. No giro final, foi Alonso López quem tirou Lorenzo da ponta, mas o líder do Mundial respondeu apenas para ser superado por Arenas pouco depois.
 
O #75, então, recebeu a bandeirada com 0s231 de frente para Dalla Porta, com López aparecendo para completar o pódio. Mais 0s137 atrás, Ramírez ficou com o quarto posto, seguido por Dennis Foggia, Vietti, Kaito Toba, Jakub Kornfeil, Stefano Nepa e Raúl Fernández.

Após a bandeirada, uma série de punições alterou algumas posições dentro do top-10, que acabou formado por Arenas, Dalla Porta, López, Ramírez, Foggia, Vietti, Toba, Nepa, Fernández e Arbolino.

Com o resultado, Dalla Porta chegou aos 204 pontos e abriu 22 de margem para Canet. Arbolino tem o terceiro posto, com Ramírez e McPhee fechando o top-5.
 

Paddockast #36
O MELHOR PILOTO SEM VITÓRIA NA F1

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

A Moto3 abriu o domingo do GP da Tailândia. Bastante diferente do sábado, o dia começou com céu aberto e sol brilhando, com o termômetro mostrando 30ºC, enquanto o asfalto estava a 47ºC. O vento soprava a 8 km/h.
 
Após passar pelo Q1, Celestino Vietti conseguiu a primeira pole-position da carreira em sua 19ª corrida no Mundial. O piloto tornou-se o décimo nome a conseguir a posição de honra do grid, batendo o recorde de 2016 de mais competidores largando da ponta em uma só temporada.
 
O titular da VR46 ainda atingiu um outro importante dado, tornando-se o primeiro estreando a largar do primeiro posto desde Joan Mir, pole do GP da Áustria de 2016. Na época, o espanhol conseguiu a vitória.
 
Quem larga em segundo é Marco Ramírez, que igualou sua melhor posição de saída, alcançada no GP da Alemanha do ano passado. Ainda, é a segunda primeira fila do piloto no ano, também conquistada em terras germânicas.
 
Albert Arenas, terceiro colocado, é quem fecha a primeira linha do grid de saída. Assim como na Áustria no ano passado, o competidor conseguiu sua melhor posição de largada.
 
Enquanto isso, o líder da classificação Lorenzo Dalla Porta larga apenas da décima colocação. Isso significa que é a sexta vez no campeonato que o italiano começa uma corrida fora das três primeiras filas.
 
Luzes se apagam e saída autorizada em Chang. Enquanto o #10 da VR46 não teve boa largada, caindo para quarto, Ramírez conseguiu para a primeira colocação, com Arenas e López completando o top-3. Arbolino também conseguiu superar Celestino.

O pelotão da ponta estava bastante próximo, com os pilotos se aproveitando do vácuo dos adversários e fazendo ultrapassagens. Com isso, Ramírez, Arenas, López, Arbolino, Vietti, Migno, Suzuki, Dalla Porta e Garcia, os nove primeiros, estavam separados por 0s956.

Lorenzo estava conseguindo escalar de forma bastante eficiente o pelotão, já aparecendo no quinto posto na segunda volta. Enquanto isso, Tony também saltou na ponta, sendo o segundo e seguindo o #42.

 
Com 19 giros para a bandeira quadriculada, a ordem era Ramírez, López, Arbolino, Suzuki, Arenas, Dalla Porta, McPhee, Jose Garcia, Canet e Migno completando os dez primeiros colocados.
 
Mas as posições da ponta seguiam mudando. De maneira espetacular, Suzuki conseguiu se colocar na primeira colocação, mas logo foi superado por Ramírez, depois por Arbolino, sendo o terceiro.

Ao menos nove competidores estavam na batalha do pelotão da ponta, protagonizando uma constante troca de colocações. Dalla Porta já era o terceiro colocado, atrás apenas de Tatsuki e Tony. Ramírez e Arenas fecham o top-5.
 

As coisas seguiam totalmente abertas no circuito tailandês. Dalla Porta era o novo líder, seguido por Arbolino, Arenas, Suzuki, McPhee, Binder, Canet, Ramírez, Migno e López completando os dez primeiros.
 
Então, um acidente triplo foi visto com 14 voltas para a bandeira quadriculada. Os pilotos envolvidos eram Canet, Suzuki e McPhee, que acabaram indo ao chão e mexendo com o campeonato. Enquanto isso, Binder também estava no rolo, causando as quedas dos adversários. O incidente estava sob investigação.

A ordem na ponta do pelotão seguia com o #48 na primeira colocação, enquanto Arbolino, Arenas, Ramírez e Binder ocupavam as cinco primeiras posições.
 

Os três primeiros pilotos começavam a abrir uma ligeira vantagem para o restante dos competidores. As posições seguiam mudando, mas Lorenzo conseguindo a todo momento voltar para a ponta.
 
Mas com dez voltas para o final, Arenas conseguiu dar o bote em cima do italiano da Leopard para assumir a primeira colocação. Enquanto isso, Arbolino teve problemas e acabou caindo para 20º.
 
A decisão sobre o incidente de mais cedo então acabou saindo. Por ter pilotado de forma irresponsável, Binder foi sancionado com um ride through, caindo para o final do pelotão. Entretanto, antes havia cumprido a punição de volta longa – de forma equivocada.

Na reta final da prova, um segundo acidente foi visto na pista. Sasaki acabou caindo quando figurava no top-10, e precisou ser tirado de maca da área de escape.
 

A ordem no traçado era Dalla Porta, Ramírez, Arenas, López, Migno, Vietti, Foggia, Toba, Ogura e Jose Garcia completando os dez primeiros colocados na parte final.
 
Restando apenas três voltas para a bandeira quadriculada, Dalla Porta se segurava na primeira colocação, enquanto Arenas vinha em segundo. Ramírez aparecia em terceiro, com López e Foggia fechando os cinco primeiros.
Albert tentava de todas as maneiras assumir a ponta do pelotão. O #75 chegou a superar o #45, mas acabou superado, e depois acabou sendo jogado para terceiro ao ver Ramírez passar para segundo.
 
No último giro, a briga estava entre Dalla Porta, López e Arenas. O trio havia aberto distância para os demais, com o #21 tomando a ponta. Mas sob pressão, acabou errando e caindo para o terceiro posto.
 
Até que, ao entrarem no setor final, Arenas tomou a primeira colocação das mãos de Lorenzo. O italiano chegou a dar o troco em cima do #75, mas se contentou com a segunda colocação. López, Ramírez e Foggia fecharam o top-5.

Moto3 2019, GP da Tailândia, Buriram, Final:

1 A ARENAS Ángel Nieto KTM 38:09.383 22 voltas
2 L DALLA PORTA Leopard Honda +0.231  
3 A LÓPEZ Estrella Galicia 0,0 Honda +0.322  
4 M RAMÍREZ Leopard Honda +0.459  
5 D FOGGIA VR46 KTM +0.666  
6 C VIETTI VR46 KTM +1.166  
7 K TOBA Asia Honda +1.228  
8 S NEPA CIP KTM +6.971  
9 R FERNANDEZ Ángel Nieto KTM +9.095  
10 T ARBOLINO Snipers Honda +9.145  
11 F SALAC Prüstel KTM +9.629  
12 J KORNFEIL Prüstel KTM +9.559 P+1
13 R ROSSI Gresini Honda +11.174  
14 S GARCIA Estrella Galicia 0,0 Honda +14.024  
15 M YURCHENKO RBA KTM +21.043 P+3s
16 D PIZZOLI Worldwide KTM +23.306  
17 K ZANONI SIC58 Honda +23.866  
18 K MASAKI RBA KTM +55.804  
19 D ÖNCÜ Red Bull KTM Ajo +1:05.873 P+43s
20 D BINDER CIP KTM +3:25.084  
  A MIGNO Worldwide KTM +14.197  
  A CANET MAX KTM +16.586  
  A OGURA Asia Honda +20.338  
  T BOOTH-AMOS CIP KTM +20.870  
  J GARCÍA Snipers Honda +34.135  
  A SASAKI SIC HONDA +43.083  
  T SUZUKI SIC58 Honda +1:06.771  
  J MCPHEE SIC HONDA NC  
         
VMR A OGURA Asia Honda 1:43.222 158.8 km/h
REC D FOGGIA VR46 KTM 1:42.963 159.2 km/h
MV M BEZZECCHI Prüstel KTM 1:42.235 160.3 km/h
         
  Condições do tempo PISTA SECA   ar: 32ºC | pista: 48ºC
 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube