Asfalto de 12 anos preocupa em primeiro dia liderado pela Yamaha em Brno

Apesar de ter anotado a melhor volta, Fabio Quartararo ficou atrás de Franco Morbidelli em termos de ritmo de corrida nesta sexta-feira (7). Os pilotos estão preocupados com a performance dos pneus em Brno

LEIA TAMBÉM
Máscaras, marmitas, distância e confinamento: a nova rotina da pandemia na MotoGP

Le jour de gloire est arrivé!: Quartararo reescreve história da França na MotoGP

A Yamaha deu mesmo um passo à frente com a YZR-M1 na temporada 2020 da MotoGP. Depois de duas vitórias com Fabio Quartararo nos GPs da Espanha e da Andaluzia, a marca dos três diapasões voltou a reinar, mas desta vez em Brno, palco do GP da Tchéquia deste fim de semana. E, apesar de o jovem francês ter fechado a sexta-feira (7) com o melhor tempo, foi Franco Morbidelli quem mostrou o melhor ritmo.

Na segunda sessão do dia, Quartararo aproveitou a última das 33 voltas que completou nesta sexta para cravar 1min56s502 e assegurar o melhor tempo com só 0s007 de margem para Morbidelli. Com as outras Yamaha, Maverick Viñales ficou em quinto, com Valentino Rossi em 12º.

Mas, muito embora tenha sido o francês na ponta, Morbidelli foi quem pareceu melhor no dia inicial no circuito Masaryk, já que foi quem mais voltas completou abaixo da marca de 1min58s: 13. Fabio, por sua vez, fez apenas cinco.

Fabio Quartararo reclamou do comportamento dos pneus (Foto: SRT)

“Sinceramente, tive uma sensação muito ruim com os pneus hoje. Me sinto bem com a moto, mas, francamente, não entendo, a consistência do pneu é realmente ruim. Nós demos um grande passo em Jerez com essa nova característica do pneu, que não estava desgastando tanto, mas aqui ele perde dois décimos a cada volta, então precisamos entender o que está acontecendo, pois é muito estranho”, disse Quartararo. “Nas primeiras cinco voltas, nós temos uma boa sensação, mas depois falta alguma coisa. A consistência do pneu é realmente ruim, então amanhã a nossa principal meta será trabalhar nisso. Não foi um dia fácil, mas, no fim, é bom saber onde está o problema. Veremos onde podemos melhorar”, seguiu.

“A frente está ok. A questão é a traseira, onde falta muita coisa. Na dianteira nós temos alguns pequenos problemas, mas isso é normal. Sempre que você chega numa pista, você tem pequenos problemas, mas a traseira, até mesmo no ano passado, não me lembro de ter esse tipo de sensação em pista nenhuma”, comparou. “Precisamos resolver isso, encontrar a solução e tentar contralar. Nós sabemos onde precisamos trabalhar e amanhã vamos tentar encontrar o problema”, garantiu.

Mesmo batido pelo companheiro de equipe, Morbidelli saiu feliz do primeiro dia de trabalhos em Brno.

“Eu, certamente, me senti confortável com a minha moto e tudo mais. Não sei se era quem mais estava confortável, mas, com certeza, diria que fizemos um bom trabalho hoje”, avaliou. “Ainda temos margem de melhora em algumas áreas, especialmente na gestão dos pneus, pois sinto que está um pouco diferente em comparação com Jerez, mas até aqui está tudo bem”, ponderou.

Questionado se sentiu a mesma dificuldade relatada por Quartararo, Franco respondeu: “Também estou com um pouco de dificuldade com a consistência do pneu. A aderência é um pouco diferente em comparação com Jerez, os pneus são um pouco mais difíceis de controlar. Vamos tentar trabalhar essa noite e resolver isso para a tarde de domingo”.

Franco Morbidelli mostrou bom ritmo nesta sexta (Foto: SRT)

“Estou feliz por estar tão perto da ponta. Estou muito satisfeito com esses treinos livres, começamos com o pé direito. Nós já fomos rápidos em Jerez e aqui também. A situação ainda não é muito clara, porque aqui em Brno os pneus não são tão bons como em Jerez. Ainda temos de entender quais pneus usar na classificação e na corrida. De qualquer forma, será um fim de semana interessante. Em termos de volta lançada, estamos indo bem, mas do ponto de vista do ritmo, primeiro temos de entender o que e como vamos usar. Neste fim de semana, os pneus funcionam de uma maneira estranha. Espero que seja assim para todo mundo e não só para nós”, declarou.

Vice-líder do Mundial, Maverick Viñales fechou a sexta-feira com o quinto tempo, mas ainda espera melhora da Yamaha.

“A sensação geral é boa, estou bem satisfeito. Cometi um erro esta manhã, pois escapei um pouco, atingi uma ondulação e caí. Bati o ombro direito, mas parece que está tudo bem, então estou bem feliz. As condições aqui são totalmente diferentes do que tivemos em Jerez, é uma situação diferente, então temos de tentar entender onde e como cada especificação de pneu funciona para nossa moto e ajustar o acerto de acordo”, indicou. “Estou otimista para a corrida. Acho que podemos fazer um bom trabalho. A pista está muito escorregadia e ondulada hoje, mas, embora não tenhamos conseguido uma volta perfeita hoje, a sensação está lá e me sinto confiante. Acho que entendemos bem onde podemos melhorar, então vamos trabalhar muito duro esta noite para dar mais um passo para amanhã”, avisou.

Depois de um calorão em Jerez, os pilotos voltam a enfrentar o sol do verão europeu, mas, em se tratando de um país de clima temperado-continental, a característica de um verão um pouco mais moderado se fez notar. Nesta sexta, a temperatura chegou aos 30°C, com o asfalto alcançando os 44°C.

Mas as condições de pista preocupam em Brno. Com o último recape completo datado de 2008, os pilotos encontraram uma pista com muitas ondulações e baixa aderência. Um fator extra de dificuldade para esta terceira etapa do campeonato.

Maverick Viñales sofreu uma queda nesta manhã (Foto: Yamaha)

Conhecido pela sinceridade, Aleix Espargaró não mediu palavras na hora de falar sobre as condições da pista. “Uma das piores em que guiei na minha vida. Inaceitável correr aqui. Esse asfalto está um desastre. Longe do nível da MotoGP”, avaliou.

O piloto da Aprilia contou que as condições são tão ruins na curva 13 que ele tem de inclinar cerca de 10° menos do que o normal por conta da falta de aderência do excesso de ondulações. “É como se estivesse pilotando no molhado”, comparou.

“Infelizmente, as condições do asfalto são criticas. Eu gosto de correr aqui em Brno e acho que é uma das melhores pistas do calendário do campeonato, mas, definitivamente, poderiam recapear”, sugeriu o catalão, que dia com o sétimo melhor tempo.

Companheiro de Aprilia, Bradley Smith também se queixou das condições do asfalto e falou em debater o assunto na Comissão de Segurança.

“As condições de aderência são criticas, o que não é surpreendente, já que o asfalto tem 12 anos. Essa situação precisa ser discutida na Comissão de Segurança”, frisou. “Em relação aos pneus, a situação é complexa. Nenhuma das opções é perfeita, mas teremos de encontrar o melhor equilíbrio em termos de aderência e durabilidade”, ponderou o 20º colocado.

16º, Álex Márquez teve um problema mecânico com a Honda no segundo treino, mas 1s186 de atraso para o líder. O irmão de Marc também apontou para as condições difíceis desta sexta.

“A aderência não estava perfeita e tiveram muitas quedas, especialmente nas classes menores, então tomara que isso melhore para amanhã”, torceu o #73.

Um dos pilotos mais experientes do grid, Andrea Dovizioso fechou o dia em 15º, 1s130 atrás do ponteiro, e também considerou um primeiro dia peculiar em território tcheco.

“Foi um dia um pouco estranho, pois tivemos de lidar com uma condição de pista particular, onde a performance do pneu tende a cair muito. Acho que todos nós trabalhamos de uma maneira diferente da habitual para tentarmos ser o mais consistentes possíveis para a corrida”, opinou.

Dono do sexto melhor tempo, Joan Mir volta a Brno depois de um forte acidente em um teste no ano passado. Ainda assim, o espanhol não se deixou abalar pelos fantasmas do acidente, mas também relatou dificuldades com as condições do asfalto.

“Estamos trabalhando no acerto, porque a pista está muito escorregadia e também ondulada, então precisamos trabalhar com a eletrônica para tornar as coisas mais fáceis”, explicou. “E também temos de entender como conservar os pneus. Então vamos continuar trabalhando. Espero que possa manter esse ritmo forte amanhã. Uma boa classificação será crucial”, alegou.

0s788 atrás do líder, Valentino Rossi ficou com o 12º tempo e ressaltou que foi uma sexta-feira em condições difíceis em Brno.

“É uma situação difícil e essas condições são difíceis. O layout dessa pista é fantástico, mas o asfalto aqui tem algumas ondulações e o nível de aderência é baixo. Nós sofremos especialmente com o desgaste do pneu traseiro. Depois de algumas voltas, nós perdemos muita performance. Acho que resolver isso será chave para um bom resultado no domingo”, frisou. “O meu ritmo não é tão ruim, mas, infelizmente, durante a volta com o pneu macio, não fui rápido o bastante para ficar dentro do top-10, então esse é um problema. Nós precisamos usar o TL3 da manhã de amanhã para conseguir um lugar no top-10 e ir para o Q2. Na MotoGP, tudo muda de uma sessão para outra. É só sexta-feira. Como sempre, tem muitos pilotos e motos diferentes que são muito fortes, mas a minha velocidade não é tão ruim. Temos de trabalhar em algumas áreas para melhorar mais, mas estamos bem”, avaliou.

Aleix Espargaró criticou as condições da pista (Foto: Aprilia)

Lesionado, Álex Rins pegou leve neste primeiro dia de treinos para tentar poupar o ombro direito e acabou com o 13º tempo. Ao contrário dos demais, porém, o piloto da Suzuki não se queixou do grip.

“Esse primeiro dia correu bem. Me senti bem nas duas sessões, mas no TL2 eu comecei a sentir um pouco mais de dor no meu ombro. Eu não quero estressá-lo muito, então optei por saídas mais curtas com boas voltas ao invés de fazer long-runs ou uma simulação de corrida, assim posso controlar minha força e dor. Apesar do ombro, estou me sentindo bem com a moto e com a pista. Não achei a aderência tão ruim, então vamos ver o que posso fazer amanhã. Quero ir direto para o Q2 para que possa fazer uma sessão a menos e tenha uma boa colocação no grid”, contou.

GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do GP da Tchéquia, quarta etapa do Mundial de Motovelocidade 2020.

Paddockast #73 | A maratona da Fórmula E em Berlim
Ouça também: PODCASTS APPLE | ANDROID | PLAYERFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO? Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.
Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.
Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube