Cogitando parar, Crutchlow se sente “motor a diesel”: “Queimo energia mais lentamente”

Cal Crutchlow afirmou que sente o impacto da idade em sua performance. O britânico avaliou que é como um motor a diesel, já que precisa aquecer primeiro por queimar energia de maneira mais lenta

2020 pode marcar o adeus de Cal Crutchlow à MotoGP. No último ano de seu contrato com a LCR, o #35 ainda não definiu se vai ou não seguir no Mundial de Motovelocidade, mas, aos 34 anos, admite que já sente o peso da idade.
 
Em entrevista à publicação germânica ‘Speedweek’, Crutchlow disse que se sente como um motor a diesel, já que não tem mais a mesma explosão de outrora.
Cal Crutchlow (Foto: Divulgação/MotoGP)
Paddockast #46
OS 10 MELHORES PILOTOS DA DÉCADA

Ouça:

Spotify | iTunes | Android | playerFM

“Estou correndo de moto há quase 20 anos. Em algum ponto, tudo é mais lento. Vejo isso nas minhas voltas de classificação. Agora, eu sou o oposto do que costumava ser”, disse Crutchlow. “Eu costumava ser extremamente rápido na classificação, mas não no mesmo nível na corrida. Agora, é o caso contrário. Agora me sinto como um motor a diesel: queimo energia mais lentamente, sempre tenho de aquecer primeiro”, seguiu.
 
Apesar de sentir os efeitos do tempo, Cal segue de olho em 2020 e disposto a fazer desta a sua melhor temporada na MotoGP.
 
“Não tenho nenhuma intenção de simplesmente andar lento naquela que possivelmente é a minha última temporada. Estou convencido de que posso continuar por mais três ou quatro anos se quiser. Mas não quero andar atrás por dois anos só para receber”, frisou. “Quero correr na frente. Me diverti e curti muito na MotoGP. Talvez não tenha atingido todas as minhas metas, mas sempre fiz o meu melhor. Posso me afastar totalmente feliz, porque posso olhar para trás e ver uma carreira decente. Eu curti. Essa, de fato, é a razão para fazermos esse trabalho”, concluiu.
 
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar