Com títulos de Viñales e Espargaró, Moto3 e Moto2 reafirmam valor e garantem espetáculo no Mundial

A temporada 2013 mais uma vez um show da Moto3 e da Moto2, que seguem confirmando seu valor como categorias de base no Mundial

As imagens da temporada 2013 do Mundial de Motovelocidade

Se a MotoGP viu o show de um novato, as categorias menores do Mundial de Motovelocidade tiveram artistas por todos os lados. Maverick Viñales e Pol Espargaró conquistaram os títulos de Moto3 e Moto2, respectivamente, mas a trajetória de ambos até o triunfo contou com altos e baixos.
 
No caso do piloto da LaGlisse, sua grande aposta foi a regularidade. Ao longo do ano, Viñales foi presença constante no pódio, embora tenha conquistado menos triunfos que seus rivais. 
Apostando na regularidade, Viñales ficou com o título da Moto3 (Foto: LaGlisse)
Fora do pódio em apenas duas oportunidades, Maverick também contou com a sorte para chegar à última etapa da temporada em condições de brigar pelo título. Líder do Mundial, Luis Salom sofreu um acidente nos metros iniciais do GP do Japão, após ser tocado por Brad Binder.
 
Tentando se recuperar, o titular da Red Bull KTM Ajo sofreu um novo acidente, desta vez abandonado a disputa. A liderança do Mundial, então, voou para as mãos de Álex Rins, que teve um desempenho impressionante na segunda metade da temporada. 
 
A sorte do piloto da Estrella Galicia 0,0, entretanto, mudou na sequência, já que o jovem espanhol também caiu. Rins conseguiu voltar para a pista e completar a prova, mas ficou fora da zona de pontuação.
 
Alheio aos problemas do companheiro de equipe, Álex Márquez seguia brigando com Viñales por sua primeira vitória e foi exatamente o triunfo do irmão de Marc que manteve Salom na liderança.
 
Separados por apenas cinco pontos, Salom, Viñales e Rins chegaram à etapa final, em Valência, sabendo que quem vencesse a corrida ficaria com o título. Luis foi o primeiro a deixar a disputa após um tombo.
 
Rins e Viñales, por sua vez, brigaram até os metros finais, mas a experiência do titular da LaGlisse pesou em seu favor. Mais tranquilo, o espanhol bateu o rival na última curva do circuito Ricardo Tormo e ainda viu Álex se desconcentrar e ser batido por Jonas Folger nos metros finais da pista valenciana. 
 
Com o resultado, Viñales se despede da Moto3 como campeão e se junta à Pons para a temporada 2014 da Moto2, tendo Salom como companheiro de equipe. Rins, por sua vez, segue na categoria de entrada para tentar cumprir a meta de subir como campeão.
 
Briga de dois homens
 
Enquanto a Moto3 viu um temporada com três protagonistas, a disputa na Moto2 ficou centrada em dois homens: Scott Redding e Pol Espargaró. O britânico começou o ano em boa forma, enfim, apoiado pela introdução da nova regra do peso mínimo. 
 
Mais alto que seus rivais, Scott tinha dificuldades para enfrentar os peso ligeiro da Moto2, mas ganhou certo fôlego quando a MotoGP decidiu igualar as condições. 
Espargaró aproveitou revés de Redding para conquistar título tranquilamente (Foto: Pons)
Apontado como favorito ao título, Espargaró também teve um bom início de ano, contabilizando uma vitória no Catar, na primeira etapa do ano. O piloto da Pons, no entanto, pecou pela irregularidade, abandonando a segunda prova do ano e completando a quarta etapa no 20º lugar. 
 
Com Espargaró sofrendo para se adaptar ao comportamento dos pneus Dunlop, Redding conseguiu abrir uma larga vantagem, mas viu sua sorte virar na Austrália. No treino classificatório, o inglês perdeu o controle de sua Kalex e antes mesmo de ser jogado ao chão, fraturou o punho esquerdo, ficando fora da prova em Phillip Island após uma cirurgia.
 
Com Redding fora, Tito Rabat, que também exibiu uma enorme evolução em 2013, apareceu com chances de brigar pelo título, mas já com um grande atraso para Espargaró, que conseguiu voltar ao trilho das vitórias.
 
Correndo contra o tempo, Scott conseguiu se recuperar o bastante para alinhar no grid de Motegi, mas recebeu mais um duro golpe. O britânico deixou a pista de maca ainda nos primeiros metros, após cair tentando evitar atropelar Rabat, que tinha se acidentado um pouco antes.
 
Com o mega acidente no início da disputa, Espargaró ficou com o caminho livre para vencer e assegurar o título com uma prova de antecedência. Agora campeão, Pol já tem o passaporte carimbado para a MotoGP. Em 2014, o espanhol será companheiro de Bradley Smith na Tech3. 
 
Redding, por sua vez, segue o mesmo caminho. O britânico fechou com a Gresini e vai guiar a nova RCV1000R, a versão de produção da RC213V. Rabat, por outro lado, segue na Moto2, mas deixou a Pons para assumir a vaga de Scott na Marc VDS. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube