Crutchlow acerta estratégia de pneus, faz exibição de gala e vence em Brno. Igualmente certeiro, Rossi é 2º

Cal Crutchlow foi absolutamente impecável neste domingo (21) e conquistou sua primeira vitória na MotoGP, encerrando 35 anos de jejum de ingleses no topo do pódio da MotoGP. Igualmente impecável, Valentino Rossi ficou com o segundo posto, à frente de Marc Márquez

A paternidade fez muitíssimo bem a Cal Crutchlow. Contrariando a máxima de que filhos deixam pilotos mais lentos, o britânico mostrou que a pequena Willow não atrapalhou em nada sua performance. Certeiro na estratégia de pneus para este domingo (21), o titular da LCR teve uma atuação de gala para chegar ao seu primeiro triunfo na MotoGP.

 
Décimo no grid, Cal teve um início difícil com a opção por um par de pneus duros de chuva, mas assim que a borracha atingiu temperatura, o britânico passou a virar mais rápido que todo mundo e engoliu um a um.
Cal Crutchlow vibra com vitória em Brno, a sua primeira na MotoGP (Foto: Getty Images)

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

A classificação do Mundial de MotoGP após o GP da República Tcheca

Apesar dos pedidos de calma vindos do chefe da LCR, Cal seguiu virando melhor que todo mundo e, uma vez na ponta, tratou de abrir vantagem para anular uma eventual tentativa de Valentino Rossi.

 
O italiano da Yamaha também escolheu a borracha cinza na traseira, mas calçou a frente da M1 com o composto macio. O #46 chegou a despencar para a 12ª colocação, mas escalou o pelotão para receber a bandeirada em segundo, mais de 7s atrás de Cal.
 
Além de marcar a primeira vitória de Cal, o triunfo em Brno é também o primeiro de um britânico desde 1981, ainda com Barry Sheene. Um jejum, portanto, de 35 anos.
Líder do Mundial, Marc Márquez teve um trabalhinho, mas acabou em terceiro, 2s289 atrás de Rossi. Mais um a cravar a estratégia de um par de pneus duros, Loris Baz recebeu a bandeirada com um impressionante quarto posto, à frente de Héctor Barberá.
 
Eugene Laverty superou a decepção do Red Bull Ring com um ótimo sexto posto, à frente de Danilo Petrucci. Com os pneus completamente destruídos, Andrea Iannone viu sua chance de vitória virar um oitavo lugar, à frente de Maverick Viñales. Tito Rabat completa o top-10.
Ao contrário de Rossi, Jorge Lorenzo teve um dia para esquecer. O espanhol fez a mesma aposta de pneus que o companheiro de Yamaha, mas, quando, enfim, começou a entrar no ritmo, decidiu ir aos boxes. O espanhol contrariou Ramón Forcada e pegou a moto reserva, preparada para pista seca. Pouco depois, o #99 voltou aos boxes e saiu de novo, uma lambança que culminou com a 17ª colocação, uma volta atrás do vencedor.
Com a esposa Lucy em casa cuidando da pequena Willow, Cal terminou a corrida e foi direto para o telefone. Mais um momento fofo no Mundial.
Valentino Rossi levou um susto no início da corrida, mas acertou a estratégia (Foto: Yamaha)
Com o resultado, Márquez chegou aos 197 pontos, 53 à frente de Rossi, que tomou de Lorenzo o segundo posto. O espanhol tem agora seis pontos a menos que o companheiro de Yamaha. Pedrosa e Viñales completam o top-5.
 
Saiba como foi o GP da República Tcheca de MotoGP:
 
A chuva parece mesmo ser a tônica da temporada 2016. Depois de dois dias de sol — ainda que uma ou outra gota tenha caído aqui e ali —, o dia em Kyvalka amanheceu completamente diferente, com chuva e muita água ao longo dos 5.4 km do circuito de Brno.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Quando os pilotos alinharam no grid de Brno, os termômetros marcavam 17°C, com o asfalto chegando aos 17°C. A velocidade dos ventos era de 11 km/h.
 
Igualando Valentino Rossi e Jorge Lorenzo, Marc Márquez conquistou na República Tcheca a 63ª pole-position da carreira, à frente do espanhol da Yamaha. Andrea Iannone completa a primeira fila, com Aleix Espargaró, Héctor Barberá e o #46 aparecendo na linha de trás.
 
Neste fim de semana, a Michelin disponibilizou pneus dianteiros slicks macios, médios e duros, e traseiros médios e macios, mas os pilotos tiveram de optar entre os macios e duros de chuva.
 
No finzinho da corrida da Moto2, a chuva cedeu, o que não era exatamente uma boa notícia para a MotoGP, já que condições mistas são sempre mais complicadas. Atentos ao clima, os mecânicos não esperaram nem a largada antes de aprontar as motos reserva no pit-lane caso o flag-to-flag entrasse em ação.
 
Com as condições de pista bastante incertas, a escolha de pneus ficou ainda mais difícil. No grid, foi um tal de pneu para lá e para cá. Sobrou até para Massimo Meregali, chefe da Yamaha, carregar pneu por aí.
 
No grid, todos optaram por compostos de chuva, mas Lorenzo e Rossi optaram pela borracha dura na traseira, assim como Rabat. Crutchlow e Hernández colocaram os dois pneus duros.
 
No apagar das luzes, Iannone saltou para a ponta, à frente de Lorenzo, Márquez, Aleix, Rossi e Vinales. Ainda nos primeiros metros, Márquez pegou a liderança, com Iannone em segundo, à frente de Lorenzo. Rossi, por sua vez, despencou para sétimo. 
 
Na metade da primeira volta, Marc já tinha 0s587 de vantagem para Iannone, que logo foi superado por Dovizioso. Aleix era o quarto, à frente de Viñales, Pol, Redding, Barberá, Lorenzo e Smith. Rossi era 12º.
Cal Crutchlow, Valentino Rossi e Marc Márquez formaram o pódio em Brno (Foto: Yamaha)
Com bom ritmo, Dovizioso logo colou em Márquez, entrando na briga pela vitória. Iannone era o terceiro.
 
O começo de prova da Yamaha foi assustador, com Lorenzo caindo para 11º, à frente de Rossi.
 
Márquez logo reagiu à aproximação de Dovizioso e apertou o passo, ampliando a vantagem no topo da tabela. Terceiro, Iannone não estava muito longe do companheiro de Ducati.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Na segunda volta, Dovizioso passou Márquez e assumiu a ponta. Pouco depois, Iannone colocou por dentro, mas Marc manteve a segunda posição. O #29 insistiu e levou a posição.
 
Mais atrás, Rossi passou Lorenzo e subiu para 11º, com o Pedrosa tomando a 12ª posição do #99 pouco depois. Piorando ainda mais o dia da Yamaha, Dani também superou o #46.
 
Com bom ritmo desde esta manhã, Scott Redding passou Márquez e assumiu a terceira colocação, logo abrindo vantagem para Márquez.
 
Tornando o que era ruim ainda pior, Stefan Bradl também passou Lorenzo, que caiu para 14º. Ao que parecem alguém errou feio com a escolha de pneus.
 
Na terceira volta, Iannone passou Dovizioso e assumiu a ponta, com Redding colando nos pilotos de fábrica da Ducati. Sem demora, o piloto da Pramac passou Dovi.
 
Enquanto isso, Márquez se afastou 2s3 da briga pelo pódio, mas também não precisava se arriscar, já que os pilotos da Yamaha viviam um dia pavoroso: Rossi era 12º, com Lorenzo em 16º.
 
Empolgado após o triunfo na Áustria, Iannone apertou o passo e tratou de abrir vantagem, se afastando 0s714 d #45, que seguia pressionado por Dovi. Atrás, Márquez tinha Aleix, Viñales e Barberá por perto.
 
Na quinta volta, Iannone cravou a melhor marca até então — 2min09s203. 12º, Rossi era cerca de 1s mais lento.
Jorge Lorenzo teve um dia para esquecer em Brno (Foto: Yamaha)
Na frente, Barberá tratou de aumentar a festa da Ducati e assumiu o quinto posto após colocar as duas Ducati para trás. O espanhol tinha pouco mais de meio segundo de atraso para Márquez. E vinha rápido.
 
12º, Rossi ia apertando o ritmo, mas passava a ser pressionado por Crutchlow, que vinha virando um pouco melhor. Não demorou muito, o titular da LCT colocou o #46 para escanteio e assumiu o 12º posto, se afastando logo de cara.
 
Cal, aliás, vinha rodando melhor que todo mundo — 2min08s760. O britânico tinha um par de pneus de chuva duros e logo alcançou Pedrosa, derrubando o espanhol para 12º.
 
Smith passou a ser o próximo alvo do pai da Willow, que subiu para décimo. Rossi deixou Dani para trás e era 12º.
 
E não parou por aí. Cal logo colocou Pol para trás e agora tinha de descontar 1s988 para tomar a oitava colocação de Petrucci.
 
Rossi também dia melhorando e chegando em Pol para brigar pelo décimo posto. E tinha de ser rápido, pois Crutchlow já estava bem longe do piloto da Tech3.
 
Valentino passou Pol, que também perdeu a posição para Smith, e passou a perseguir Cal, que já tinha 2s4 de vantagem. Mais atrás, Lorenzo era 15º.
 
O #35 chegou logo em Petrucci e começou a brigar pela oitava colocação.
 
Enquanto isso, Dovizioso teve problemas com a Desmosedici na primeira curva e despencou na tabela. Líder, Iannone tinha 0s852 de margem para Redding, que também vinha com folga para Barberá. Márquez era o quarto, seguido por Aleix.
 
Rapidinho, Cal passou Viñales e assumiu a sexta colocação. O britânico tinha, de longe, o melhor ritmo na pista, rodando na casa de 2min08s2, enquanto os demais iam entre 2min09s e 2min10s.
 
Rossi apresentava um passo semelhante e também ia recortando a diferença para Petrucci, que caiu para 0s5. Loris Baz também escalou o pelotão e já vinha em décimo, 2s5 atrás do piloto de Tavullia.
 
Fortíssimo, Crutchlow logo colocou Aleix no bolso e assumiu a quinta colocação, 0s712 atrás de Márquez, seu próximo alvo.
 
Dovizioso, por sua vez, passou pelos boxes da Ducati, pegou a moto reserva calçada com pneus intermediários e voltou para a pista.
 
Na 11ª volta, Rossi passou Petrucci e assumiu o oitavo lugar, 1s034 atrás de Viñales. Mais adiante, Crutchlow vinha colado em Márquez, ao passo que Redding pressionava Iannone pela ponta.
 
No giro seguinte, Crutchlow passou Márquez na curva 12 e assumiu o quarto posto, se afastando logo de cara. No muro da reta de Brno, o chefe do time, Lucio Cecchinello, pedia calma. Mas o britânico era um homem em uma missão.
 
Mais atrás, Lorenzo também tinha entrado no ritmo e vinha escalando, aparecendo em 1º, 2s7 atrás de Baz.
 
Um pouco à frente, Rossi passou Viñales e levou o troco, mas insistiu até pegar a sétima colocação, 1s089 atrás de Aleix, o sexto.
 
Na 13ª volta, Crutchlow alcançou Barberá e passou, mas levou o troco e teve de armar uma nova tentativa. Mais atrás, Rossi passou Aleix, que acabou caindo para 11º, atrás de Viñales, Petrucci, Lorenzo e Baz. O piloto da Suzuki, aliás, caiu mais ainda pouco depois.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Pressionado, Barberá passou Redding, que acabou sendo superado por Crutchlow pouco depois, com uma bela manobra por dentro. Scott não conseguiu segurar Héctor, que ficou com o terceiro posto.
 
Focado e impecável, Crutchlow começou a alcançar Iannone, que viu sua vantagem sumir em um estalar de dedos. Mais atrás, Rossi ia reduzindo o atraso em relação a Márquez. Restavam oito voltas.
 
Na curva 11, Crutchlow deu sua primeira olhadinha por dentro de Iannone, mas seguiu em segundo. 
 
Na 15ª volta, Lorenzo entrou nos boxes da Yamaha, ignorou a recomendação de Ramón Forcada de permanecer com a moto de pista seca e voltou para a pista com a reserva.
 
Quase 2s mais rápido que Márquez, Rossi ia encostando, o que levou o #93 a passar Redding, que parecia sofrer com a aderência na frente. 
 
Na frente, Crutchlow passou Iannone e abriu, enquanto Rossi colocou Márquez para trás e começou a buscar Barberá, que vinha 0s9 à frente.
 
Entre os cinco primeiros, apenas Crutchlow e Rossi rodavam em 2min09s, contra 2min10s dos demais.
 
Pouco depois, Lorenzo voltou aos boxes e retornou à pista.
 
Rossi passou Barberá, mas levou o troco. O italiano insistiu, ganhou o terceiro posto e aí foi atrás de Iannone, que vinha 0s4 à frente.
 
Ligeirinho, Rossi passou o amigo Iannone, mas levou o Xis. O #46 fez uma nova tentativa e ganhou a posição, agora tendo Crutchlow 4s7 à frente. Cal rodava num ritmo melhor.
 

#GALERIA(5756)

MotoGP, GP da República Tcheca, Brno, Final:

1 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA 47:44.290
2 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA +7.298
3 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA +9.587
4 76 LORIS BAZ FRA AVINTIA DUCATI +12.558
5 8 HECTOR BARBERÁ ESP AVINTIA DUCATI +13.093
6 50 EUGENE LAVERTY IRL ASPAR DUCATI +13.812
7 9 DANILO PETRUCCI ITA PRAMAC DUCATI +23.414
8 29 ANDREA IANNONE ITA  DUCATI +24.562
9 25 MAVERICK VIÑALES ESP SUZUKI +24.581
10 53 TITO RABAT ESP MARC VDS HONDA +37.131
11 68 YONNY HERNÁNDEZ COL ASPAR DUCATI +39.911
12 26 DANI PEDROSA ESP HONDA +41.097
13 44 POL ESPARGARÓ ESP TECH3 YAMAHA +43.202
14 6 STEFAN BRADL ALE APRILIA GRESINI +45.687
15 45 SCOTT REDDING ING PRAMAC DUCATI +1:02.201
16 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP APRILIA GRESINI +1:18.841
17 99 JORGE LORENZO ESP YAMAHA +1 volta
18 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA DUCATI NC
19 38 BRADLEY SMITH ING TECH3 YAMAHA NC
20 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP SUZUKI NC
PADDOCK GP #42 RECEBE LUCAS DI GRASSI

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube