Dalla Porta segura Arenas, vence no Japão e amplia vantagem na Moto3 com queda de Canet

Lorenzo Dalla Porta segurou Albert Arenas na volta final em Motegi e venceu apenas pela segunda vez na temporada 2019 da Moto3. Nos metros finais, Celestino Vietti ainda tomou o último posto do pódio de Tatsuki Suzuki. Na 14ª volta, Arón Canet caiu quando brigava dentro do top-7, permitindo que o #48 ampliasse consideravelmente sua vantagem na liderança do Mundial

Lorenzo Dalla Porta não podia ter conseguido um resultado melhor neste domingo (20). O líder do Mundial fez uma corrida sólida em Motegi, segurou Albert Arenas nos metros finais para vencer apenas pela segunda vez em 2019 e aproveitou o abandono de Arón Canet para ampliar consideravelmente sua vantagem na liderança do campeonato.
 
Quando as luzes se apagaram em Motegi, Tatsuki Suzuki saiu bem e saltou de terceiro para a liderança, onde ficou pelas primeiras nove voltas da corrida. Sem conseguir abrir uma margem decisiva, o #24 acabou presa fácil de Lorenzo Dalla Porta, que vinha escalando o pelotão sempre acompanhado por Arón Canet, o vice-líder do Mundial.
 
O #48, porém, não abriu vantagem na ponta e seguiu com Suzuki coladinho atrás, com o restante do pelotão ― que tinha cerca de dez pilotos ― acompanhando o ritmo.
Lorenzo Dalla Porta (Foto: Leopard)
Na 12ª das 20 voltas previstas para o GP do Japão, Sergio García tirou Suzuki brevemente da segunda colocação, mas o piloto da SIC58 logo voltou a conduzir a caçada ao rival da Leopard.
 
Dois giros depois, um momento importante para o campeonato: vice-líder da disputa, Canet caiu na curva 9 de Motegi e, ainda que tenha conseguido voltar para a pista, despencou para a 21ª colocação, fora da zona de pontuação. Pouco depois, o espanhol recolheu para os boxes da equipe de Max Biaggi.
 
Informado sobre o revés do principal rival ― até por Tony Arbolino ter abandonado mais cedo ―, Dalla Porta se manteve firme na ponta, mas nunca livre da pressão de Suzuki, que chegou a estar só 0s008 atrás com quatro voltas para o fim.
 
Os dois ponteiros abriram a volta final separados por só 0s140, mas com Lorenzo parecendo absolutamente no controle. A diferença caiu bem na primeira metade da volta, mas logo Albert Arenas atacou e passou Suzuki, facilitando um respiro para Dalla Porta.
 
O #75, então, colou em Dalla Porta, mas o #48 recebeu a bandeirada com 0s094 de frente para vencer pela segunda vez no ano. Com uma bela manobra entre as curvas 12 e 13, Celestino Vietti tomou o terceiro posto, deixando Suzuki apenas em quarto.

Sergio García recebeu a bandeirada na quinta colocação, à frente de John McPhee, Jaume Masià, Marcos Ramírez e Alonso López. Andrea Migno completa um top-10 separado por 12s054.
 
Paddockast #38
CORRIDAS POLÊMICAS DA HISTÓRIA DA FÓRMULA 1

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Saiba como foi o GP do Japão de Moto3:
 
Depois de dois dias nublados na ilha de Honshü, o domingo amanheceu com céu azul, ainda que algumas nuvens no céu. Na hora da largada da Moto3, os termômetros marcavam 21°C, com o asfalto chegando a 34°C. A velocidade do vento era de 0 km/h.
 
Voltando de lesão, Niccolò Antonelli conquistou sua oitava pole-position na Moto3, a segunda de um piloto da Honda em Motegi desde a introdução da Moto3, em 2012. Na melhor classificação da carreira, Alonso López vinha em segundo, com Tatsuki Suzuki completando a primeira fila.
 
Melhor KTM na grelha de partida, Makar Yurchenko tinha o quarto posto, seguido pelo novato Sergio García e pelo líder do Mundial Lorenzo Dalla Porta. Segundo colocado no campeonato, Arón Canet tinha o oitavo posto no grid. Tony Arbolino vem só em 27º.
 
Luzes se apagaram em Motegi e a largada estava autorizada. Quem saiu bem foi Suzuki, que pulou para a primeira colocação. Quem vinha na sequência era López, com Yurchenko completando o top-3.

E os primeiros metros já reservaram as primeiras quedas da prova. Enquanto Kornfeil acabou tomando um tombo e levando junto Rodrigo, Booth-Amos também caiu sozinho, mas retomando a disputa.
 

Na ponta do pelotão, a ordem era Suzuki, López, Antonelli, Yourchenko, García, Arenas, Canet, o líder da classificação Dalla Porta, McPhee e Vietti completando os dez primeiros.
O trio da ponta estava bastante próximo, com o #11, terceiro colocado, apenas 0s291 de atraso para o líder. Mas isso pouco durou, já que García acabou dando o bote em cima de López para tomar a segunda posição.
 
Restando 15 voltas para o final, Suzuki seguia puxando o pelotão, com García o seguindo de perto. Arenas, Canet, McPhee, Dalla Porta, López, Binder, Vietti e Ramírez fechando os dez primeiros colocados.
 
Então, em um golpe de má sorte, quando estava dentro do top-10, Darryn protagonizou uma queda no circuito japonês. Na curva 11, o piloto acabou parando na caixa de brita, vendo sua prova terminar de forma precoce. 

A briga começava a se intensificar nas posições fora do pódio. Aproveitando o vácuo do #75, Lorenzo conseguiu das a investida para assumir a quarta posição. O italiano estava 0s580 atrás do ponteiro.
 

O #48 não parava de escalar o pelotão. Agora, o titular da Leopard era o terceiro colocado, logo atrás de Canet e Suzuki. Arenas e García vinham para completar os cinco primeiros.
As coisas estavam ficando apertadas na briga pelas primeiras colocações. Depois de tanto insistir, Dalla Porta conseguiu se adiantar em cima de Canet para ser o vice-líder, começando agora a caçada em cima de Tatsuki.
 
Não demorou para que o #48 atacasse o japonês para, enfim, tomar a primeira colocação do pelotão. Arenas, García, Canet, McPhee, Vietti, Arbolino, López e Masiá completavam o top-10.

Então, Tony também teve um golpe de má sorte em sua corrida. Quando estava entre os dez primeiros, acabou levando um tombo na curva 5, ficando caído e aparentando dor. O piloto precisou ser tirado de maca da pista.
 

A disputa pela primeira colocação começou a apertar mais. O italiano precisava segurar as investidas do japonês, que chegou a emparelhar a moto, mas não conseguiu consumar a ultrapassagem.
A corrida começava a se encaminhar para a reta final e finalmente Suzuki conseguiu tomar a ponta para si. Mas por pouco tempo, já que Dalla Porta deu o troco e retomou o posto. Arenas vinha na sequência fechando o pódio.
 
Então, uma reviravolta foi vista na prova. Com sete giros para a bandeira quadriculada, Canet acabou indo ao chão na curva 9. Apesar de se recuperar rapidamente, pode ter sido o lance que define o campeonato.

Dalla Porta, Suzuki, García, Arenas, Vietti, McPhee, Masià, Ramírez, López e Nepa eram os pilotos e estavam no top-10 com cinco giros para o encerramento.
 

Na reta final, então, finalmente Suzuki conseguiu retomar a primeira colocação. Mas a liderança pouco durou, pois Dalla Porta rapidamente retomou a colocação. Os quatro primeiros pilotos estavam bastante juntos, com o quinto vindo pouco depois.
Aberta a última volta, as coisas seguiam movimentadas no Japão. Dalla Porta se segurava como podia na primeira colocação, mas via Suzuki apenas 0s097 atrás. Arenas também estava próximo da dupla, trazendo García e Vietti junto.
 
Então, em um grande lance, o #75 conseguiu adiantar-se em cima do japonês, pulando para a segunda colocação. Atrás, Celestino também conseguiu ultrapassar Sergio, se colocando na quarta posição.
 
As coisas estavam bastante animadas nos últimos metros. Arenas tentava de todos os jeitos ultrapassar Dalla Porta, mas sem sucesso. Com isso, Lorenzo conseguiu uma grande vitória, com Arenas em segundo. Vietti ainda fez ultrapassagem em último momento para fechar o pódio.

Moto3 2019, GP do Japão, Motegi, Final:

1 L DALLA PORTA Leopard Honda 39:34.866 20 voltas
2 A ARENAS Ángel Nieto KTM +0.094  
3 C VIETTI VR46 KTM +0.198  
4 T SUZUKI SIC58 Honda +0.289  
5 S GARCIA Estrella Galicia 0,0 Honda +0.437  
6 J MCPHEE SIC HONDA +3.648  
7 J MASIÀ Worldwide KTM +7.225  
8 M RAMÍREZ Leopard Honda +7.382  
9 A LÓPEZ Estrella Galicia 0,0 Honda +8.172  
10 A MIGNO Worldwide KTM +12.054  
11 M YURCHENKO RBA KTM +12.296  
12 N ANTONELLI SIC58 Honda +13.295  
13 A SASAKI SIC HONDA +13.308  
14 A OGURA Asia Honda +13.333  
15 R YAMANAKA Estrella Galicia 0,0 Honda +13.362  
16 S NEPA CIP KTM +13.380  
17 K TOBA Asia Honda +13.487  
18 C ÖNCÜ Red Bull KTM Ajo +13.940  
19 R FERNANDEZ Ángel Nieto KTM +14.648  
20 K MASAKI RBA KTM +22.886  
21 R ROSSI Gresini Honda +22.907  
22 F SALAC Prüstel KTM +23.416  
23 D FOGGIA VR46 KTM +32.728  
24 T BOOTH-AMOS CIP KTM +1:49.800  
  R FENATI Snipers Honda NC  
  A CANET MAX KTM NC  
  T ARBOLINO Snipers Honda NC  
  D BINDER CIP KTM NC  
  J KORNFEIL Prüstel KTM NC  
  G RODRIGO Gresini Honda NC  
         
VMR L DALLA PORTA Leopard Honda 1:57.790 146.7 km/h
REC A MÁRQUEZ Estrella Galicia 0.0 1:57.112 147.5 km/h
MV H ONO Team Asia Honda 1:56.443 148.4 km/h
         
  Condições do tempo PISTA SECA   ar: 24ºC | pista: 32ºC

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube