Petrucci revela risadas após pedidos para encurtar corrida em Austin: “Não levam a sério”

Por questões de segurança, pelotão da MotoGP pediu encurtamento da prova realizada no Circuito das Américas, mas organização manteve o cronograma inicial

“É a pista mais perigosa que já pilotei”. Foi assim que Francesco Bagnaia, vice-líder do campeonato, definiu o Circuito das Américas neste final de semana. O piloto italiano, que largará na pole, recebeu o apoio da grande maioria do grid, que chegou a solicitar um encurtamento do GP por motivos de segurança. Já Danilo Petrucci, piloto da Tech3, revelou a vontade dos pilotos de reduzirem a duração da corrida. Segundo o veterano de 30 anos, o pelotão da MotoGP levou a questão para a comissão de segurança, que não levou a pauta a sério.

Inicialmente prevista para 20 voltas, a pista do Texas não possui condições de segurança para tal, especialmente nas voltas finais, com pneus mais desgastados. É o que pensa grande parte dos pilotos da principal categoria de moto velocidade do mundo. Devido aos fortes ondulações, os pilotos acreditam que seria, praticamente, inviável chegar fisicamente bem ao final da prova .

Em resposta ao pedido dos atletas, os representantes da Federação Internacional de Motociclismo e a Dorna Sports, detentora dos direitos comerciais da categoria, que presidiam a comissão de segurança encararam a reivindicação como uma brincadeira.

Danilo Petrucci comentou detalhes da reunião com FIM e Dorna (Foto: KTM)

“Nós perguntamos [sobre a possibilidade de encurtar a prova], mas eles acharam que nós estávamos brincando”, afirmou Petrucci. “Não sei se todos concordam com isso, mas, com certeza, 90% queriam encurtar a corrida. Eu, com certeza, teria encurtado”, seguiu.

“Digamos que nós os fizemos rir. Como eu disse, eles achavam que nós estávamos brincando. Eles não nos levam a sério. Para mim, pode ser um grande arrependimento (a realização da prova), mas para eles, não.

Aleix Espargaró, piloto da Aprilia e sétimo colocado no Mundial, disse que os pilotos foram questionados, na comissão de segurança, sobre quais seriam os requisitos mínimos para que a MotoGP regressasse para Austin na próxima temporada. Para o espanhol, houve um consenso, com todos os pilotos concordando que deveria haver um total recapeamento da Curva 2 a Curva 10 para a pista se tornar aceitável.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

O espanhol se juntou à Bagnaia e Pedrucci nas críticas ao circuito. Para o piloto de 32 anos, com exceção de ‘um ou dois pilotos’ que consideram ‘tudo divertido’, a grande maioria estava muito irritada com a falta de condições da pista.

“É completamente inaceitável correr aqui”, disse Espargaró, que complementou afirmando que o grid exigiu mais, mas os organizadores insistiam em perguntar quais eram os requisitos mínimos para o regresso.

Com grandes ondulações da Curva 2 até a Curva 10, o acordo ficou selado para que haja uma grande remodelagem nesta área da pista. Segundo o espanhol, os organizadores concordaram que, se para o ano que vem este trabalho não for feito, a MotoGP não irá correr no Texas.

Apesar da vontade e da preocupação dos pilotos, a corrida ocorrerá sem grandes modificações, a começar pelo grid de largada. Na primeira fila, vice-líder e líder disputam a liderança, seguidos pelo hexacampeão Marc Marquéz, que largará em terceiro.

VEJA TAMBÉM
Fatos e curiosidades do GP das Américas de MotoGP
Limite de idade e até mais potência: pilotos dão ideias para combater mortes de crianças

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar