Em prova marcada por acidente, Viñales escapa na frente em Silverstone e consegue primeira vitória na MotoGP

Maverick Viñales foi impecável em Silverstone e conquistou seu primeiro triunfo na MotoGP, elevando a sete o número de vencedores diferentes nas últimas sete corridas. É a primeira vitória da Suzuki desde o GP da França de 2007

A MotoGP tem um sétimo vencedor diferente em um intervalo de sete corridas. Largando na primeira fila, Maverick Viñales confirmou neste domingo (4) o bom ritmo exibido pela GSX-RR ao longo de todos os treinos em pista seca e conquistou seu primeiro triunfo na classe rainha do Mundial de Motovelocidade.
 
Depois de superar Cal Crutchlow e Valentino Rossi ainda nos primeiros metros de uma corrida que teve de ser reiniciada após um acidente com Pol Espargaró e Loris Baz ainda na segunda curva, Maverick se mostrou seguro e tratou de desfilar seu bom ritmo por todos os 5.9 km da pista inglesa.
Maverick Viñales venceu pela primeira vez na MotoGP (Foto: Suzuki)

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

A classificação do Mundial de MotoGP após o GP da Grã-Bretanha

Além de marcar o primeiro triunfo de Maverick, a vitória em Silverstone também é a primeira da Suzuki desde que Chris Vermeulen recebeu a bandeira da ponta no GP da França de 2007. O #25 é também o quarto piloto a conquistar seu primeiro triunfo na MotoGP em um intervalo de cinco corridas

 
Enquanto Maverick escapava, a briga pelo segundo posto foi quentíssima, envolvendo Cal Crutchlow, Valentino Rossi, Andrea Iannone e Marc Márquez.
 
O italiano da Ducati foi o primeiro a entregar os pontos com um capote. Algumas voltas depois, foi Márquez quem aprontou. O espanhol escapou da pista em meio a uma disputa com Crutchlow e acabou despencando no pelotão.
 
Crutchlow, então, fez a festa das mais de 73 mil pessoas em Silverstone e conquistou o segundo posto, com Rossi aparecendo para fechar o top-3.

Márquez, por sua vez, minimizou os danos ao passar Dani Pedrosa e garantir o quarto posto. Andrea Dovizioso ficou em sexto, à frente de Aleix Espargaró, que recebeu 1s de sanção por exceder os limites da pista.

 
Apagado ao longo de toda a corrida, Jorge Lorenzo foi apenas oitavo, à frente de Danilo Petrucci e Álvaro Bautista.
 
O estreante Alex Lowes fez um bom trabalho em sua corrida de casa e recebeu a bandeirada em 13º, à frente de Héctor Barberá e Tito Rabat.

Com o resultado, Márquez chegou aos 210 pontos e agora tem 50 de margem para Rossi — três a menos do que tinha após Brno. Lorenzo é o terceiro, com 14 pontos a menos que o companheiro de Yamaha. Viñales vem em quarto, à frente de Pedrosa.
 

Saiba como foi o GP da Grã-Bretanha de MotoGP:
 

Quem fechou o sábado torcendo por pista seca, não teve suas preces atendidas nesta manhã. Último treino antes da 12ª etapa da temporada 2016, o warm-up foi realizado com pista molhada, o que esvaziou consideravelmente a pista.
 
Embora a previsão apontasse para pancadas de chuva ao longo do dia, os pilotos foram para o grid com o asfalto seco. Às vésperas da largada, os termômetros marcavam 18°C.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Apesar das condições climáticas pouco convidativas, os fãs tiveram motivos para comemorar. Cal Crutchlow conquistou a pole em Silverstone — a terceira da carreira na MotoGP —, à frente de Valentino Rossi e Maverick Viñales.
 
Com Sam Lowes puxando a fila no grid da Moto2, a prova deste fim de semana marca a primeira vez que dois britânicos conquistam a posição de honra nas divisões intermediárias e rainha no mesmo GP desde a etapa sueca de 1977, em Anderstorp, quando Barry Sheene largou na frente nas 500cc e Mick Grant nas 250cc. Os dois venceram a corrida naquela ocasião.
 
Para a prova deste domingo, a Michelin preparou uma alocação mais ampla. A fábrica francesa levou os pneus dianteiros macios, médios e duros, e traseiros macios e médios. Entre os compostos de chuva, os dianteiros eram extramacios, macios e médios, com as borrachas macias e duras reservadas para a roda de trás.
No grid, as escolhas de pneus foram diferentes. Crutchlow, Rossi e Viñales optaram pelo pneu duro na frente e médio atrás. Pedrosa e Laverty escolheram um par de macios, enquanto Márquez colocou o composto mole na frente e médio atrás.
 
Quando as luzes se apagaram na reta do circuito de Northamptonshire, os 73.310 espectadores viram Rossi saltar para a ponta, à frente de Crutchlow e Viñales. Pedrosa se manteve em quarto, à frente de Laverty, Redding e Lorenzo. Márquez cau para décimo depois de um enrosco com Redding.
Prova em Silverstone precisou ser reiniciada após acidente (Foto: Yamaha)
Pouco depois, Viñales partiu para o ataque e assumiu a ponta, diante de Rossi e Crutchlow. Laverty, então, passou Cal e logo depois passou Valentino.
 
Ainda nos primeiros metros, a corrida teve de ser paralisada em bandeira vermelha por conta de um forte acidente na entrada da Maggotts que envolveu Pol Espargaró e Loris Baz. O piloto da Tech3 foi removido de maca, enquanto o titular da Avintia ficou no chão recebendo atenção médica.
 
O acidente foi bem feio e os pilotos escaparam por pouco de serem atingidos por quem vinha atrás. 
 
Enquanto Loris ainda recebia tratamento, a direção de prova comunicou que a disputa seria reiniciada para 19 voltas, uma a menos que a previsão original.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Minutos depois, a direção de prova anunciou que Baz estava consciente e recebendo atendimento médico. Pol, por sua vez, tinha sua condição classificada como ‘Ok’.
 
Ao ser colocado na ambulância, Baz acenou para o público, mostrando que estava bem. 
 
Na sequência, a direção anunciou que o pit-lane seria aberto às 11h48 (de Brasília) para o procedimento de relargada rápida, quando os competidores têm 60 segundos para deixar os boxes e podem contar com apenas um mecânico na pista.
No retorno ao grid, alguns pilotos tinham colocado pneus novos, mas sem mudar a opção feita anteriormente.
 
Como a corrida é reiniciada do zero, os pilotos retomam as posições originais de largada, agora sem Baz e Pol Espargaró. No grid, a temperatura permanecia em 18°C, com o vento soprando a uma velocidade de 14 km/h.
 
Na hora da relargada, Crutchlow saiu bem mais uma vez e se manteve na ponta, à frente de Rossi, Viñales, Pedrosa e Márquez.
 
Marc logo passou Dani e se instalou em quarto, com Redding em sexto, seguido por Lorenzo, Iannone e Laverty.
 
Metros adiante, Viñales passou Rossi e assumiu o segundo posto. O piloto da Suzuki passou na Stowe, superando o italiano nos freios.
 
Pouco depois, o #25 assumiu a ponta, com Márquez se instalando em terceiro depois de bater Rossi na Loop. Iannone era o quinto. 
 
Na ponta, Viñales abriu 0s310 de margem, enquanto Márquez também tentava se afastar de Rossi. Mais atrás, Lorenzo assumiu o sétimo posto, à frente de Dovizioso.
 
Pressionado, Márquez atacou Crutchlow e pegou o segundo posto, já 0s777 atrás de Maverick que vinha em ótimo ritmo. Rossi estava por perto e quase pegou Cal por dentro.
 
Líder, Viñales tratou de exibir o bom ritmo da GSC-RR e tratou de se afastar dos concorrentes, chegando a exibir mais de 1s de diferença para Márquez. O espanhol da Suzuki tinha a melhor volta da corrida: 2min02s339.
 
Stefan Bradl não durou muito na disputa e caiu ainda no início. O germânico não se machucou.
Maverick Viñales. Cal Crutchlow e Valentino Rossi formaram o pódio (Foto: Yamaha)
Na sequência, foi Redding quem foi ao chão. O britânico caiu na curva oito, mas também não se feriu e voltou para a pista.
 
Enquanto isso, Viñales ia fugindo, abrindo mais de 1s5 de margem para Márquez. Crutchlow seguia em terceiro, pressionando por Rossi, que tinha Iannone tentando chegar. Pedrosa era o sexto, seguido de Lorenzo, Dovizioso, Aleix e Miller.
 
Em seu ano de despedida da Suzuki, Viñales ia fazendo uma excelente prova, imprimindo o mesmo ritmo forte exibido ao longo de todo o fim de semana. Atrás, as coisas iam igualmente bem, com Márquez, Crutchlow e Rossi colados na briga pelo segundo posto.
 
No fim do quarto giro, Rossi passou Crutchlow por dentro na Brooklands e assumiu o segundo lugar, 0s170 atrás de Márquez, que já tinha 2s29 de atraso para Maverick.
 
Sem demora, o italiano passou Márquez Na Stowe e pulou para segundo. Mais atrás, Pedrosa subiu para quinto, à frente de Iannone, Dovizioso e Lorenzo.
 
Valentino, então, apertou o passo, cravando sua melhor volta até então: 2min02s745. Ainda assim, Viñales seguia bem na frente, com 2min538 de folga.
 
Com ritmo mais forte, o #46 também abriu logo de cara em relação a Márquez, se afastando 0s4 do rival.
 
Enquanto isso, Redding levou um novo tombo — bem parecido com o primeiro —, agora na curva 13.
 
Mesmo com um bom ritmo, Rossi não conseguia diminuir a margem de Viñales, que seguia firme na ponta tentando buscar seu primeiro triunfo na MotoGP.
Terceiro, Márquez também vinha fazendo suas melhores parciais, tentando se manter próximo de Rossi.
 
Mais atrás, o estreante Alex Lowes ia em 15º, com mais de 3s de margem para Rabat, o 16º.
 
Na nona volta, Márquez vinha perto de Rossi, mas acabou sendo ultrapassado por Crutchlow, que vinha coladinho atrás e aproveitou um errinho do #93 na Stowe. Um pouco atrás, Iannone passou Pedrosa pelo quinto posto.
 
Com Viñales em ritmo de fuga, os demais pilotos do top-6 iam pertinho na briga pelo segundo posto. A MotoGP prometia um final e tanto.
 
Mais atrás, Lorenzo fazia uma prova para lá de apagada. Nono colocado, o espanhol tinha 6s de vantagem para Petrucci.
 
Na volta seguinte, Iannone passou Márquez e assumiu o quarto lugar, coladinha em Crutchlow, que também ia perto de Rossi.
 
Sem muita demora, Iannone passou Cal e assumiu o terceiro lugar, pouco mais de 0s2 atrás de Rossi. O italiano da Ducati tinha uma bela aderência.
 
Com oito giros para o fim, Iannone passou Rossi, mas acabou levando o troco pouco depois. Iannone tinha um ritmo muito veloz, mas precisaria de tempo para tentar impressionar Viñales, que tinha 4s631 de folga na frente.
 
Andrea não se deu por vencido e tratou de passar Rossi mais uma vez, agora na entrada da Copse. O motor da Ducati não é batido com facilidade na reta.
 
Líder, Maverick era cerca de 0s5 mais rápido que os pilotos que vinham atrás.
 
Depois de um período de discrição, Márquez voltou ao ataque, agora para tirar de Crutchlow o quarto posto. O britânico, porém, reagiu rápido.
 
Enquanto os ponteiros brigavam feio, a direção de prova anunciou uma punição de 1s a Aleix Espargaró por exceder os limites da pista na curva sete.
 
Depois de passar Márquez, Crutchlow partiu para cima de Rossi e assumiu o terceiro posto com uma manobra por dentro. O #35 fez duas manobras em um espaço de três curvas.
 
Logo depois, foi Márquez quem passou Rossi, que caiu para a quinta colocação. Pedrosa vinha por perto, em sexto.
 
Rossi não deixou barato e tratou de superar Marc novamente, enquanto Iannone fez das suas e caiu na Luffield, abandonando a disputa. Crutchlow, então, subiu parta segundo, mais de 5s atrás de Viñales. Rossi vinha em terceiro, seguido por Márquez e Pedrosa.
 
Márquez chegou a escapar da pista no meio da disputa ao entrar rápido demais em uma das curvas do circuito.
 
Apesar do errinho, o espanhol logo voltou para a briga e passou o italiano um pouco depois, após uma bela disputa entre os dois. 
 
Com o pega entre os dois ponteiros no Mundial, Crutchlow escapou na frente, abrindo quase 1s de margem. Pedrosa e Dovizioso, por outro lado, voltaram à briga pelo título.
 
Confiante após passar Rossi, Márquez foi em busca de Cal e passou, mas entrou numa dura briga com o britânico. 
 
Minutos depois, o #93 errou de novo e escapou da pista mais uma vez, agora voltando em quinto, atrás de Pedrosa. A falha na Stowe vai custar caro ao espanhol.

#GALERIA(5775)
 

MotoGP, GP da Grã-Bretanha, Silverstone, corrida:

1 25 MAVERICK VIÑALES ESP SUZUKI 39:03.559 19 voltas
2 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA +3.480  
3 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA +4.063  
4 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA +5.992  
5 26 DANI PEDROSA ESP HONDA +6.381  
6 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA DUCATI +12.303  
8 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP SUZUKI +15.672  
8 99 JORGE LORENZO ESP YAMAHA +19.432  
9 9 DANILO PETRUCCI ITA PRAMAC DUCATI +25.618  
10 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP APRILIA GRESINI +32.084  
11 68 YONNY HERNÁNDEZ COL ASPAR DUCATI +36.131  
12 50 EUGENE LAVERTY IRL ASPAR DUCATI +39.130  
13 22 ALEX LOWES ING TECH3 YAMAHA +40.143  
14 8 HECTOR BARBERÁ ESP AVINTIA DUCATI +41.356  
15 53 TITO RABAT ESP MARC VDS HONDA +41.943  
16 43 JACK MILLER AUS MARC VDS HONDA +47.610  
17 45 SCOTT REDDING ING PRAMAC DUCATI +1:56.177  
18 29 ANDREA IANNONE ITA  DUCATI +6 voltas  
19 6 STEFAN BRADL ALE APRILIA GRESINI +7 voltas  
20 76 LORIS BAZ FRA AVINTIA DUCATI NC  
21 44 POL ESPARGARÓ ESP TECH3 YAMAHA NC  
             
POLE ANDREA IANNONE ITA  DUCATI 1:23.142 186.9  km/h
VOLTA MAIS RÁPIDA ANDREA IANNONE ITA  DUCATI 1:24.561 183.8 km/h
RECORDE ANDREA IANNONE ITA  DUCATI 1:24.561 183.8 km/h
MELHOR VOLTA MAVERICK VIÑALES ESP SUZUKI 2:02.339 173.69 km/h
             
    Condições do tempo   PISTA SECA   ar: 18ºC | pista: 18ºC
PADDOCK GP #44 DEBATE VITÓRIAS DE ROSBERG EM SPA E DE RAHAL NO TEXAS

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube