Quartararo admite propostas para deixar Yamaha, mas diz: “Preferi o que me convém”

Fabio Quartararo enfatizou que não tem medo de mudanças e, inclusive, recebeu propostas para deixar Yamaha antes de renovar o vínculo, mas reiterou seu compromisso com um "projeto que convém"

Não há como negar: a MotoGP 2022 foi uma prova de como a Yamaha é dependente de Fabio Quartararo. O piloto de Nice foi o único capaz de conseguir resultados contundentes para a marca japonesa e chegou, mesmo sem ajuda de outros pilotos, a disputar o título até a reta final da competição.

Ainda que tenha conquistado o título da classe rainha em 2021, o #20 admitiu que teve chances de desfazer o ‘casamento’ com a casa de Iwata antes da renovação do vínculo até 2024, mas preferiu pensar ao longo prazo.

Relacionadas


 “Bem, tínhamos opções. Mas sinceramente não gosto de lidar com essas coisas. Meu trabalho é pensar no presente e fazer o meu melhor nele. Quero ter o melhor pacote disponível e estar no projeto que mais me convém”, disse ele, em entrevista ao site Motorsport-Magazin.com.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Fabio Quartararo afirmou que evita pensar nos riscos do esporte (Foto: Yamaha)

“Por isso, tomei muito tempo para essa decisão e pensei muito nisso. Isso foi absolutamente necessário para garantir que estaríamos bem posicionados nos próximos anos. Mas não diria assustador [para um piloto mudar de fabricante]. Claro, quando você muda de fabricante, nunca sabe exatamente o que esperar lá. Tem que se adaptar, mas dificilmente vai entrar na situação de ter uma moto ruim. Sempre há aspectos positivos e negativos, mas, na situação atual, você não precisa ter medo de nenhuma mudança”, completou.

E a decisão foi muito positiva para a Yamaha, de fato. Lin Jarvis, diretor da Yamaha, elogiou a evolução de Fabio desde a conquista do título e enfatizou o desejo de tê-lo por muitos anos.

“Ele se tornou uma pessoa mais calma e racional. Menos propenso a raiva e frustração e assim por diante. Ele ainda tem isso, porque qualquer piloto tem aquela raiva e frustração se não consegue seu desempenho, mas você pode compartimentalizar isso. Você pode expressá-lo, mas depois estacioná-lo e continuar com o trabalho. E essa é uma grande habilidade que ele também tem. Definitivamente, eu diria que nos últimos 18 meses ele amadureceu como pessoa”, analisou Jarvis, em conversa com o site Crash.net.

“Espero que ele fique com a Yamaha por muitos anos e acredito que ele tem potencial para ser campeão mundial várias vezes”, encerrou.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da MotoGP direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.