Bagnaia vence corrida maluca, vê Martín cair em Valência e fatura bi da MotoGP

Francesco Bagnaia escapou de acidentes, fugiu das confusões em Valência e viu os rivais errarem muito para vencer a última etapa da temporada e levar o bicampeonato da MotoGP de forma impecável

A MotoGP entregou todo o entretenimento esperado na última etapa da temporada 2023, no GP da Comunidade Valenciana. Em uma prova marcada por acidentes, polêmicas e muitas ultrapassagens, Francesco Bagnaia venceu com autoridade e conquistou o bicampeonato da classe rainha do Mundial de forma consecutiva.

A corrida, porém, não foi fácil para Pecco. Largando na pole após a punição de Maverick Viñales, se manteve na ponta nas primeiras voltas e sofreu com a pressão do rival Jorge Martín, que errou e caiu para oitavo. O espanhol, depois, ainda tocaria no compatriota Marc Márquez e deixaria de vez a disputa.

No fim, depois de contar com erros da dupla da KTM, com Brad Binder saindo da pista e Jack Miller caindo, Bagnaia reassumiu a ponta e ainda segurou os ataques de Fabio Di Giannantonio e Johann Zarco nas voltas finais para vencer a última prova do ano.

Di Giannantonio e Zarco, aliás, fecharam o pódio, mas o italiano foi punido por conta da pressão dos pneus e caiu para quarto, colocando Brad Binder no pódio. Raúl Fernández ficou na quinta posição. Álex Márquez, Franco Morbidelli, Aleix Espargaró, Luca Marini e Maverick Viñales fecharam o top-10.

LEIA MAIS
📌 Bagnaia quebra ‘maldição’ e renova título estampando #1 pela primeira vez em 25 anos
📌 Bagnaia mostra poder de reação para fugir do inferno e garantir bicampeonato da MotoGP
📌 Ducati ratifica fase brilhante e faz com Bagnaia o que faltou com Stoner: bi da MotoGP

Francesco Bagnaia e Jorge Martín brigaram no início da prova (Foto: Divulgação/MotoGP)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Saiba como foi o GP da Comunidade Valenciana de MotoGP:

A MotoGP começou com um revés importante antes mesmo da montagem do grid. Por causa de uma violação cometida ainda no warm-up, Maverick Viñales foi punido pelo Painel de Comissários da FIM (Federação Internacional de Motociclismo) com a perda de 3 posições no grid de largada, o que promoveu Francesco Bagnaia para a pole-position. A sanção, porém, não afetou a posição de Jorge Martín, que seguiu em sexto.

A Aprilia ficou furiosa com a punição, que classificou como “ridícula”. De acordo com Massimo Rivola, diretor-executivo da casa de Noale, o espanhol foi orientado pelos fiscais a seguir na pista quando tentou sair. Além disso, o dirigente confirmou que o #12 vai correr com a mesma moto que usou no aquecimento, já que o problema foi apenas um transbordamento de óleo.

Tal qual previsto desde a confirmação do calendário de 2023, o GP da Comunidade Valenciana foi disputado com baixas temperaturas. Quando os pilotos começaram a deixar os boxes em direção ao grid, a temperatura era de 18°C, com o asfalto chegando em 24°C. A umidade relativa do ar era de 49%, com o vento soprando a 4 km/h.

Antes da largada, Lin Jarvis, diretor da Yamaha, relatou ao feed internacional da MotoGP que Fabio Quartararo teve febre de mais de 39°C na noite passada. O francês não participou do warm-up, mas fez questão de correr. A equipe, então, o orientou a abandonar a disputa se não se sentisse bem, já que a prioridade é o teste de terça-feira, quando vão testar a YZR-M1 de 2024.

No grid de largada, a escolha de pneus foi quase uniforme: duro na frente e médio atrás. A mesma avaliada pela Michelin como a melhor alternativa. Viñales calçou macio na traseira e Zarco médio na frente.

No apagar das luzes, os espectadores que lotaram o Ricardo Tormo para a corrida final da temporada viram o pole-position Bagnaia largar bem e manter a ponta, com Brad Binder e Jack Miller logo atrás. Jorge Martín saltou para quarto, mas logo passou as KTM para ser segundo já na curva 2.

A emocionante largada da MotoGP em Valência (Vídeo: MotoGP)

Ainda nos primeiros metros, Marco Bezzecchi caiu e abandonou a disputa. O italiano ficou visivelmente dolorido no chão.

Enquanto isso, Bagnaia ia firme na ponta, mas com Martín seguindo de perto, acompanhado por Binder, Miller, Zarco e Viñales.

Em meados da segunda volta, Martín colou em Pecco, mas foi contido. Atrás, Miller passou Binder e ocupou o terceiro posto.

No fim do giro, Martín colou de novo, mas passou reto na 1 depois de tocar a traseira de Pecco. O espanhol despencou para a oitava colocação, mais de 2s4 atrás do líder.

Martín forçou ultrapassagem, errou e foi para oitavo (Vídeo: MotoGP)

Apesar do susto do contato, Pecco se manteve firme na corrida, agora com Binder conduzindo a caçada, só 0s2 atrás. Martín, por sua vez, tinha passado Álex Márquez e era agora o sétimo.

Sempre duríssimo, Binder logo chegou em Bagnaia e passou a pressionar pela vitória. Atrás, Martín atacava Viñales pela sexta colocação, mas o titular da Aprilia ia sustentando.

Ainda na volta 6, Martín tocou a traseira de Marc Márquez na curva 4, arremessando o piloto da Honda no ar e abandonando a corrida na sequência. Enquanto isso, Bagnaia perdeu a ponta para Binder, mas já tinha o título assegurado.

Martín tocou com Marc Márquez e abandonou a prova (Vídeo: MotoGP)

Márquez deixou a pista amparado, enquanto Martín voltou aos boxes da Pramac para ser aplaudido pela equipe.

Na pista, Miller também passou Pecco, que desceu para terceiro, com Zarco bastante próximo.

Rodando na ponta, Binder chegou a se afastar 0s9, mas Miller baixou para 0s7. Na volta 10, foi Enea Bastianini quem caiu na curva 1.

Inconsolável, Martín ia recebendo apoio nos boxes, inclusive de Carmelo Ezpeleta, diretor-executivo da Dorna, promotora do campeonato. Gigi Dall’Igna também passou pelos boxes com a corrida rolando.

Martín foi consolado nos boxes pela Pramac (Vídeo: MotoGP)

Firme e confortável, Binder seguia no comando, já mais de 1s à frente de Miller. Bagnaia era terceiro, com 0s5 de margem para Zarco. Viñales fechava o top-5.

Ainda com 16 voltas para o fim e depois de uma passagem pelo centro médico, Marc Márquez retornou aos boxes da Honda e mostrou que estava bem apesar da dolorosa pancada.

Com 14 voltas para o fim, a vantagem de Binder voltou a baixar de 1s, mas o cenário seguia confortável. Atrás, Bagnaia vinha mais e mais rápido, mas ainda com atraso superior a 1s.

Pouco depois, porém, Brad despencou para sexto ao escapar da pista e passar pela volta longa, entregando a liderança para Miller. O australiano herdou a ponta com 1s3 de margem para Pecco, com Zarco herdando um pódio.

Brad Binder errou e perdeu a liderança em Valência (Vídeo: MotoGP)

Possesso com o próprio erro, Binder foi para a recuperação e deu um chega para lá em Álex Márquez na curva 4, assumindo o quinto posto. O caçula dos Márquez mostrou o dedo em resposta.

A direção de prova, porém, não curtiu muito a manobra de Binder e mandou o sul-africano entregar a posição. Di Giannantonio seria o beneficiado, já que também tinha passado Álex.

Binder passou Viñales e subiu para quarto, mas depois perdeu a posição, o que foi validado como entrega pela direção de prova. O #33, então, atacou pouco depois, voltando ao quarto posto, 1s7 atrás de Zarco com nove voltas para o fim.

Di Giannantonio também conseguiu passar Maverick e assumiu a quinta colocação, 0s5 distante de um embalado Brad.

Francesco Bagnaia, Fabio Di Giannantonio e Johann Zarco brigaram na volta final (Vídeo: MotoGP)

Com nove voltas para o fim, o pesadelo da KTM aumentou: Miller caiu na 11, entregando a liderança para Bagnaia. Pouco depois, foi Álex Rins quem tombou na 1.

Sem Jack, até Binder voltou ao pódio, agora menos distante de Zarco, mas com 1s6 de atraso.

Sempre calmo e contido, Pecco seguiu controlando uma vantagem de 0s3 para Zarco. O francês, porém, era caçado por Binder, que chegava mais e mais rápido.

Com cinco voltas para o fim, Franco Morbidelli assumiu o oitavo posto ao passar Viñales. Luca Marini vinha em décimo. Binder, por sua vez, baixou de 1s o atraso em relação a Zarco.

Binder, porém, foi atacado por Di Giannantonio, que assumiu o terceiro posto. Zarco até cortou um pouco da margem de Bagnaia, mas os 0s3 seguiam preservados.

Embalado, Di Giannantonio foi chegando mais e mais. Com 3 voltas para o fim, o italiano tinha 0s5 de atraso para Zarco.

Enquanto isso, Pol Espargaró caiu no terceiro setor, mas voltou para a pista.

Francesco Bagnaia comemorou em clima de basquete (Vídeo: MotoGP)

Pressionado, Zarco grudou em Pecco, mas com Di Giannantonio vivíssimo na briga pela vitória. Pecco abriu mais uma vez, com Fabio tomando o segundo posto pouco depois, na 4, 0s3 atrás do #1.

Bagnaia abriu a volta final com 0s141 de frente para Di Giannantonio, que não se acanhou e foi ao ataque. O piloto da Ducati segurou e cruzou a linha de chegada com 0s176 de margem. Zarco completou o pódio.

Depois de um cumprimento com os pares, Bagnaia parou na pista para celebrar com o fã-clube e a família. Em uma comemoração no estilo basquete, Pecco colocou três anéis dourados, uma referência não só aos dois títulos da MotoGP, mas também ao título da Moto2.

MotoGP 2023, GP da Comunidade Valenciana, Valência, Corrida:

1F BAGNAIADucati40:58.535
2J ZARCOPramac Ducati+0.360
3B BINDERKTM+2.347
4F DI GIANNANTONIOGresini Ducati+3.176
5R FERNÁNDEZRNF Aprilia+4.636
6Á MÁRQUEZGresini Ducati+4.708
7F MORBIDELLIYamaha+4.736
8A ESPARGARÓAprilia+8.014
9L MARINIVR46+9.486
10M VIÑALESAprilia+10.556
11F QUARTARAROYamaha+12.001
12T NAKAGAMILCR Honda+21.695
13L SAVADORIRNF Aprilia+43.297
14P ESPARGARÓGasGas+45.223
15A RINSLCR HondaNC
16J MILLERKTMNC
17E BASTIANINIDucatiNC
18A FERNÁNDEZGasGasNC
19M MÁRQUEZHondaNC
20J MARTÍNPramac DucatiNC
21M BEZZECCHIVR46NC
Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da MotoGP direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.