Honda e Repsol renovam parceria até fim da temporada 2022 da MotoGP

Juntas desde 1995, o casamento já rendeu grandes frutos no Mundial de Motovelocidade como 15 títulos de pilotos e recorde de pódios na classe rainha

A Honda e Repsol vão seguir juntas por mais alguns anos na MotoGP. Nesta quarta-feira (21), as marcas anunciaram a extensão da parceria de sucesso e renovaram contrato até a temporada 2022.

O casamento entre a gigante espanhola do setor petrolífero e a equipe nipônica vem desde 1995. O envolvimento já começou com uma vitória de Mick Doohan na Austrália, e o título no final daquele campeonato.

Nos 26 anos em que andaram juntas, sustentam o recorde de mais pódios conquistados na classe rainha do Mundial de Motovelocidade – 500cc e MotoGP. Pilotos como Dani Pedrosa, Álex Crivillé, Valentino Rossi, Nicky Hayden e Marc Márquez são alguns dos que já usaram as cores da dupla.

Alguns outros números são 180 vitórias, 15 títulos de pilotos, dez de equipes, 18 de Construtores, além de 187 pole-positions, 195 voltas mais rápidas e 429 corridas disputadas.

Honda e Repsol já conseguiram 15 títulos de pilotos (Foto: Repsol)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Yoshishige Nomura, presidente da HRC, afirmou que “é sempre uma ótima sensação quando estendemos nossa parceria com a Repsol, desta vez por mais dois anos. Juntos conquistamos incríveis resultados e formamos uma parceria que é única no esporte a motor.”

“Vamos seguir o trabalho que temos feito, e continuaremos, superando os obstáculos e dificuldades que tem nos sido apresentados. 2020 tem sido um ano difícil para o mundo, mas junto com a Repsol temos trabalhado em direção aos nossos objetivos. Estamos ansiosos para seguir essa jornada juntos e escrever mais páginas na história das corridas”, completou.

Begoña García, diretor de comunicações da Repsol, acompanhou o animado discurso de Yoshishige. “A renovação do acordo com um parceiro tão importante como a Honda na MotoGP é a prova da força de nossa parceria, especialmente na situação mundial causada pelo coronavírus”, apontou.

“Para a Repsol, o fator tecnológico é a chave e essa associação histórica trouxe muita inovação e colaboração. Juntos, alcançamos grandes conquistas esportivas e também fizemos nosso produto evoluir para a excelência. Continuar nesse caminho de sucesso, sempre a serviço da sociedade, é o que nos faz melhorar a cada dia”, completou.

O campeonato tem sido bastante complicado para a Honda pela ausência de Marc Márquez, que tem focado na recuperação da fratura em seu braço direito. Entretanto, nas duas últimas etapas, Álex começou a reverter a situação ao conseguir os dois primeiros pódios do ano. No Mundial de Equipes, aparece em nona, ocupando o quinto posto entre os construtores.

LEIA TAMBÉM
Da rejeição ao conto de fadas: Álex Márquez cala críticos e mostra a que veio na MotoGP
FIM precisa de penas mais duras se quiser recuperar controle dos pilotos da Moto3
Morreu e foi substituída? Como Yamaha perde desempenho fácil e fracassa em Aragão

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube