Impecável na Austrália, Oliveira dá à KTM primeira vitória na Moto2 em dobradinha com Binder. Morbidelli é 3º

Miguel Oliveira tomou a ponta na largada e disparou na ponta para dar à KTM sua primeira vitória na Moto2. Forçando o ritmo na parte final da disputa, Takaaki Nakagami subiu ao segundo posto, mas caiu com dois giros para o fim e entregou a segunda colocação para Brad Binder. Franco Morbidelli ficou com o terceiro posto

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Miguel Oliveira conseguiu uma vitória histórica neste domingo (22). Terceiro no grid, o português tomou a ponta ainda na largada e tratou de disparar na liderança para dar à KTM seu primeiro triunfo na Moto2. Depois de um duro confronto com Franco Morbidelli, Brad Binder completou a dobradinha da marca austríaca.
 
Apesar de a chuva ter antecipado o fim da corrida da Moto3, a prova da classe intermediária começou com pista seca, permitindo o uso dos pneus slicks. Com uma boa largada, Oliveira assumiu o comando ainda nos primeiros metros e apesar de ter sido pressionado por Binder e Morbidelli no início, conseguiu escapar na ponta para conquistar seu primeiro triunfo na Moto2.
Miguel Oliveira deu à KTM sua primeira vitória na Moto2 (Foto: KTM Ajo)
Sem muitas reservas apesar da liderança do Mundial, Morbidelli travou um duro duelo com Binder, inclusive com direito a toque, mas acabou derrotado pelo sul-africano por 0s872.
 
Jesko Raffin fez uma boa exibição e acabou na quarta colocação, à frente de Xavi Vierge. Álex Márquez chegou a escapar da pista ainda no início da disputa, mas evitou a queda e fez uma prova de recuperação para receber a bandeirada em sexto, seguido por Simone Corsi, Dominique Aegerter e Sandro Cortese.
 
Vice-líder do Mundial, Tom Lüthi fez os primeiros giros no quarto posto, mas, pouco a pouco, foi despencando no pelotão. O suíço, que sofreu um tombo fortíssimo no warm-up desta manhã, acabou em décimo.
Com o resultado, Morbidelli chegou aos 272 pontos e vai para a Malásia com 29 de vantagem para Lüthi. Oliveira é o terceiro na classificação, seguido por Francesco Bagnaia e Mattia Pasini.

Confira como foi o GP da Austrália da Moto2:

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Não foi só no Japão que a Moto2 teve de lidar com a chuva. Seguindo a previsão do tempo, o clima amanheceu ruim na região de Victoria, 140 km ao sudeste de Melbourne, com a temperatura também se mantendo baixa. Mas na largada da Moto2, a água já não caia mais. Às vésperas da largada, os termômetros marcavam 15°C, com o asfalto chegando a 27°C. A velocidade dos ventos era de 13 km/h.
 

Pela quinta vez no ano, Mattia Pasini tinha a pole-position, igualando os registros de Andrea Iannone e Franco Morbidelli na Moto2. Em sua melhor classificação na carreira, Marcel Schrotter ocupava o segundo posto, à frente de Miguel Oliveira.
 
Em seu melhor resultado nesta temporada de estreia na classe intermediária, Brad Binder tinha o quarto posto do grid, seguido pelo líder do Mundial. Álex Márquez vinha em sexto, fechando a linha.
 
Vice-líder do Mundial, Tom Lüthi se classificou apenas em décimo e não abriu o domingo lá do melhor jeito. O suíço levou um forte tombo ainda no warm-up, mas escapou de maiores lesões.
 
Assim que as luzes se apagaram, o Oliveira deu um salto sensacional na largada, assumindo a ponta do pelotão, seguido por Brad Binder. Enquanto isso, Pasini fez péssima saída e acabou caindo algumas posições.
 
Morbidelli, líder da classificação, largou em quinto. Mas já na segunda volta aparecia na segunda colocação. Mais para trás, Lüthi também teve ótimo início de prova e da décima posição, já aparecia em quinto.
 
Na curva 2, então, na segunda volta da corrida, que um assustador acidente aconteceu. Schrotter sofreu um highside e acabou levando junto Pasini, que caíram e pararam na caixa de brita. Apesar de forte, ambos competidores saíram andando do traçado.
Mattia Pasini e Marcel Schrotter (Foto: Reprodução)
Com cinco voltas completadas, Oliveira sustentava a liderança da corrida com uma vantagem de 0s102 para Binder. Morbidelli tentou assumir a segunda colocação, ultrapassou o #41, que na curva seguinte deu o troco e retomou o posto.
 
Binder estava fazendo o seu dever de casa. Sustentando a segunda posição, o piloto ainda segurava o ímpeto de Morbidelli, que sustentava uma diferença de 2s786 para o ponteiro. Enquanto isso, Lüthi aparecia 0s273 atrás do #21, diminuindo aos poucos a desvantagem.
 
Faltavam 16 voltas para a bandeira quadriculada tremular no circuito australiano, e Oliveira seguia na liderança do pelotão. Binder permanecia em segundo, enquanto Morbidelli era terceiro. Enquanto isso, um animado embate pela quarta colocação acontecia, com Nakagami atacando Lüthi. Dois giros mais tarde, o japonês efetivou a ultrapassagem.
 
Morbidelli e Binder também protagonizavam uma quente briga pelo segundo posto. Franco chegou a passar o sul-africano, que cometeu um erro na curva 6, mas pouco depois o #41 deu o troco em cima do líder da classificação.
Já a situação de Lüthi não estava fácil. O piloto não vinha apresentando desempenho brilhante durante a prova, e com dez giros para o fim, o suíço era apenas o sétimo colocado.
 
Morbidelli, por outro lado, arriscava mais do que o necessário durante a disputa. Com 15 voltas completadas, ele ainda estava na briga com Binder. Quando enfim estava em segundo novamente, Brad deu o bote para passa-lo. Forçando para fechar a porta, o ítalo-brasileiro chegou a tocar o pneu traseiro do adversário.
 
Enquanto isso, Oliveira mal sabia o que se passava atrás dele. Nas voltas finais, o português já havia se afastado do restante do pelotão, agora apresentando uma vantagem de mais de 5s para o segundo colocado.
 
Faltavam sete voltas para a corrida terminar, e foi quando Morbidelli deu mais um bote em cima do #41. Em jogada certeira, ele tomou o segundo posto e ainda trouxe Nakagami junto, jogando Binder para o quarto posto. Pouco depois, o japonês passou de passagem, assim como Binder, e a dupla o titular da Marc VDS para trás.
 
Três giros mais tarde, novamente neste domingo, a bandeira de chuva tremulou no circuito. Oliveira sustentava a liderança com uma vantagem de 4s091 para Nakagami. Morbidelli, que mais uma vez ultrapassou Brad, era o terceiro. Mais para trás, Lüthi era apenas o décimo.
Brad Binder e Franco Morbidelli tiveram um toque na curva um em Phillip Island (Foto: Reprodução)

Nakagami então sofreu um grande revés em sua corrida. Com a garoa caindo em Phillip Island, o japonês escorregou na curva 9, caindo e parando na caixa de brita. Ali acabavam as chances de pódio do piloto.

Dali para o final, mais nada mudou. Em atuação exemplar, Oliveira garantiu a primeira vitória da KTM na Moto2, com Binder em segundo e Morbidelli completando o pódio do dia. Raffin foi o quarto, com Vierge fechando o top-5. Lüthi cruzou a linha de chegada apenas em décimo.

Moto2, GP da Austrália, Phillip Island, Final:

1 44 MIGUEL OLIVEIRA POR RED BULL KTM AJO 39:25.920 25 voltas
2 41 BRAD BINDER RSA RED BULL KTM AJO +2.974  
3 21 FRANCO MORBIDELLI ITA MARC VDS Kalex +3.846  
4 2 JESKO RAFFIN SUI INTERWETTEN Kalex +7.348  
5 97 XAVI VIERGE ESP TECH3 Mistral 610 +7.403  
6 73 ÁLEX MÁRQUEZ ESP MARC VDS Kalex +12.125  
7 24 SIMONE CORSI ITA SPEED UP +12.217  
8 77 DOMINIQUE AEGERTER SUI KIEFER Suter +12.244  
9 11 SANDRO CORTESE ALE INTACT Suter +12.475  
10 12 THOMAS LÜTHI SUI INTERWETTEN Kalex +12.605  
11 49 AXEL PONS ESP RW Kalex +12.971  
12 42 FRANCESCO BAGNAIA ITA VR46 Kalex +20.887  
13 62 STEFANO MANZI ITA VR46 Kalex +28.821  
14 7 LORENZO BALDASSARRI ITA FORWARD Kalex +31.214  
15 87 REMY GARDNER AUS TECH3 Mistral 610 +34.678  
16 55 HAFIZH SYAHRIN MAL RACELINE Kalex +34.911  
17 37 AUGUSTO FERNÁNDEZ ESP SPEED UP +35.694  
18 45 TETSUTA NAGASHIMA ITA SAG Kalex +56.487  
19 32 ISAAC VIÑALES ESP SAG Kalex +56.528  
20 27 IKER LECUONA ESP INTERWETTEN Kalex +56.550  
21 89 KHAIRUL IDHAM PAWI ESP TEAM TADY Kalex +57.548  
22 6 TARRAN MACKENZIE ING KIEFER Suter +1:01.191  
23 10 LUCA MARINI ITA FORWARD Kalex +1:39.824  
  30 TAKAAKI NAKAGAMI JAP TEAM TADY Kalex NC  
  57 EDGAR PONS ESP PONS Kalex NC  
  40 FABIO QUARTARARO FRA PONS Kalex NC  
  9 JORGE NAVARRO ING GRESINI Kalex NC  
  5 ANDREA LOCATELLI ITA ITALTRANS Kalex NC  
  23 MARCEL SCHROTTER ALE INTACT Suter NC  
  54 MATTIA PASINI ITA ITALTRANS Kalex NC  
             
POLE MATTIA PASINI ITA ITALTRANS Kalex 1:33.300 171.6 km/h
VOLTA MAIS RÁPIDA BRAD BINDER RSA RED BULL KTM AJO 1:33.864 170.5 km/h
RECORDE ALEX DE ANGELIS RSA FORWARD Speed Up 1:32.814 172.5 km/h
MELHOR VOLTA TITO RABAT ESP MARC VDS Kalex 1:32.470 173.1 km/h
             
    Condições do tempo   PISTA SECA   ar: 16ºC | pista: 29ºC

#GALERIA(7220)

RITMO DE FESTA

PADDOCK GP CHEGA À EDIÇÃO 100 COM HISTÓRIAS IMPERDÍVEIS DE EDGARD MELLO FILHO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube