Mir coloca Assen como prazo final para definir futuro na MotoGP: “Preciso de opções”

Joan Mir espera ter muitas opções na mesa para definir o próximo passo na carreira. Para isso, colocou a etapa seguinte da MotoGP, na Holanda, como prazo para escolher o futuro

A temporada 2024 também está difícil para Joan Mir. Sem grandes resultados com a Honda e sempre nas últimas posições do grid da MotoGP, o campeão mundial de 2020 ainda não possui definição sobre o contrato do próximo ano e até mesmo admitiu que pode encerrar passagem pelo Mundial de Motovelocidade em breve.

Apesar de agora dizer que se sente melhor com a moto RC213V, Mir ainda sofre com o fraco desempenho da Honda e destacou que abandonou a corrida sprint em Mugello por excesso de vibrações no equipamento, dificultando a pilotagem. Agora, colocou a próxima etapa na Holanda, como prazo para definir o futuro.

“Em Assen provavelmente terei uma ideia mais claro do que desejo fazer. Preciso ter todas as opções sobre a mesa para tomar uma decisão, para apontar onde exatamente quero ir. E esse não é meu caso neste momento, não sei que caminho seguir. Vou esperar todas as ofertas na mesa e então escolher”, afirmou.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Joan Mir está na segunda temporada seguida com a Honda (Foto: Repsol)

Os resultados ruins da MotoGP parecem incomodar muito Mir. O espanhol possui contrato com a Honda até o fim da temporada atual, mas ainda não iniciou as conversas para renovar e não descarta até mesmo procurar outros times ou mesmo sair das pistas por conta da falta de performance, como disse em entrevista às vésperas do GP da Catalunha.

“Não resolvi. Se me perguntar o que vou fazer, não sei responder. Não sei se quero continuar com a Honda ou ir para outro fábrica. Não sei se quero pegar minhas coisas e ir para casa, é assim que me sinto. Na teoria, essa fábrica [Honda] é uma das mais premiadas do mundo, capaz de fazer uma das melhores motos, mas não sei em quanto tempo. E nem se tenho esse tempo”, afirmou o #36.

Alberto Puig, chefe da montadora japonesa no Mundial, não perdeu tempo e respondeu o espanhol. “Ele chegou por vontade própria e quando você decide fazer algo, você sabe quais as consequências. A Honda nunca forçou ninguém a ficar ou sair. Aqueles que querem sair, saem, e os que querem ficar, ficam”, destacou.

MotoGP volta a acelerar entre 28 de 30 de junho para o GP da Holanda, em Assen, com a 8ª etapa da temporada 2024. O GRANDE PRÊMIO faz a cobertura completa do evento, assim como das outras classes do Mundial de Motovelocidade durante todo o ano.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da MotoGP direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.