Kallio admite decepção por seguir como piloto de testes, mas celebra laço com KTM: “Me sinto realmente bem aqui”

Mika Kallio reconheceu que ficou desapontado por não ter conseguido voltar ao grid da MotoGP em tempo integral em 2018. Finlandês vai disputar cinco etapas como wild-card em 2018

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Piloto de testes da KTM, Mika Kallio admitiu que ficou desapontado por não ser promovido ao posto de titular na temporada 2018 da MotoGP. O finlandês chegou a ser uma ameaça para Bradley Smith
 
Titular na MotoGP pela última vez em 2010 quando correu pela Pramac, Kallio se juntou à KTM no fim de 2015 e foi o responsável por guiar a RC16 no GP da Comunidade Valenciana de 2016, estreia da marca austríaca na classe rainha do Mundial de Motovelocidade.
Mika Kallio admitiu decepção por seguir como piloto de testes (Foto: KTM)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Ao longo de 2017, Mika disputou quatro corridas ― Alemanha, Áustria, Aragão e Valência ―, e foi o responsável por conquistar no Red Bull Ring o primeiro top-10 da marca, além de somar outros quatro pontos no MotorLand.
 
Enquanto o piloto de testes se destacou, Smith enfrentou uma temporada difícil, totalmente ofuscado por Pol Espargaró, que somou 27 pontos mais e fechou o ano quatro posições à frente do britânico na classificação. 
 
 
Mantido como piloto de testes, Kallio vai voltar a fazer participações esporádicas em provas da MotoGP em 2018, escalado para cinco eventos: os GPs da Espanha, da Catalunha, da Alemanha da Áustria e de Aragão.
 
“Tiveram muitas conversas e rumores e agora todos sabem qual a situação. Vou continuar basicamente fazendo o mesmo trabalho que fiz nos últimos dois anos: como piloto de testes”, disse Kallio. “Ao mesmo tempo, mais uma vez vou fazer alguns wild-cards para eles”, comentou. 
 
“Todos sabiam qual era a minha meta, disse várias vezes ao longo do ano que gostaria de demonstrar minha habilidade e velocidade e que gostaria de voltar a ser um piloto de corrida. Isso não aconteceu, então, claro, fiquei desapontado, mas, ao mesmo tempo, orgulhoso de poder seguir com a KTM”, declarou. “Me sinto realmente bem aqui, conheço a fábrica, conheço o time e de certa forma foi bom que tenhamos encontrado um jeito de ficarmos juntos”, considerou. 
 
“Para o futuro, isso é algo que eu gostaria de fazer de qualquer forma. Não sei o que vai acontecer e, pelo menos, posso fazer algumas corridas no ano que vem, então está ok”, concluiu.
EM BUSCA DO SONHO DA F1

PIETRO FITTIPALDI REVELA QUE NEGOCIOU COM A SAUBER PARA 2018

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube