KTM peita Ducati no primeiro dia de treinos do GP da Estíria. Yamaha oscila

Correndo em casa, a marca de Mattighofen fechou a sexta-feira (21) na liderança no Red Bull Ring, mas embola com a Ducati no top-4. A Yamaha focou no ritmo de corrida, mas nem todo mundo saiu satisfeito

O GP da Áustria ainda segue vivo na memória, mas chegou a hora de voltar ao Red Bull Ring. Por conta da pandemia do novo coronavírus, a Dorna, promotora do Mundial, foi forçada a fazer mudanças na programação e, tal qual aconteceu mais cedo com Jerez de la Frontera, o traçado de Spielberg aparece de forma seguida no calendário.

Vencedora da corrida na semana passada, a Ducati, claro, saiu como favorita e liderou a manhã de treinos desta sexta-feira (21), mas na parte da tarde, a KTM fez valer o bom momento da RC16 e tratou de estabelecer a melhor marca por dia. Pol Espargaró cravou 1min23s638 e encerrou os trabalhos com 0s221 de vantagem para Jack Miller, que não conseguiu baixar o tempo registrado no TL1.

Maior vencedor do traçado projetado por Herman Tilke ― com três vitórias ―, Andrea Dovizioso ficou com o terceiro melhor tempo, com Miguel Oliveira aparecendo na sequência para empatar o jogo para a KTM. A marca austríaca, porém, ainda viu Brad Binder fechar o dia em décimo, enquanto Suzuki e Yamaha colocaram duas motos cada entre os dez melhores, contra uma da Honda, que tem apenas Takaaki Nakagami na parte de cima do ranking.

Pol Espargaró foi o mais rápido no Red Bull Ring (Foto: KTM)

“Começamos inclusive melhor do que no fim de semana passado”, disse Pol. “Estou muito próximo da minha melhor volta. Queria fazer já o warm-up e ir direto para a corrida”, brincou.

O piloto da moto #44 considerou que a evolução da RC16 é fruto de um conjunto de coisas, mas evitou se animar excessivamente, já que entende que o cenário da MotoGP não é o real por conta da ausência de Marc Márquez.

“Não fizemos uma moto nova, são coisas que foram se somando. Não sinto que mudamos muitas coisas para chegar nesse nível”, comentou. “Não quero ser negativo, mas o melhor piloto de todos não está aqui. Eu queria comparar essa moto com Marc na pista. Quero manter a calma e manter os pés no chão”, defendeu.

Segundo na tabela, Miller saiu satisfeito com o primeiro dia no Red Bull Ring, também por ter testado duas opções de pneus.

“Foi um bom primeiro dia. Nós fizemos um TL1 fantástico esta manhã, fomos muito rápidos. Fiz várias voltas, testamos os pneus médios de manhã e os macios de tarde. Estou satisfeito e pronto para amanhã”, assegurou Jack.

Andrea Dovizioso listou uma série de rivais pela vitória (Foto: Red Bull Content Pool)

Vencedor na semana passada, Dovizioso falou em um trabalho similar ao do GP da Áustria, mas elaborou uma longa lista de candidatos à vitória.

“É legal, mas sempre tem alguma coisa para fazer, especialmente porque os rivais são muito, muito fortes”, apontou. “No momento, acho que estamos em uma situação similar em relação aos pilotos que podem lutar pela vitória, pois as duas Suzuki, Pol, Oliveira, eu e Jack somos os pilotos com um pouco mais de ritmo do que os outros, mas acho que Nakagami é rápido e a Yamaha tem um pouco e altos e baixos, mas a situação ainda é muito similar à corrida, fora o trabalho com o pneu, pois depois da corrida todo mundo sabe mais da situação e todos estão um pouco mais focados no médio, só para entender e também porque a temperatura é muito alta”, listou.

Com Marc Márquez afastado por lesão, Nakagami tem sido a melhor Honda e fechou o dia em quinto, 0s266 atrás de Pol, torcendo para repetir o mesmo desempenho na classificação de sábado.

“Estou muito feliz com o primeiro dia”, comentou Takaaki. “O TL1 e o TL2 tiveram condições completamente diferentes. A temperatura subiu muito nesta tarde, a pista chegou perto dos 50°C. Foi uma sensação diferente da manhã para a tarde, mas no fim da sessão, senti que tinha um bom pacote e os tempos de volta foram bem consistentes. O time fez um trabalho muito bom e tomara que possamos manter essa performance de hoje para a classificação de amanhã”, completou.

Do lado da Yamaha, o dia teve lá seus altos e baixos. A sexta-feira começou com a notícia de que a casa de Iwata não vai abrir os motores da YZR-M1, já que não conseguiu fornecer a documentação necessária para convencer a MSMA (Associação das Fábricas de Motocicletas Esportivas) a dar aprovação unânime. Ainda assim, Lin Jarvis, diretor da equipe, se mostrou confiante em um resto de temporada livre de problemas, já que ajustes na configuração do motor devem ser suficientes para driblar o problema com as válvulas.

Na pista, Maverick Viñales foi o melhor colocado, com o oitavo tempo, 0s422 atrás do líder. O espanhol contou que tentou focar em melhorar o ritmo da semana passada, sem se preocupar com a posição na tabela de tempos.

“Tentamos trabalhar bastante no acerto para a corrida, pois da última vez sofremos muito em comparação com os treinos. No último domingo, eu realmente não tinha uma boa sensação, especialmente no início da corrida 2, então hoje estávamos tentando encontrar maneiras de sermos melhores e focando menos na nossa posição no treino”, contou. “Encontramos algumas coisas positivas. Ainda não estamos completamente onde queremos estar, mas pouco a pouco estamos avançando, e isso é o mais importante”, ponderou.

“Amanhã vamos nos preocupar em garantir uma vaga no Q2 e, no TL4, vamos trabalhar mais uma vez na preparação para a corrida”, explicou. “Aqui é muito importante começar na primeira fila. Na semana passada eu consegui a pole, e isso foi muito importante, então vamos ver o que precisamos para fazer isso outra vez ― estar na primeira fila é nosso principal objetivo para amanhã”, completou.

Companheiro de Yamaha, Valentino Rossi ficou com o 13º posto, 0s740 atrás do líder. O italiano até tentou buscar tempo, mas se viu atrapalhado pela temperatura.

Confira as melhores imagens da sexta-feira de treinos em Spielberg

Maverick Viñales e Valentino Rossi (Foto: Yamaha)

“O principal problema de hoje é que tentamos fazer um ataque à tabela esta tarde, mas o asfalto estava a mais de 50°C, e foi difícil melhorar o tempo de volta desta manhã. Fizemos só um tempo de ataque no TL2, pois estamos sempre no limite com a quantidade de pneus, assim como todo mundo”, comentou Rossi. “Esperamos uma sessão com pista seca amanhã no TL3. Normalmente, de manhã é um pouco mais frio, então você pode ser mais rápido. Amanhã de manhã será crucial tentar ficar no top-10. Vamos tentar!”, defendeu.

“Em relação ao meu ritmo, não estamos tão mal, mas como sempre, têm muitos pilotos que são muito fortes. Hoje nós trabalhamos para melhorar em comparação com a semana passada, mas não conseguimos encontrar algo que nos desse um rimo melhor”, completou.

Líder da classificação do campeonato, Fabio Quartararo viveu uma sexta-feira apagada e se mostrou até mesmo irritado com a performance. O francês ficou só com o 14º tempo, 0s743 atrás do líder.

“Hoje quase nada saiu bem. Na semana passada, a aderência foi ruim, mas hoje, com 15 voltas, parecia que o pneu já tinha 45. Eu me sinto bem com a moto, mas os outros têm mais ritmo e eu não consigo entender a origem dos problemas”, declarou Fabio. “Dovi está em melhor forma do que eu e marca bons tempos inclusive com os pneus usados. De manhã, tivemos problemas com os freios, assim como no ano passado. Estou sofrendo demais há três corridas e isso não é bom”, comentou.

“O rendimento das Suzuki é realmente impressionante. Eles têm mais velocidade final do que nós, freiam muito bem, enquanto eu tenho problemas para frear. Além disso, parece que eles controlam os pneus melhor do que eu, inclusive quando faço o melhor para economizar”, comparou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO? Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.
Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.
Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar