MotoGP

Márquez vê Dovizioso cair nas voltas finais, vence e faz história na casa da Honda com penta da MotoGP

Andrea Dovizioso bem que tentou, mas uma queda com duas voltas para o fim do GP do Japão encurtou o caminho de Marc Márquez rumo ao pentacampeonato da MotoGP com uma vitória neste domingo (21). Cal Crutchlow e Álex Rins completaram o pódio
Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
LEIA TAMBÉM
 Sempre precoce, Márquez entra no rol dos pentas e garante espaço entre maiores da MotoGP
➟ Márquez une razão e emoção em temporada irretocável e cria receita letal para título

Marc Márquez não deixou passar o primeiro match-point pelo título de 2018. Na casa da Honda, o #93 viu Andrea Dovizioso cair com duas voltas para o fim da corrida deste domingo (21) e garantiu de vez seu espaço na história do Mundial de Motovelocidade ao se tornar o mais jovem pentacampeão da história.
 
Tal qual tem acontecido nas últimas etapas, o GP do Japão viu mais um confronto entre Márquez e Dovizioso, mas, desta vez, a expectativa por uma disputa até os metros finais acabou frustrada por um tombo do #4 com duas voltas para o fim da corrida em Motegi.
 
Sem o rival da Ducati, Márquez tratou de seguir firme e forte para receber a bandeirada na casa da Honda com 1s573 de margem para Cal Crutchlow, que até tentou participar da brincadeira em Motegi, mas acabou sem ritmo para peitar os protagonistas de 2018.
Marc Márquez entrou de vez no rol dos maiores (Foto: Divulgação/MotoGP)
Álex Rins coroou a bela atuação da Suzuki neste domingo com um terceiro posto, à frente de Valentino Rossi, que começou a prova forte, mas acabou perdendo ritmo com o passar dos giros.
 
Álvaro Bautista bateu Johann Zarco pelo quinto posto, com Maverick Viñales superando Dani Pedrosa para ficar com a sétima colocação. Danilo Petrucci e Hafizh Syahrin completam o top-10.

 

Saiba como foi o GP do Japão de MotoGP:
 
O sol, enfim, apareceu em Motegi. Depois de dois dias nublados, o tempo melhorou na ilha de Honshü, elevando a temperatura ligeiramente neste domingo (21). Antes da largada, os termômetros apontavam 23°C, com o asfalto chegando a 35°C. 
 
Pela segunda vez em 2018 ― e a sétima na carreira ―, Andrea Dovizioso tinha a pole-position. Era, também, a terceira vez que o #4 saia na posição de honra do traçado japonês na classe rainha.
 
Pole no Japão no ano passado, Johann Zarco aparecia em segundo, seguido por Jack Miller. Cal Crutchlow abre a fila seguinte, seguido por Andrea Iannone. Igualando seu pior desempenho no ano ― registrado nas etapas da Argentina e da Itália ―, Marc Márquez tinha a sexta colocação, seguido por Maverick Viñales, Álex Rins, Valentino Rossi e Álvaro Bautista.
 
Como tradicionalmente acontece, os pilotos podiam escolher entre os pneus macios, médios e duros, com os compostos traseiros em versão assimétrica.
 
Na escolha dos pneus, a grande maioria dos pilotos optou por dianteiro médio, com Dovizioso, Zarco, Petrucci, Simeon, Bautista, Viñales, Miller, Redding e Torres indo de borracha macia. No traseiro, o médio foi quase unanimidade, com Abraham, Baustista, Nakagami, Aleix Espargaró, Miller, Pol Espargaró e Redding indo de macio.
 
A tão esperada largada enfim foi liberada em Motegi. Dovizioso não teve problema em manter a primeira colocação, enquanto Zarco e Miller tiveram um leve enrosco, com o francês balançando para cima do australiano.
 
Enquanto isso, Márquez fez boa saída, saindo da sexta colocação para saltar para terceiro. Crutchlow e Rins completavam o top-5 logo após a largada.
 
O titular da Honda, nem completada a primeira volta, conseguiu passar sem grandes problemas Jack, para assumir a segunda colocação. Agora, começava a caçada em cima de Andrea para tentar conquistar o título.
 
No fim da primeira volta, a ordem das coisas era Dovizioso, Márquez, Miller, Crutchlow, Rins,  Rossi, Zarco, Pedrosa, Iannone e Viñales.
 
O #4 mantinha uma distância segura do #93, mantendo o ritmo na ponta do pelotão. Crutchlow já era o terceiro colocado, tentando encostar em Márquez. Miller e Rossi completavam o top-5.
 
Com 20 voltas para a bandeira quadriculada, o trio da ponta estava bastante próximo, com Crutchlow e Miller, quarto e quinto colocados, também se mantendo próximos.
 
Até que, em uma linda passada, Crutchlow conseguiu ultrapassar Márquez para assumir o degrau intermediário do pódio. Enquanto isso, Rossi vinha escalando o pelotão, que agora já estava em quarto e entrando no embalo da briga pela ponta.
O titular da Ducati não diminuía o ritmo, completando volta rápida atrás de volta mais rápida. Enquanto isso, Valentino se aproximava de Marc, até que o espanhol aumentou o ritmo para aumentar a diferença para quase 1s.
 
Poucos metros mais para frente, Márquez foi para cima de Crutchlow, conseguindo quebrar a resistência do inglês para voltar para a segunda colocação. O piloto da LCR tentou dar o troco, sem sucesso. Mais para trás, Iannone e Rins também disputavam pela quinta colocação.
 
Com 17 voltas para o final, Dovizioso liderava, seguido por Márquez e Crutchlow no pódio. Rossi, Iannone, Rins, Miller, Zarco, pedrosa e Bautista completavam o top-10 daquele momento.
 
No pelotão da frente era visível dois grupos. O primeiro, composto por Dovizioso, Márquez e Crutchlow, os três ponteiros. O segundo, era de Rossi, Iannone e Rins, o quarto, quinto e sexto colocados, respectivamente.

Já haviam sido completadas dez voltas no Japão, até que a primeira queda foi reistrada em Motegi. Miller acabou indo ao chão e vendo sua prova terminar prematuramente. Instantes mais tarde, foi a vez de Abraham ir ao chão.
 
Andrea tentava se desvencilhar dos adversários, mas não conseguia abrir um respiro confortável. O italiano estava 0s142 de vantagem em cima de Márquez. Crutchlow também se aproximava do espanhol.
 
A situação do #4 começava a apertar cada vez mais. Até que, com 11 voltas para o final, o Marc enfim conseguiu engolir o adversário para assumir a ponta. Metros mais para a frente, a dupla acabou saindo do traçado e levantou poeira.
 
Com o deslize deles, Crutchlow viu a oportunidade de se aproximar do italiano e do espanhol, mas não conseguiu ultrapassar. Quem acabou levando a melhor foi Dovizioso, que deu o troco em cima de Márquez para reassumir a primeira colocação.
 
Quando protagonizava um belo embate com Rins, Iannone, sem surpresa nenhuma, acabou sofrendo uma queda. O piloto perdeu a frente da moto e foi ao chão, com a moto sendo destruída. Felizmente o italiano saiu andando sozinho.

A medida que a corrida se aproximava do fim, a dupla da ponta começava cada vez mais abrir distância para o restante do pelotão, estando 0s7 a frente de Crutchlow, o terceiro. Rins e Rossi completavam o top-5.
 
Na reta final, Marc estava perigosamente próximo de Andrea. Nas retas, o italiano se aproveitava da velocidade de reta da Desmosedici para tentar abrir, mas sem muito sucesso.
 
Com quatro voltas do fim, Márquez mais uma vez conseguiu tomar a ponta do titular da Ducati, assumindo a primeira colocação. Andrea tinha poucos giros para tentar frear o título precoce de Marc.

O #93 tentava abrir vantagem para o #4, mas ele seguia colado na Honda. Dovizioso tentou dar o bote na curva 11, mas sem sucesso. A vantagem do espanhol era de 0s161 na ponta.
 
Até que tudo estava encerrado. Com duas voltas para o final, Dovizioso fez o que não poderia: acabou sofrendo uma queda, deixando o caminho livre para colocar as mãos no título de 2018. Crutchlow e Rins completavam o pódio.

MotoGP 2018, GP do Japão, Motegi, final:

1 M MÁRQUEZ Honda 42:36.438 24 voltas
2 C CRUTCHLOW LCR Honda +1.573  
3 A RINS Suzuki +1.720  
4 V ROSSI Yamaha +6.413  
5 A BAUTISTA Ángel Nieto Ducati +6.919  
6 J ZARCO Tech3 Yamaha +8.024  
7 M VIÑALES Yamaha +13.330  
8 D PEDROSA Honda +15.582  
9 D PETRUCCI Pramac Ducati +20.584  
10 H SYAHRIN Tech3 Yamaha +24.984  
11 F MORBIDELLI Marc VDS Honda +25.931  
12 B SMITH KTM +26.875  
13 P ESPARGARÓ KTM +27.069  
14 K NAKASUGA Yamaha +32.550  
15 T NAKAGAMI LCR Honda +37.718  
16 X SIMEÓN Avintia Ducati +39.583  
17 J TORRES Avintia Ducati +39.839  
18 A DOVIZIOSO Ducati +42.698  
19 S REDDING Aprilia Gresini +49.698  
20 T LÜTHI Marc VDS Honda +52.707  
21 S GUINTOLI Suzuki +1:01.848  
22 A IANNONE Suzuki NC  
23 K ABRAHAM Ángel Nieto Ducati NC  
24 J MILLER Pramac Ducati NC  
25 A ESPARGARÓ Aprilia Gresini NC  
         
REC J LORENZO Yamaha 1:45.350 164.0 km/h
MV J LORENZO Yamaha 1:43.790 166.5 km/h