Mir segura pelotão em corrida movimentada no Catar e conquista vitória na abertura da temporada 2017 da Moto3

Joan Mir foi impecável neste domingo (26) e conquistou a segunda vitória da carreira em uma corrida para lá de movimentada. John McPhee ficou com o segundo posto, à frente de Jorge Martín. Arón Canet e Romano Fenati completam um top-5 dominado pela Honda

A Moto3 começou a temporada 2017 com o pé direito. Mantendo a tradicional, a corrida deste domingo (26) foi disputada de ponta a ponta, com Joan Mir conseguindo uma estratégia certeira para segurar os rivais nos metros finais e garantir a segunda vitória da carreira no Mundial.
 
Pole-position, Jorge Martín esteve no páreo por toda a corrida, mas Mira pereceu forte desde o início e não se deixou abater em uma prova que chegou a ter 13 pilotos em condições de vencer.
Joan Mir venceu na abertura da temporada (Foto: Kiefer)
A classificação do Mundial de Motovelocidade após o GP do Catar

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Na volta final, o #36 conseguiu se afastar o suficiente para impedir John McPhee de usar os efeitos do vácuo e garantiu a vitória com 0s135 de margem. Martín, por sua vez, ficou com o terceiro posto.

 
Arón Canet escalou o pelotão e recebeu a bandeirada em quarto, à frente de Romano Fenati, que fecha um top-5 dominado pela Honda.
Andrea Migno batalhou duro pela vitória, mas só conseguiu o sexto posto, quebrando o domínio da KTM no topo da tabela. Niccolò Antonelli vem logo atrás.
 
Fabio Di Giannantonio também fez uma boa corrida e recebeu a bandeirada na oitava colocação, seguido por Marcos Ramírez. Adam Norrodim completa o rol dos dez melhores.
 
Saiba como foi o GP do Catar de Moto3:
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

O radar meteorológico não trazia uma mensagem de paz e amor, mas a chuva que caiu pouco antes do warm-up não voltou a dar as caras em Losail. No início da noite catari, os termômetros marcavam 22°C, com o asfalto chegando a 24°C. O vento soprava no sentido norte a uma velocidade de 16 km/h.
 
 
No 71º GP da carreira, Philipp Oettl tinha a segunda colocação, à frente de Romano Fenati, que estreou no Mundial com um segundo lugar em Losail em 2012.
 
Para a corrida deste fim de semana, a Dunlop levou os pneus dianteiros macios e médios e traseiros macios ‘S1’ e médios ‘M1’. A fornecedora também levou compostos de chuva ao Catar a pedido da organização do Mundial. No que diz respeito a escolha de pneus, apenas Danilo e Guevara apostaram pela borracha macia na frente, com os demais optando por uma combinação de pneus médios.
 
No momento em que as luzes se apagaram na reta de Losail, Martín tracionou bem e manteve a liderança, à frente de Oettl e Antonelli. Mir pulou para o quarto posto, à frente de Bendsneyder, Migno, Guevara, Fenati, Canet e Ramírez.
John McPhee garantiu a segunda colocação em Losail (Foto: British Talent Team)
Ainda no primeiro giro, Mir começou a escalar o pelotão e passou Oettl por dentro para assumir a segunda colocação, logo reduzindo a ligeira vantagem de Martín na liderança.
 
Antonelli tentou um ataque na curva um, mas Oettl vinha bem posicionado para defender. Migno aparecia na quinta colocação, à frente de Guevara, Fenati, Canet e Ramírez.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Perseguindo Martín, Mir conseguiu abrir uma vantagem discreta em relação a Oettl, que vinha pressionado por um respeitável pelotão. 
 
No fim do segundo giro, Mir usou o vácuo para passar Martín e entrar primeiro na curva um. O piloto da Aspar apresentou resistência pouco depois, mas Joan se manteve na frente. Enquanto isso, Migno vinha encostando, aparecendo em terceiro, à frente de Oettl, Antonelli, Canet, Guevara, Fenati, Ramírez e Sasaki.
 
Na reta, Migno deu o bote perfeito e bateu a esquadra espanhola para assumir a liderança. Sem muita demora, Mir devolveu a gentileza com uma ultrapassagem por dentro e recuperou o comando. 
 
No terceiro giro, Bo Bendsneyder sofreu uma queda na curva seis ao ser tocado por Livio Loi. Mesmo mancando, o holandês levantou a moto e voltou para a pista.
 
De novo na reta principal, o vácuo entrou em cena e facilitou a volta de Martín ao topo da tabela, agora à frente de Oettl, Mir, Migno, Guevara, McPhee, Antonelli, Fenati, Canet e Di Giannantonio. Com 14 voltas pela frente, o top-13 seguia colado.
 
Instantes mais tarde, Albert Arenas se despediu da prova com uma queda na curva 7, mas não se feriu com seriedade.
 
Na abertura do giro seguinte, Mir mudou a linha para pular na ponta na curva um, seguido por Martín, Oettl, McPhee, Migno e Guevara. Nono, Di Giannantonio era o mais rápido na pista.
Jorge Martín completou o pódio neste domingo (Foto: Gresini)
Com um bom vácuo, McPhee lançou um ataque e conseguiu pular para a liderança no fim da reta, mas logo foi superado por Mir, que recuperou o comando da disputa. Oettl era terceiro.
 
Antes de fechar o giro, Oettl passou McPhee e, na sequência, deixou Mir para trás, assumindo a liderança da disputa. Colado no pelotão, Guevara usou a receita do vácuo para pegar a ponta pouco depois. Oettl, por outro lado, acabou tendo de escapar da linha e caiu para a oitava colocação.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Mir se recompôs rapidamente e retomou o segundo posto, mas levou o troco de McPhee quase que de imediato. O piloto da Kiefer insistiu e voltou a colar em Guevara, que seguia na ponta, sem conseguir escapar. O top-13 seguia unido, com muitos pilotos se agrupando no fim da reta.
 
No fim do nono giro, McPhee chegou a aparecer de relance na liderança, mas Migno conseguiu pegar a posição na entrada da primeira curva e se afastar ligeiramente. Mir era terceiro, à frente de Martín, Fenati, Di Giannantonio, Guevara, Canet, Antonelli e Oettl.
 
Na próxima volta, foi Mir quem conseguiu saltar para a ponta, com Martín subindo para segundo antes de pular para a ponta alguns metros adiante. Enquanto isso, Fenati ia discretamente se aproximando do topo da tabela.
 
Na entrada da reta, Mir retomou a ponta, mas McPhee tomou o comando na curva 1. Martín era terceiro, agora pressionado por Canet.
 
Com sete voltas para o fim, Mir passou McPhee e recobrou a liderança. Martín seguia em terceiro, à frente de Canet e Di Giannantonio, que também vinha em boa exibição.
 
De novo na reta, o vácuo fez sua mágica, ajudando Di Giannantonio a assumir a ponta pela primeira vez, com Fenati em segundo. O #5 logo conseguiu passar para o comando, com Mir vindo em terceiro.
 
Com seis giros para o fim, Oettl caiu e levou Guevara junto, mas conseguiram voltar para a pista. Ainda assim, o tombo na curva 6 tirou os dois da briga pelo pódio.
 
Alheio ao revés dos rivais, Mir saltou para a ponta mais uma vez, mas apenas brevemente, já que Martín se instalou em primeiro mais uma vez. Di Giannantonio vinha tem terceiro, pressionado por Fenati.
 
Na abertura da volta seguinte, Mir conseguiu se manter na ponta, segurando Fenati. McPhee era o terceiro, à frente de Canet, Martín, Di Giannantonio e Migno.
 
Na passagem seguinte pela reta catari, Canet subiu para segundo para liderar a caçada a Mir, que seguia firme na ponta. McPhee caiu para terceiro, com Fenati e Migno fechando o top-5.
 
Ainda com o pelotão bem unido, Mir conseguiu abrir 0s376 de margem na liderança com três voltas para o fim, mas os rivais não pareciam ter jogado a toalha.
 
Canet logo tratou de cortar a margem do titular da Kiefer, trazendo Fenati e McPhee junto. Na entrada da curva um, Canet assumiu a ponta, mas o troco de Joan veio metros depois, com McPhee aproveitando para pegar o segundo posto. 
 
Na entrada da volta final, McPhee colou em Mir e passou, deixando o #36 para se defender de Canet. Martín era o terceiro, a frente de Fenati e Migno.
 
Mais adiante, Mir passou McPhee por dentro e retomou a liderança, se afastando ligeiramente para tentar anular o vácuo nos metros finais. Uma tática que deu certo até a bandeirada.

Moto3, GP do Catar, Losail, corrida:
1 36 JOAN MIR ESP KIEFER Honda 38:27:364
2 17 JOHN MCPHEE ING BRITISH TALENT TEAM Honda +0.135
3 88 JORGE MARTÍN ESP GRESINI Honda +0.218
4 44 ARÓN CANET ESP ESTRELLA GALICIA 0,0 Honda +0.252
5 5 ROMANO FENATI ITA ONGETTA Honda +0.453
6 16 ANDREA MIGNO ITA VR46 KTM +0.579
7 23 NICCOLÒ ANTONELLI ITA RED BULL KTM AJO +0.661
8 21 FABIO DI GIANNANTONIO ITA GRESINI Honda +0.878
9 42 MARCOS RAMÍREZ ESP WORLDWIDE KTM +1.693
10 7 ADAM NORRODIN MAL SIC Racing Team Honda +7.904
11 71 AYUMU SASAKI JAP SIC Racing Team KTM +12.221
12 11 LIVIO LOI BEL KIEFER Honda +16.748
13 40 DARRYN BINDER RSA WORLDWIDE KTM +16.786
14 8 NICOLÒ BULEGA ITA VR46 KTM +16.821
15 24 TATSUKI SUZUKI JAP SIC58 Honda +16.832
16 33 ENEA BASTIANINI ITA ESTRELLA GALICIA 0,0 Honda +16.943
17 95 JULES DANILO FRA ONGETTA Honda +27.583
18 41 NAKARIN ATIRATPHUVAPAT TAI TEAM ASIA Honda +27.638
19 27 KAITO TOBA JAP TEAM ASIA Honda +28.034
20 84 JAKUB KORNFEIL TCH SAXOPRINT Peugeot +28.150
21 6 MARÍA HERRERA ESP ARGIÑANO & GINÉS KTM +28.379
22 96 MANUEL PAGLIANI FRA CIP Mahindra +28.388
23 48 LORENZO DALLA PORTA ITA ASPAR Mahindra +29.520
24 14 TONY ARBOLINO ITA SIC58 Honda +54.344
25 12 MARCO BEZZECCHI ITA CIP Mahindra +1:09.769
  64 BO BENDSNEYDER HOL RED BULL KTM AJO NC
  4 PATRIK PULKKINEN FIN SAXOPRINT Peugeot NC
  58 JUANFRAN GUEVARA ESP RBA Mahindra NC
  65 PHILIPP OETTL ALE SCHEDL GP KTM NC
  75 ALBERT ARENAS ESP ASPAR Honda NC

 

#GALERIA(6969)

PADDOCK GP #70 FAZ PRÉVIA DE ABERTURA DAS TEMPORADAS DE F1 E MOTOGP E LEMBRA PACE

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

A classificação do Mundial de MotoGP após o GP de San Marino

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube