MotoGP agradece Catar e põe pilotos como garotos-propaganda da vacinação

Carmelo Ezpeleta ressaltou a boa relação com o governo do Catar e avaliou que os pilotos podem servir de exemplo para os mais jovens sobre a importância da vacinação

Tech3, agora toda laranja, divulga vídeo com detalhes da preparação para pré-temporada no Catar (Vídeo: Tech3)

Diretor-executivo da Dorna, promotora da MotoGP, Carmelo Ezpeleta acredita que a vacinação dos pilotos pode incentivar outras pessoas a aderirem a campanha pelos imunizantes. Na semana passada, os integrantes do paddock tomaram a primeira dose da vacina na Pfizer no Catar.

O país do Oriente Médio recebeu todos os testes da pré-temporada e vai ser palco das duas primeiras corridas do ano: os GPs do Catar e de Doha. Assim, os membros do paddock tomaram a primeira dose de vacina durante a pré-temporada e vão receber a segunda quando retornarem ao país para as corridas.

Ezpeleta agradeceu o governo do Catar pela vacinação (Foto: Reprodução)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Em um comunicação divulgado à imprensa, Ezpeleta explicou que a vacinação foi possível graças à boa relação com o governo do Catar.

“Desde 2004, o Catar é parte do Mundial de Motovelocidade e, desde 2007, é o primeiro GP do ano. Virou uma tradição e todos ficam felizes de começar aqui! Este ano, graças ao fato de a relação entre o governo e a Dorna sempre ter sido fantástica, e por causa da situação e da dificuldade de irmos para o GP das Américas, decidimos propor às autoridades do Catar a organização de duas corridas consecutivas em Losail e fazer todos os testes aqui”, disse Carmelo. “Isso foi importante para a família da MotoGP. Aí o governo do Catar, onde o programa de vacinação vai muito bem, nos ofereceu a oportunidade de vacinar o paddock, o que é incrível para nós. Toda a família da MotoGP aprecia muito isso. Quero aproveitar essa oportunidade para dizer obrigado ao governo do Catar”, declarou.

De acordo com as informações divulgadas pelo Ministério de Saúde Pública, o Catar vacinou até o último dia 7 mais de 327 mil pessoas, o que corresponde a 10% da população. A OMS (Organização Mundial da Saúde) indica que o país tem 169.767 casos confirmados de Covid-19 e 265 mortes em decorrência do novo coronavírus.

“Durante 2020, seguimos protocolos muito importantes para manter uma bolha entre as pessoas no paddock da MotoGP, que são um número reduzido em relação a 2019, mas que nos permitiu ter uma temporada segura no ano passado”, recordou. “Agora, o governo do Catar está nos oferecendo a oportunidade de sermos vacinados, mas cada individuo decide se vai aceitar ou não. A vasta maioria das pessoas aceitou, e nós estamos muito felizes com isso. Algumas pessoas, por razões diferentes, não podem. Mas estamos muito felizes, pois essa vacinação nos permite aumentar a segurança e diminuir a contaminação. É muito importante para a segurança, claro, no Catar, mas também nos outros GPs. A família da MotoGP, a ampla maioria, estará vacinada”, comentou.

Por fim, Ezpeleta considerou que os pilotos podem servir de exemplo para que a população geral também tome a vacina.

“Nossos pilotos são pessoas muito populares, especialmente com a geração mais jovem. Eles são muito cuidadosos com a saúde deles e tomam suas decisões para serem os mais fortes que puderem, evitando infecção. Demonstramos no ano passado com a nossa bolha que é possível trabalhar ao redor do mundo com poucos casos e, mesmo esses, espero que com a vacinação sejam reduzidos. Acho que é um modelo importante para a sociedade e, graças ao Catar, podemos mostrar ao mundo o quão importante é que todos os nossos heróis sejam vacinados”, encerrou.

LEIA TAMBÉM
Bastianini, Martín e Marini: os novatos da MotoGP em 2021

https://open.spotify.com/episode/56EWZtjjXZerTSc5mEGdpr?si=dXJwGloaQQ6ZEGdY1gUInQ&nd=1

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube