MotoGP chega definida ao Japão, mas com motivos de sobra para ver fim de 2019

Marc Márquez já selou a temporada 2019 da MotoGP ao conquistar seu hexacampeonato. Mas sem saber quem vai ser o vice-campeão, quem fica com o título do Mundial de Equipes e até mesmo se Jorge Lorenzo consegue o primeiro top-10 de 2019, sobram motivos para acompanhar o Mundial de Motovelocidade até a última etapa

Marc Márquez é o hexacampeão de 2019. Certamente essa afirmação não pega ninguém de surpresa, pois na temporada da MotoGP o espanhol brilhou e se sobressaiu de tal forma que se colocou com glórias entre os maiores não só da Motovelocidade, não só do esporte a motor, mas também entre os esportistas em atividade.
 
O titular da Honda teve campanha tão espetacular neste ano – foram 14 top-2 em 15 corridas, sendo nove vitórias, que alcançou o título com quatro etapas de antecedência. Então, caro leitor, deve se perguntar o motivo de acompanhar até o final o Mundial de Motovelocidade, e te trago neste texto alguns bons motivos para tal.
 
E com um domínio tão impressionante, que colocou o #93 ainda mais no olimpo do esporte, realmente fica difícil encontrar motivos para acompanhar o que ainda resta da classe rainha. Mas a primeira resposta pode estar até mesmo dentro da Honda.
 
Enquanto Márquez já somou nada menos que 325 pontos na classificação – são 105 tentos de respiro para o segundo colocado Andrea Dovizioso, Jorge Lorenzo, seu companheiro, aparece apenas em 19º da tabela com 23, muito por conta das corridas perdidas pela forte lesão que sofreu em Assen e pela dificuldade de se adaptar a RC213V.
Quem fica com o vice-campeonato de 2019? (Foto: Ducati)

Então, com uma dupla tão destoante e de extremos, a equipe japonesa pode não conseguir o título do Mundial de Equipes, já que está na segunda colocação com 19 pontos atrás da Ducati – o bom desempenho de sua dupla de pilotos até mesmo rendeu elogios do diretor executivo do time italiano. Resta ver se vai conseguir tirar a diferença até Valência para conseguir a tríplice de títulos de 2019.
 

Outra disputa que também vale a pena ficar de olho é de quem vai encerrar a temporada como o vice-campeão. Três nomes aparecem com força na disputa, com Dovizioso saindo na dianteira com um triunfo e sete pódios, mas sendo seguido de perto por Álex Rins, que já venceu duas provas, teve três top-3 e é o terceiro colocado com 167 pontos. Quase nada atrás aparece Maverick Viñales, melhor colocado da Yamaha ao ficar na quarta colocação, com uma vitória e seis pódios.
 
E ao falar sobre a fábrica de Iwata, Fabio Quartararo merece menção honrosa no texto. Em sua estreia na MotoGP, o francês tem se mostrado extremamente promissor e talentoso, mesmo pilotando uma moto com menos potência na equipe satélite – apenas dois pontos o separam de Valentino Rossi na classificação.
 
O ano do piloto é tão notável que já conseguiu quatro pole-positions e subiu três vezes ao pódio. Entretanto, ainda não teve o doce sabor da vitória, chegando a brigar com Marc até a última volta em duas corridas, mas ser ultrapassado na última curva. Esperamos então para vez se finalmente consegue seu primeiro triunfo até o final do ano.
Quartararo vence a primeira da temporada? (Foto: SIC)
E se Lorenzo já foi citado no início do texto, volta a aparecer, pois é outro competidor que merece que fiquemos de olho. Contratado pela Honda para formar o grande ‘dream team’ da MotoGP, tem deixado a desejar na temporada, com um 11º lugar como melhor resultado. Resta então ver se até Valência consegue seu primeiro top-10 da temporada – feito já alcançado por exemplo Stefan Bradl, piloto de testes da equipe japonesa e que disputou quatro corridas em 2019.
 
Caso nenhum dos motivos acima ainda o tenham convencido de seguir com o Mundial, pense bem, pois no calendário ainda resta a prova do GP da Austrália. Phillip Island, com seu belo cenário e ótimo circuito, sempre rende corridas divertidas e bastante disputadas, justificando qualquer esforço feito para acordar de madrugada para assistir.
 
Ainda sobram algumas histórias que também chamam a atenção, como qual vai ser o desempenho de Johann Zarco no lugar de Takaaki Nakagami na LCR, se a Aprilia vai conseguir entrar nos trilhos e qual vai ser o campeão da Moto2 e Moto3. Mas todas as questões só serão respondidas se assistir a temporada até o final.
 

Paddockast #37
GRANDES RIVALIDADES INTERNAS 

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube