MotoGP vê Viñales na frente em dia de pouco sol e Ducati dominante na chuva em Misano

Em dia de pouco sol e muita chuva, a MotoGP chamou a atenção pela performance surpreendente de Maverick Viñales no piso seco, pelo domínio da Ducati na chuva e pelas dificuldades da Yamaha no piso molhado

O primeiro dia de treinos para o GP de San Marino e da Riviera de Rimini não foi lá dos mais conclusivos. A MotoGP encontrou pouco sol e muita chuva, o que trouxe contrastes interessantes nesta sexta-feira (17) em Misano. No treino da manhã, quando a maior parte da atividade foi em pista seca, Maverick Viñales ditou o ritmo. De tarde, quando a sessão foi toda com o asfalto encharcado, a Ducati viu três pilotos no top-3, enquanto a Yamaha sofreu.

Por conta da chuva na atividade vespertina, Viñales fechou o primeiro dia em Misano com o melhor tempo. Mas isso não significa muita coisa. Afinal, o espanhol treinou no traçado de San Marino no início do mês, então tem uma certa vantagem inicial em relação aos rivais.

Maverick Viñales rodou com a RS-GP pela primeira vez na chuva (Foto: Aprilia)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

“Estou especialmente satisfeito por ter encontrado boas sensações logo de cara”, disse o piloto que estabeleceu em 1min32s666 o melhor tempo do dia. “Tendo testado aqui, estou claramente mais preparado do que em Aragão, mas ainda estamos falando de uma nova moto e uma nova equipe, então vamos manter os pés no chão. Mas é reconfortante saber que tenho o ritmo e a velocidade, mesmo que no molhado, uma situação na qual nunca guiei a Aprilia”, ressaltou o pai da pequena Nina, que fez o 17º tempo no molhado.

“Também estamos melhorando em termos de como trabalhamos na garagem. A equipe está me conhecendo e entendem quais mudanças são as certas para atender as minhas necessidades”, contou. “É um processo e estamos encarando com calma, sem cair em euforia. O que eu quero é encontrar consistência, encontrar uma boa base para trabalhar para que possamos ser consistentemente rápidos”, frisou.

Apenas 0s080 mais lento do que o líder, Joan Mir fez o segundo melhor tempo em Misano e celebrou o bom início, mas lamentou o pouco tempo de pista seca. Os pilotos tiveram cerca de 33 minutos sem chuva nesta manhã.

“Estou bem, é importante completar uma sexta-feira assim. Sempre começamos um pouco atrás, mas começar bem nos permite começar com o trabalho um pouco adiantado amanhã”, comentou Mir. “Gostaria de ter tentado o pneu macio e rodado um pouco mais no seco, mas não deu nem para nós e tampouco para os rivais”, comentou.

Joan Mir torce por corrida no seco (Foto: AFP)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

O líder do Mundial, porém, ficou mais animado ao ver a performance apagada de Fabio Quartararo no molhado. O líder do Mundial ficou apenas na 18ª colocação.

“Na água, parece que Fabio não tem a mesma velocidade que no seco. É verdade que uma corrida na chuva pode nos beneficiar, mas também perdemos muito”, ponderou Joan. “Um zero nosso ou de Pecco [Bagnaia] nos deixaria sem opções, e no molhado muitas coisas podem acontecer. Acho que no seco podemos conseguir um bom resultado. Jogaremos nossas cartas nas condições que forem e vamos tentar apertar Fabio”, avisou.

Vindo de vitória em Aragão, Francesco Bagnaia assegurou a terceira colocação no combinado dos treinos, com 1min32s801, 0s135 mais lento que Viñales. No molhado, o italiano ficou com o segundo melhor tempo, já 0s553 mais lento que Johann Zarco.

“Nosso primeiro dia aqui em Misano foi positivo: sabíamos que a nossa moto funciona muito bem aqui, e o fato de tanto eu quanto Jack termos sido muito rápidos desde o início prova isso”, avaliou Pecco. “Além disso, três Ducati foram as mais rápidas no TL2 no molhado. Infelizmente, a chuva não nos permitiu tentar algumas importantes mudanças no acerto, mas, tomara que o clima melhore amanhã”, falou.

“Depois do temporal de hoje, a pista estará muito mais limpa amanhã, e nós tivemos muita aderência no molhado, mas tive um pouco mais de dificuldade no seco, por causa da areia trazida pela chuva de quarta à noite. Tomara que possamos encontrar as condições certas para tentar melhorar outra vez no TL3 de amanhã de manhã”, acrescentou.

Francesco Bagnaia ficou entre os ponteiros em Misano (Foto: AFP)

VEJA TAMBÉM
Fatos e curiosidades sobre o GP de San Marino e da Riviera de Rimini de MotoGP
Como fica o grid da MotoGP para a temporada 2022?

Companheiro do italiano, Jack Miller foi terceiro na chuva, mas fechou o dia com o quarto melhor tempo, 0s193 mais lento do que Viñales.

“Hoje nós conseguimos rodar em diferentes condições de pista e estou muito feliz, pois, tanto no seco quanto no molhado, conseguimos ter um bom ritmo imediatamente”, celebrou. “De manhã, eu esperava uma pista lenta depois da chuva de quarta à noite, que trouxe areia, mas conseguimos ser muito rápidos imediatamente e fazer um bom tempo com os pneus médios no TL1”, apontou.

“Esperava fazer um long-run no seco nesta tarde, mas não foi possível. Só que também fiz um bom tempo no molhado. Agora temos de seguir trabalhando assim. Sabemos onde ainda podemos trabalhar, então estou confiante para a classificação de amanhã”, declarou.

Líder do Mundial, Fabio Quartararo fechou o dia com o sétimo melhor tempo, com 1min33s024. A performance no molhado, porém, foi o que chamou atenção, já que o francês de Nice ficou só em 18º, mais de 2s1 atrás do ponteiro.

Performance de Fabio Quartararo na chuva não foi das melhores (Foto: AFP)

“Quando você olha para a minha posição, parece que eu não progredi nada no molhado, mas considerando as minhas sensações com a moto, dei um pequeno passo. Melhorei meu tempo de volta no fim do TL2, mas não fiz nenhum dos meus melhores setores na minha volta mais rápida, então existe margem de melhora”, disse Fabio. “Acho que daremos outro passo trabalhando nesta direção, o que vai melhorar um pouco o acerto”, somou.

“De manhã, no seco, a sensação não foi boa com o macio dianteiro, que não é o meu pneu preferido de qualquer forma, e ainda assim não ficamos longe da ponta”, apontou. “Isso é positivo. Já sabemos no que queremos melhorar, já tentamos isso logo de cara na segunda saída no TL2 Não vai levar muito tempo, pois sabemos quais passos dar. É importante seguir nessa direção para resolvermos o que está errado”, defendeu.

A largada para o GP de San Marino e da Riviera de Rimini de MotoGP está marcada para as 9h (de Brasília) de domingo (19). O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2021.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar