MotoGP

Pilotos evitam polêmica, mas admitem que rivais podem desenvolver versões próprias do defletor da Ducati

A investigação contra a Ducati e seu defletor usado no Catar foi tema na coletiva de imprensa desta quinta-feira (28). Os pilotos comentaram sobre o caso, admitindo que as fábricas devem desenvolver os próprios dispositivos

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
A Ducati esteve no centro das atenções nas últimas semanas. Com a decisão da investigação sendo favorável para a equipe italiana, os pilotos das demais fábricas comentaram na coletiva de imprensa desta quinta-feira (28), então, que é possível que as demais fábricas tenter reproduzir o defletor.
 
No Catar, a esquadra de Borgo Panigale apresentou um dispositivo na moto com o intuito de resfriar o pneu. Entretanto, KTM, Honda, Aprilia e Suzuki afirmaram que fugia do regulamento, abriu uma apelação formal. Após dias de deliberação, a decisão saiu e o time pode manter a peça na Desmosedici.
 
Ao falar sobre o caso, Marc Márquez afirmou que sua equipe deve estar estudando o ‘spoiler’ para ver se seria positivo coloca-lo na moto. “Não sei, mas conheço a Honda e eles com certeza estão tentando analisar e entender qual a função específica, onde pode melhorar com isso”, falou.
 
“Tenho certeza que todas as fábricas vão tentar, quando alguém tenta... Mas acho que esse ‘spoiler’ não deve dar muitos décimos”, seguiu.
No destaque, o polêmico defletor da Ducati (Foto: Ducati/ Arte: Rodrigo Berton)
Álex Rins também deu seu parecer, dizendo que seria natural as demais equipes copiaram, mas que ele pessoalmente não sentiu diferenças no desempenho de Dovizioso. “Como Marc disse, quando uma moto tenta uma coisa diferente, todas as outras tentam também”, apontou.
 
“Sinceramente, terminei em quarto no Catar, fiz a corrida com o Dovi com esse spoiler, não senti muita diferença, apenas na reta, mas talvez seja por outra razão”, completou.
 
Por fim, foi a vez de Valentino Rossi comentar o caso, apesar de ressaltar o bom desempenho da Ducati já de alguns anos. “Nos últimos anos, a Ducati sempre foi forte e competitiva. Então acho que é inteligente tentar entender seu caminho. Talvez o ‘spoiler’ seja uma dessas coisas, por que não? Mas não sei o que vai acontecer no futuro conosco.”
 
O italiano também falou sobre como a Yamaha foi a única a não se envolver na apelação, reconhecendo desconhecer o motivo. “Sinceramente falando, não acompanhei muito o problema”, apontou.
 
“Não sei, tem que falar com a Yamaha. De qualquer maneira, temos nossas questões pessoais. Temos que pensar que nós precisamos nos concentrar, trabalhar e tentar ser mais forte. Esse é o mais importante”, encerrou.