Por público, MotoGP espera medidas sanitárias para definir GPs fora da Europa

Diretor-executivo da Dorna, Carmelo Ezpeleta reconheceu que seria bom correr fora da Europa, mas destacou que as provas de Estados Unidos, Argentina, Malásia e Tailândia seguem indefinidas

A MotoGP já tem um calendário para a temporada 2020. Ou parte dele, pelo menos. O Mundial de Motovelocidade divulgou nesta quinta-feira (11) uma programação de 13 etapas, mas segue pendente o destino das quatro provas fora da Europa que ainda não foram canceladas: os GPs das Américas (EUA), da Argentina, da Tailândia e da Malásia.

Carmelo Ezpeleta voltou a defender que é importante a presença de público para realizar essas etapas, mas explicou que nem todas essas corridas acontecerão.

Pela nova programação, os circuitos de Jerez, Red Bull Ring, Misano, Aragão e Valência vão acolher duas etapas cada, enquanto Brno, Barcelona e Le Mans sediarão provas únicas.

Tailândia é uma das corridas de maior público da temporada (Foto: Divulgação)
Paddockast #64 | OS PILOTOS MAIS SUBESTIMADOS DA HISTÓRIA
Ouça também: PODCASTS APPLE | ANDROID | PLAYERFM

“Foi um trabalho duro do nosso lado e dos promotores. No fim, conseguimos essas possibilidades. Quando tivemos o protocolo aprovado, então conseguimos propor este calendário. A princípio, temos alguns circuitos onde vamos repetir corridas uma semana após outra, porque é mais fácil para nos movermos e para manter o protocolo, embora tenham outros onde teremos só uma corrida”, disse Ezpeleta. “Quando nos deparamos com o problema da pandemia, pensamos em fazer 13 corridas e aí, se possível, sair da Europa seria interessante. Essas corridas fora da Europa precisam ser confirmadas antes do fim de julho. Aí, nosso acordo com as fábricas e os times é terminar o campeonato até 13 de dezembro, o que significa que precisamos decidir que corridas fazer, se todas elas forem possíveis. Isso é algo que vamos colocar no calendário como uma proposta e vamos decidir até o final de julho”, explicou o dirigente catalão de 64 anos.

“Nós precisamos esperar, pois, como disse antes, para fazer as corridas fora da Europa, é necessário ter os espectadores. Nós estamos esperando para ver o desenrolar das medidas sanitárias em outros países ― Estados Unidos, Argentina, Malásia e Tailândia ―, e aí vamos ver o que é possível incluir no calendário”, apontou.

O diretor-executivo da Dorna não descartou a possibilidade de a temporada ser encerrada na Malásia. “Vamos ver. É uma possibilidade, mas todas as corridas fora da Europa estão pendentes e não sabemos exatamente. Se não fizermos corridas fora da Europa, então o campeonato vai terminar em Valência como em todos os anos. Do contrário, depende de quais corridas poderemos fazer, mas a Malásia é uma possibilidade, sim”.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO? Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.
Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.
Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube