Rabat relembra dor e susto com hemorragia e promete ouvir médicos antes de voltar às pistas

Em uma coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (3), Tito Rabat manifestou o desejo de voltar à MotoGP o mais rápido possível. O piloto da Avintia também lembrou a dor e o susto com a hemorragia no momento do acidente

Tito Rabat ainda está se recuperando do sério acidente que sofreu em Silverstone, mas já sonha em voltar à MotoGP. O piloto da Avintia, no entanto, prometeu seguir à risca as orientações médicas.
 
Nesta segunda-feira (3), Rabat concedeu uma coletiva de imprensa no auditório do Hospital Universitário Quirón-Dexeus, em Barcelona, onde dá sequência ao tratamento.
 
Tito Rabat voltou para a Espanha na sexta-feira acompanhado pelo Dr. Ángel Charte (Foto: Quirón-Dexeus)

Rabat acabou sofrendo fraturas em fêmur, tíbia e fíbula da perna direita e precisou ser submetido a uma cirurgia ainda no Hospital de Coventry. Tito foi transferido para Barcelona no último dia 31, onde foi submetido a novos exames, mas os médicos espanhóis classificaram o trabalho dos cirurgiões ingleses como “exemplar”.

 
A corrida em Silverstone, aliás, acabou sendo cancelada, já que as condições de pista não era seguras o bastante sob chuva. Desde o recape total do asfalto, o traçado passou a apresentar problemas de drenagem, um fator que contribuiu no acidente de Tito.
 
Acompanhado pelos médicos Ángel Charte, Xavier Mir e Ignacio Ginebreda, Rabat deixou claro o desejo de voltar a correr, mas sem estipular prazos.
 
“Vou fazer tudo que os médicos disserem. A prioridade é me recuperar o mais cedo possível”, falou Tito. “No fim, eles que mandam a partir da evolução que a perna apresentar”, seguiu.
 
Responsável pelo atendimento de membros inferiores do Hospital Universitário Quirón-Dexeus, Ginebreda também evitou prazos, mas afirmou que o tratamento foi planejado para que a volta às pistas aconteça o mais cedo possível.
 
“Tito vai se recuperar o mais cedo possível, mas não me atrevo a dar uma data de retorno”, disse Ginebreda. “Teremos de avaliar o momento em que ele subirá na moto e os riscos que isso representa. Previmos uma série de atuações para acelerar a consolidação. Ele pode subir na moto antes de as fraturas estarem totalmente consolidadas, mas sempre temos de avaliar os riscos existentes”, frisou.
 
Ainda, Tito falou do momento do acidente e contou que pretende rever a maneira como reage após uma queda.
 
“O pior foi a dor, que praticamente não me deixou dormir”, contou. “Não pensei em perder a perna em momento nenhum, embora a tenha visto retorcida como um ‘S’. Eu perdia muito sangue e me assustei”, relatou.
 
“A partir de agora, toda que vez cair vou olhar para trás. Naquele momento, vi que Rins estava me alertando para que saísse de lá e vi que a moto de Franco vinha muito rápido na minha direção”, recordou. “Por sorte, eu estava de pé, porque, do contrário, teria sido muito pior”, completou.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube