MotoGP

Ramírez sobrevive à corrida tumultuada e vence pela primeira vez na Moto3. Canet é 2º na Catalunha

Marcos Ramírez conquistou neste domingo (16) sua primeira vitória na Moto3. Em uma corrida para lá de tumultuada, o #42 aproveitou uma queda de Kaito Toba nos metros finais para receber a bandeirada com 0s119 de vantagem para Arón Canet, o segundo colocado. Celestino Vietti completa o pódio

Grande Prêmio / JULIANA TESSER, de São Paulo / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
As corridas da Moto3 normalmente são bem movimentadas, mas a deste domingo (16) ultrapassou todos os limites. Em um GP da Catalunha para lá de tumultuado, Marcos Ramírez conseguiu sobreviver aos muitos incidentes e recebeu a bandeirada na frente para sua primeira vitória no Mundial de Motovelocidade.
 
Dono da pole, Gabriel Rodrigo até tracionou bem na largada, mas foi Tony Arbolino quem entrou na curva um na primeira posição. Pouco depois, Lorenzo Dalla Porta tomou a liderança.
 
Como sempre acontece, a corrida da Moto3 foi uma prova de pelotão, mas, desta vez, o GP de Catalunha teve toques de drama. Ainda na quarta volta, por exemplo, Dalla Porta teve de abandonar a corrida por conta de um problema com a Honda.
 
Pouco depois, na curva 4, Can Öncü sofreu uma queda e, tal qual uma bola de boliche, arrastou uma verdadeira multidão com ele: Albert Arenas, Sergio Garcia, Vicente Pérez, Raúl Fernández e Filip Salac.
Marcos Ramírez venceu pela primeira vez na Moto3 (Foto: Reprodução)
Alguns giros mais tarde, foi Tony Arbolino quem teve problemas com a Honda e despencou no pelotão. Depois, já com oito voltas para o fim, Jaume Masià, que vinha com chances até de assumir a liderança do Mundial, caiu na curva 2 depois de um toque com Darryn Binder.
 
Apesar das muitas ocorrências, inclusive entre os ponteiros, o pelotão seguiu unido, com margens mínimas separando os 16 primeiros com quatro giros para o fim. Nas voltas finais, Kaito Toba tomou a liderança e abriu uma pequena janelinha em relação ao grupo, entrando no último giro com 0s154 de margem para Arón Canet.
 
Ainda no primeiro trecho da pista, a diferença desapareceu, mas o #27 conseguiu defender a liderança. Ao menos por um tempo, já que caiu pouco depois, entregando a vitória nas mãos de Marcos Ramírez.

Líder do Mundial, Canet tirou proveito máximo dos muitos lances de azar de seus adversários na briga pelo título e conquistou o segundo posto, à frente de Celestino Vietti, que largou apenas em 21º.
 
Alonso López ficou com a quarta colocação, à frente de Dennis Foggia e Ai Ogura. Romano Fenati conquistou a sétima posição, seguido por Ayumu Sasaki e o wild-card Ryusei Yamanaka. Jakub Kornfeil completa a lista dos dez primeiros.

Com o resultado do tumultuado GP catalão, Canet abriu 23 pontos de frente na liderança do Mundial. Dalla Porta tem o segundo posto, seguido por Antonelli, Vietti, Masià e Arbolino.
Paddockast #22
O que torna uma corrida de qualquer categoria legal? E chata?



Saiba como foi o GP da Catalunha de Moto3:
 
O domingo em Montmeló amanheceu com mais um dia de sol. Às vésperas da largada, os termômetros marcavam 23°C, com o asfalto chegando a 39°C. A velocidade do vento era de 8 km/h.
 
Pela quarta vez na carreira, Gabriel Rodrigo tinha a pole-position, a primeira desde o GP do Japão do ano passado. O argentino é o sétimo piloto diferente a sair na ponta do grid nas primeiras sete corridas deste ano, o que não acontecia na classe menor desde que os recordes começaram a ser coletados em 1974.
 
Ai Ogura aparece em segundo, em sua melhor classificação na Moto3. Vencedor do GP da Itália, Tony Arbolino vem na sequência, à frente de Tatsuki Suzuki. Líder do Mundial, Arón Canet tem a quinta colocação e é a melhor KTM no grid.
 
Largada autorizada em Barcelona, Rodrigo conseguiu fazer boa saída e manter a primeira colocação. Entretanto, alguns metros para frente Arbolino deu o boné e ficou em primeiro, com Canet e Suzuki logo depois. Gabriel caiu para sétimo.
O pelotão da ponta estava bastante colado e com as posições mudando. Apesar de Tony manter o primeiro posto, Dalla Porta era o segundo. Enquanto isso, Tatsuki registrava o primeiro tombo da prova.
 
Pouco depois, Dalla Porta superou Arbolino e se tornou o novo líder da corrida. Canet, Arbolino, Rodrigo e Ramírez completavam o top-5 do momento.
 
Com 19 voltas para a bandeira quadriculada, o #48 mantinha a ponta com um respiro de 0s171 para o segundo colocado, Canet. Arbolino, Ramírez, McPhee, Rodrigo, López, Binder, Garcia e Arenas completavam os cinco primeiros.
 
Até que uma reviravolta foi vista na ponta do pelotão. Lorenzo acabou apresentando um problema em sua moto e precisou encostar e abandonar a corrida. Melhor para Ramírez, que se tornou o novo líder, com Rodrigo logo depois.
 
Então, com a corrida movimentada na ponta, com López, Rodrigo, Ramírez, Binder e Canet nas cinco primeiras posições, um grande acidente envolvendo diversos pilotos foi visto um pouco mais para trás no pelotão.
 
Entre os pilotos envolvidos estava Andrea Migno, o que caiu com mais violência. O piloto foi ao chão e rodou diversas vezes na caixa de brita antes de, enfim, parar. Pérez, Salac, Öncü, Fernández, Garcia e Arenas eram os outros nomes. Pouco depois, a direção de prova indicou que o incidente estava sendo investigado.
Can Öncü caiu na curva 4 e levou vários pilotos com ele (Foto: Reprodução)
Seis pilotos brigavam pela primeira colocação de forma bastante próxima. Rodrigo era quem aparecia na ponta, mas Binder, Canet, López, Ramírez e Arbolino estavam bastante próximos do argentino.
 
Binder vinha no primeiro posto, mas acabou cometendo um erro e caiu apenas para a décima colocação, mostrando como o pelotão da ponta estava bastante próximo. Com isso, era López o primeiro, com McPhee e Ramírez fechando o pódio.
 
Masià e López começaram a protagonizar uma emocionante briga pela liderança. Os pilotos estavam constantemente trocando de posições na ponta do pelotão, com Jaume levando a melhor com 12 voltas para o fim.
Arbolino, que reapareceu na primeira colocação na fase final da disputa, acabou apresentando um erro, abriu demais em uma curva. Com isso, caiu para o fundo do pelotão, entregando de bandeja o primeiro posto para Masià.
 
A corrida entrou nas últimas dez voltas e tudo ainda estava em aberto no circuito catalão. Rodrigo era o primeiro, mas tinha uma vantagem mínima de 0s074 para Binder, o segundo. López, McPhee e Ogura eram os próximos.
 
Mas as coisas mudavam rapidamente em Barcelona, com o #19 caindo apenas para terceiro, sendo superado pelo McPhee e Binder. López, Masià, Ogura, Ramírez, Antonelli, Sasaki e Toba eram o top-10.
 
Mais um tombo era registrado na prova. No pelotão da frente, foi a vez de Masià ir ao chão na curva 2. Ali acabava de forma precipitada a corrida do piloto. O competidor foi tocado por Binder, e o incidente estava sob investigação.
O pelotão da frente estava registrando diversas quedas. Com sete giros para a bandeira quadriculada, foi a vez de Masaki, que estava dentro do top-10, ir ao chão na curva 11. O japonês tocou a traseira de Ramírez.
 
A ordem na pista era Toba, López, Antonelli, Rodrigo, Ramírez, Binder, McPhee, Canet, Vierge e Ogura.
 
Tudo aberto com três voltas para o encerramento. Toba seguia em primeiro, com Rodrigo, López, Binder, McPhee, Canet, Ramírez, Vierge, Fernández e Foggia completando o top-10 do momento.
 
Yamanaka, Tatay e Yurchenko, no final do pelotão, se envolveram em um incidente, com o último levando a pior e caindo.
 
Enquanto isso, nas primeiras posições, uma verdadeira reviravolta. Rodrigo e Binder acabaram se envolvendo em um acidente na curva 10, com a dupla indo ao chão e encerrando sua corrida com uma volta para o fim.
 
Com isso, a ordem nas primeiras colocações era Toba, López, Canet, Ramírez e McPhee cravando o top-5.

As coisas estavam mudando de forma insana na ponta do pelotão. Quando liderava Kaito acabou indo ao chão, perdendo a primeira posição. Com isso, a primeira vitória caiu no colo de Ramírez, com Canet e Vierge completando o pódio.

Moto3 2019, GP da Catalunha, Montmeló, Final:

1 M RAMÍREZ Leopard Honda 38:36.156 21 voltas
2 A CANET MAX KTM +0.119  
3 C VIETTI VR46 KTM +0.146  
4 A LÓPEZ Estrella Galicia 0,0 Honda +0.235  
5 D FOGGIA VR46 KTM +0.947  
6 A OGURA Asia Honda +1.008  
7 R FENATI Snipers Honda +1.068  
8 A SASAKI SIC HONDA +1.358  
9 R YAMANAKA Estrella Galicia 0,0 Honda +1.984  
10 J KORNFEIL Prüstel KTM +2.472  
11 N ANTONELLI SIC58 Honda +2.729  
12 C TATAY Fundación Andrea Pérez 77 KTM +2.980  
13 J MCPHEE SIC HONDA +3.264  
14 T BOOTH-AMOS CIP KTM +11.120  
15 D BINDER CIP KTM +18.467  
16 K MASAKI RBA KTM +21.845  
17 R ROSSI Gresini Honda +39.997  
18 V PEREZ Avintia KTM +54.306  
19 T SUZUKI SIC58 Honda +1:00.726  
  K TOBA Asia Honda NC  
  G RODRIGO Gresini KTM NC  
  M YURCHENKO RBA KTM NC  
  J MASIÀ Worldwide KTM NC  
  T ARBOLINO Snipers Honda NC  
  F SALAC Prüstel KTM NC  
  A MIGNO Worldwide KTM NC  
  C ÖNCÜ Red Bull KTM Ajo NC  
  R FERNANDEZ Ángel Nieto KTM NC  
  S GARCIA Estrella Galicia 0,0 Honda NC  
  A ARENAS Ángel Nieto KTM NC  
  L DALLA PORTA Leopard Honda NC  
         
VMR K TOBA Asia Honda 1:48.803 153.0 km/h
REC J MASIÀ Worldwide KTM 1:49.005 152.8 km/h
MV A CANET MAX KTM 1:48.433 153.6 km/h
         
  Condições do tempo PISTA SECA   ar: 25ºC | pista: 41ºC



Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.