Rossi aprova novo chassi e minimiza divergência de opinião com Viñales: “Ele pensa que essa é a Yamaha”

Valentino Rossi elogiou e se disse mais confortável com o chassi testado pela Yamaha em Montmeló na segunda-feira. Italiano minimizou a diferença de opinião com Maverick Viñales e destacou que o espanhol não conhece a evolução da YZR-M1 já que vem de outra marca

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Valentino Rossi saiu satisfeito com a evolução da Yamaha no teste coletivo realizado na segunda-feira em Barcelona. Incomodado com a performance da YZR-M1 nas curvas desde o início do ano, o #46 avaliou que o novo quadro representa um passo à frente neste segmento, embora ainda não resolva o problema de desgaste do pneu traseiro.
 
A Yamaha levou dois chassis para serem testados em Montmeló. Rossi testou um na segunda-feira, enquanto Maverick Viñales ficou responsável por provar o outro. Nesta terça, o time de Iwata segue no traçado catalão para um exercício privado e os pilotos vão inverter as peças.
Valentino Rossi elogiou o novo chassi desenvolvido pela Yamaha (Foto: Yamaha)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

“Nós sempre tivemos dificuldade com essa moto nas curvas, para entrar nas curvas. Nunca estou muito confortável. 100%”, disse Rossi. “Então hoje nós tivemos um chassi um pouco diferente. A Yamaha sempre trabalha muito neste ponto de vista. E é melhor. Eu gosto. Eu prefiro a moto deste jeito. É mais fácil. Melhor para o meu estilo”, seguiu.
 
“Para mim, a moto vira um pouco melhor e eu entro na curva mais rápido. Então este é o caminho. Você pode ser mais preciso e é também mais divertido de guiar”, destacou. “Alguns problemas persistem, como o estresse no pneu traseiro que, de qualquer forma, é grande em uma pista como esta. Então temos de continuar. Tentar melhorar. Amanhã será outro dia aqui. Temos algumas outras coisas para tentar, então espero continuar assim”, torceu.
 
Estreante na Yamaha, Viñales segue preferindo o chassi de 2017, mas também teve problemas de performance em Jerez e Barcelona, duas corridas que foram vencidas por Rossi no ano passado.
 
O piloto de Tavullia lembrou que Maverick segue como o líder do Mundial, mas avaliou que o espanhol não entende a mudança na performance de curva da Yamaha por vir de outra moto.
 
“Sabe, no fim, Maverick foi rápido e ele continua gostando [do chassi de 2017]. E ele é o cara com mais pontos. Então tenho de falar mais sobre mim. Estou vindo de outra história”, falou. “Maverick não tem nenhuma história com a Yamaha, vindo da Suzuki, e ele pilota assim, porque ele pensa que é a Yamaha”, apontou. 
 
“Mas, para mim, como conheço mais a evolução da moto, acho que perdemos alguma coisa com a versão de 2017”, frisou. “Ontem ele também teve problemas, mas acho que ele pode ser rápido de qualquer maneira”, opinou.
 
Questionado sobre o efeito da ausência da Yamaha no teste realizado em Montmeló no mês passado na performance do time no GP da Catalunha, Rossi respondeu: “Nem tudo veio disso, mas perder o teste foi um problema, sim”.
 
Rossi fechou teste coletivo de Montmeló com o décimo tempo, 1s5 atrás de Marc Márquez, que liderou os trabalhos após uma última saída para marcar tempo.

#GALERIA(7082)
 

A NOVA F1 SE APROXIMA MAIS DA INDY. E ÁUDIO EM MÔNACO É PROVA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube