Rossi vê “momento um pouco difícil” e admite: “Temos de ser mais rápidos”

Depois de abandonar o GP do Japão por causa de uma queda na curva 1, Valentino Rossi reconheceu que vive um “momento um pouco difícil”. Italiano considerou que precisa ser mais rápido para poder lutar por posições melhores

O GP do Japão foi mais uma decepção para Valentino Rossi. Em um fim de semana em que a Yamaha mostrou um bom ritmo, o #46 acabou ficando para trás e, depois de largar apenas em décimo, abandonou a corrida com quatro voltas para o fim por causa de uma queda na curva 1. 
 
Falando à imprensa após a corrida em Motegi, Rossi reconheceu que teve uma “corrida difícil” e que lhe faltou ritmo.
 
“Tive uma largada ruim, não na primeira curva, mas depois disso eu fiquei no meio do caos e perdi tempo”, disse Rossi. “Meu ritmo não era bom o bastante para ganhar posições rapidamente. Consegui recuperar algumas, mas não era muito forte”, seguiu.
 
“Em algumas voltas, o meu ritmo não era tão ruim, mas todo mundo era rápido, então ficou muito difícil desafiar vindo de trás”, ponderou.
Valentino Rossi (Foto: Yamaha)
Paddockast #38
CORRIDAS POLÊMICAS DA HISTÓRIA DA FÓRMULA 1

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Perguntado sobre a queda na curva 1, Rossi admitiu que erro, mas não soube precisar a falha, já que ainda não tinha analisado os dados da corrida.
 
“Ainda não vi os dados, mas acho que cometi um pequeno erro no final, na curva 1, e caí. Foi uma corrida difícil”, resumiu.
 
O fim de semana em Motegi viu uma série de mudanças para Rossi. Além de abandonar algumas atualizações desenvolvidas pela Yamaha, o italiano também modificou sua forma de frear, mas, mesmo vendo evolução, reconheceu que não é rápido o bastante.
 
“Acho que desta vez eu fui mais forte em comparação com as duas últimas corridas, mas eu comecei muito atrás. Meu potencial era para estar com [Álex] Rins [sétimo] e [Cal] Crutchlow [quinto], eu tinha o mesmo ritmo deles”, comentou. “Meu ritmo era bem constante no final, então, por isso, estávamos indo melhor. Mas, de qualquer forma, é um momento um pouco difícil, pois nas últimas corridas nós não somos rápidos o bastante. Não temos a velocidade que queremos”, frisou.
 
“Temos de ser mais rápidos para podermos lutar por posições melhores”, completou.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube