Viñales aproveita acidente e quebra sequência de poles de Márquez na MotoGP em Aragão. 23 dias após fratura, Rossi é 3º

Maverick Viñales aproveitou uma queda de Marc Márquez e conquistou em Aragão sua quinta pole-position na temporada 2017 da MotoGP. Jorge Lorenzo colocou a Ducati no segundo posto, com Valentino Rossi conquistando um heroico terceiro lugar

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Difícil encontrar alguém que tenha acertado o palpite para a primeira fila do grid de Aragão. Invicto nos últimos quatro anos, Marc Márquez caiu na reta final da sessão e viu Maverick Viñales conquistar a posição de honra no grid com uma bela volta de 1min47s635.

O piloto da Honda apareceu como principal desafiante à pole, mas sofreu uma queda com pouco mais de dois minutos para o fim. 23 dias após fraturar a perna direita em um acidente de enduro, Valentino Rossi foi o primeiro a destronar o líder do Mundial, mas mal teve tempo de celebrar.
 
Viñales logo apareceu 0s180 melhor e assumiu a posição da ponta, com Jorge Lorenzo vindo na sequência para se colocar à frente do multicampeão por 0s080.
Maverick Viñales quebrou a sequência de poles de Márquez em Aragão (Foto: Michelin)

Cal Crutchlow também acertou sua última volta e garantiu o direito de abrir a segunda fila, à frente de Márquez. Dani Pedrosa também vem fazendo um bom fim de semana e ficou em sexto.

 
Vice-líder do Mundial, Andrea Dovizioso fez uma sessão de classificação discreta e ficou apenas em sétimo, seguido por Aleix Espargaró e Álvaro Bautista. Andrea Iannone fecha a lista dos dez primeiros.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Um dos destaques do GP de San Marino e da Riviera de Rimini, Danilo Petrucci não conseguiu uma boa performance e vai sair apenas em 16º. Companheiro do italiano na Pramac, Scott Redding ficou com o 12º lugar.

Pressionado pela presença de Mika Kallio no grid, Bradley Smith voltou a chamar a atenção pela performance fraca. Enquanto o piloto de testes da KTM avançou direto para o Q2, o britânico ficou com o penúltimo tempo no Q1 e, assim, vai largar apenas em 23º.

Rotineiramente melhor que o #38, Pol Espargaró também não conseguiu bater o piloto de testes da marca austríaca e vai sair em 14º. O finlandês, por sua vez, sofreu uma queda no fim do Q2 e ficou com o 12º lugar.

 

Viñales segura dupla da Honda e lidera TL4. Rossi é 16º

 
Com o sol reinando em Alcañiz, o quarto treino livre da MotoGP começou com a temperatura mais alta do fim de semana. Quando os pilotos entraram na pista, os termômetros marcavam 22°C, com o asfalto chegando a 36°C. A velocidade do vento também tinha aumentado e estava em 14 km/h.
 
Apagado no treino anterior, Lorenzo começou a sessão no topo da tabela, 0s271 à frente de Baz. Aleix, Rossi e Rins vinham na sequência.
 
Ainda nos primeiros instantes da sessão, Bautista sofreu uma queda na curva 15, mas escapou ileso.
 
A terceira volta deste quarto treino, Rossi foi o primeiro a baixar de 1min50s, se instalando na ponta, 0s082 melhor que Folger, que tinha acabado de voltar do hospital após passar por exames por conta do tombo desta manhã. Lorenzo era terceiro, seguido por Crutchlow e Márquez.
 
Rossi, então, tratou de baixar sua marca mais uma vez. Com um par de pneus médios, o italiano foi a 1min49s888, 0s152 melhor que Lorenzo, o segundo colocado. Márquez era sexto, com Pedrosa em décimo, Dovizioso em 12º e Viñales em 20º.
 
Com cerca de dez minutos de treino, Márquez sofreu uma queda, a primeira do fim de semana e a 21ª da temporada. O espanhol, porém, não se feriu com gravidade no incidente da curva três.
 

Enquanto isso, Lorenzo se juntou a Rossi na casa de 1min49s e assumiu a ponta, apenas 0s018 à frente do ex-companheiro de Yamaha.
 
Crutchlow também se acidentou e teve de debater com os fiscais para conseguir pegar a RC213V de volta na curva um. 
 
Com 1min49s422, Aleix colocou a Aprilia no topo da tabela, 0s244 melhor que Pedrosa. Lorenzo, Rossi e Pol formavam o top-5.
 
Sem demora, porém, Pedrosa acabou com a graça da Aprilia e devolveu a Honda ao topo, 0s162 à frente de Aleix.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Na metade da sessão, o top-10 era formado por Pedrosa, Aleix, Lorenzo, Rossi, Pol, Folger, Crutchlow, Redding, Miller e Dovizioso.
 
Depois de alguns minutos, os pilotos voltaram à pista. Com um par de pneus médios, Iannone saltou para o terceiro posto, 0s492 mais lento que Pedrosa. Fazia tempo que o #29 não aparecia tão forte em um fim de semana.
 
Recuperado da queda, Crutchlow também avançou na tabela. Com 1min49s818, o britânico subiu para o quarto posto, 0s558 atrás de Dani. O britânico tinha um pneu médio na frente e um duro atrás, mesma combinação de Rossi, por exemplo.
 
Usando a borracha macia na traseira, Lorenzo avançou para o segundo posto, 0s155 mais lento que o líder. Pol Espargaró, de médios, apareceu em seguida 0s128 melhor que o #99 para se instalar em segundo, apenas 0s027 atrás de Dani.
 
Pouco depois, Karel Abraham chegou a 1min49s455 e assumiu o quinto posto, 0s459 mais lento que Pedrosa, que também baixou sua marca, chegando a 1min48s.
 
Com um pneu duro na traseira da RCV, Márquez fez 1min49s285 e saltou para o segundo posto, 0s289 mais lento que o companheiro de equipe. Pol era o terceiro, à frente de Lorenzo e Aleix.
 
Estreando o sistema de comunicação por mensagem, a Yamaha avisou Viñales que ele estava sendo seguido por Márquez. O #25 logo abriu caminho para o rival. Maverick, aliás, vinha bem atrás na tabela, mas a informação do time de Iwata era de que ele trabalhava com pneus bem desgastados.
 
Já com o cronômetro zerado, Pedrosa chegou a 1min48s805 para manter a ponta, mas acabou surpreendido por Viñales, que virou 0s096 melhor. 0s034 mais lento que o companheiro de Honda, Márquez ficou em terceiro, à frente de Pol, Folger, Lorenzo, Aleix, Abraham, Dovizioso e Crutchlow. Rossi ficou em 16º.
 
Lorenzo domina Q1 e avança à fase seguinte acompanhado por Zarco
 
Como ficou estabelecido pelo resultado combinado dos primeiros três treinos livres, a primeira fase da classificação teve a presença de Zarco, Barberá, Petrucci, Abraham, Lowes, Smith, Rins, Miller, Pol, Redding, Rabat, Baz, Folger e Lorenzo.
23 dias após fratura, Valentino Rossi vai largar na primeira fila (Foto: Michelin)
Quando todos os 14 pilotos completaram a primeira volta rápida, foi Lorenzo quem apareceu na ponta, 0s395 à frente de Miller o segundo colocado. No terceiro posto, Abraham estava a 0s136 da linha de corte.
 
Na passagem seguinte, Jorge se manteve na ponta, mas sem conseguir melhorar, já que perdeu tempo na parcial final de Aragão. Abraham, porém, tinha saltado para o segundo posto, deixando Miller a 0s107 da vaga na fase seguinte. O tcheco fez a volta usando a referência de Lorenzo.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Com pouco mais de seis minutos para o fim, todos entraram nos boxes em busca de novos pneus. Lorenzo liderava, com Abraham, Miller, Pol, Zarco, Petrucci, Barberá, Folger, Rins e Smith formando o top-10.
 
No retorno à pista, Lorenzo tentou entrar sozinho e conseguiu driblar Abraham, mas acabou saindo do pit-lane escoltado por Petrucci. O espanhol, então, cedeu passagem para o italiano, que foi embora sem olhar para trás.
 
Miller logo conseguiu recuperar o terceiro posto, se colocando a 0s128 da marca que mantinha Lorenzo no topo da tabela. Zarco, porém, apareceu na sequência, 0s009 melhor, e ficou com a posição. Pol também melhorou, mas ficou em quarto.
 
Com a bandeira quadriculada tremulando no circuito de Teruel, ninguém conseguiu bater Lorenzo, que avança para o Q2 acompanhado por Zarco. Assim, Miller larga em 13º, seguido por Pol, Abraham, Petrucci, Baz, Folger, Barberá, Rins, Rabat, Redding, Smith e Redding.
 
Viñales crava pole e Rossi surpreende no terceiro lugar
 
Aprovados no Q1, Lorenzo e Zarco se juntaram a Márquez, Viñales, Pedrosa, Bautista, Kallio, Dovizioso, Aleix, Crutchlow, Iannone e Rossi para a fase final da classificação.
 
Quando todos completaram a primeira volta rápida, foi Lorenzo quem apareceu na ponta, 0s150 melhor que Márquez, o segundo. Iannone, Kallio e Pedrosa vinham na sequência.
 
Sem demora, Márquez tomou a ponta de Lorenzo por uma diferença de 0s325, com Pedrosa saltando para o terceiro posto, seguido por Kallio, Iannone e Aleix. A marca do #93, aliás, foi a primeira em 1min47s.
 
Viñales, então, se colocou em segundo, 0s179 atrás do ponteiro. Rossi aparecia em décimo, à frente de Dovizioso e Zarco.
 
Assim como aconteceu na fase anterior, os pilotos seguiram todos para os boxes na metade do treino. Márquez, Viñales, Lorenzo, Pedrosa, Crutchlow, Kallio, Iannone, Aleix, Bautista e Rossi formavam o top-10.
 
Sem muita demora, todos voltaram para a pisa para o ataque final à pole-position.
 
Rossi, então, cravou 1min47s815 e assumiu a pole, com Crutchlow pulando para segundo. Pouco depois, Viñales bateu o #46 por 0s180.
 
Com pouco mais de dois minutos para o fim, Márquez caiu e se despediu de uma impressionante sequência de poles em Aragão.
 
Na sequência, Lorenzo assumiu segundo posto, 0s100 atrás de Viñales.
 

#GALERIA(7195)

MotoGP, GP do Aragão, MotorLand, Classificação:

1 25 MAVERICK VIÑALES ESP YAMAHA 1:47.635  
2 99 JORGE LORENZO ESP DUCATI 1:47.735 +0.100
3 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA 1:47.815 +0.180
4 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA 1:47.830 +0.195
5 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:47.963 +0.328
6 26 DANI PEDROSA ESP HONDA 1:48.107 +0.472
7 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA DUCATI 1:48.137 +0.502
8 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP APRILIA 1:48.159 +0.524
9 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP ASPAR DUCATI 1:48.187 +0.552
10 29 ANDREA IANNONE ITA SUZUKI 1:48.289 +0.654
11 5 JOHANN ZARCO FRA TECH3 YAMAHA 1:48.402 +0.767
12 45 SCOTT REDDING ING PRAMAC DUCATI 1:48.471 +0.836
12 36 MIKA KALLIO FIN KTM 1:49.389 +1.754
13 43 JACK MILLER AUS MARC VDS HONDA 1:48.307 +0.672
14 44 POL ESPARGARÓ ESP KTM 1:48.387 +0.752
15 17 KAREL ABRAHAM RTC ASPAR DUCATI 1:48.467 +0.832
16 9 DANILO PETRUCCI ITA DUCATI 1:48.908 +1.273
17 76 LORIS BAZ ESP AVINTIA DUCATI 1:48.911 +1.276
18 94 JONAS FOLGER ALE TECH3 YAMAHA 1:49.034 +1.399
19 8 HECTOR BARBERÁ ESP AVINTIA DUCATI 1:49.052 +1.417
20 42 ÁLEX RINS ESP SUZUKI 1:49.258 +1.623
21 53 TITO RABAT ESP MARC VDS HONDA 1:50.919 +3.284
23 38 BRADLEY SMITH ING KTM 1:50.919 +3.284
24 22 SAM LOWES ING APRILIA 1:51.076 +3.441
             
RECORDE JORGE LORENZO ESP YAMAHA 1:48.120 169.0 km/h
MELHOR VOLTA MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:46.635 171.4 km/h
             
    Condições do tempo   PISTA SECA   ar: 18°C | pista: 23ºC

’SOLDADINHO’ DA PENSKE?

CASTRONEVES TEM FALTA DE TÍTULO COMO MANCHA NA CARREIRA  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube