MotoGP

Viñales segura Márquez, encerra jejum da Yamaha e vence na Holanda. Rossi cai

Maverick Viñales não deixou escapar a melhor chance da Yamaha no ano e tratou de encerrar a seca ao bater Marc Márquez para conquistar a quinta vitória com a casa de Iwata. Dono da pole, Fabio Quartararo ficou com o último posto do pódio. Valentino Rossi caiu ainda na quinta volta

Grande Prêmio / JULIANA TESSER, de São Paulo / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
Depois da decepção da Catalunha e das boas corridas de Moto3 e Moto2, a MotoGP largou pressionada a fazer um bom espetáculo. E se é verdade que não foi o corridão do ano passado, também é justo dizer que a prova fez esteve a altura de Assen. Além do mais, a tradição foi mantida, e Maverick Viñales tratou de recolocar a Yamaha no topo do pódio.
 
Na largada, o destaque ficou por conta da Suzuki, já que Álex Rins saiu muito bem para tomar a ponta, com Joan Mir surpreendendo ao pegar o segundo posto. O #42 se manteve no comando nos primeiros giros, mas, na quarta volta, caiu, entregando a liderança para o jovem companheiro de equipe. O espanhol não deu conta do recado e foi engolido pela concorrência, com Fabio Quartararo, o dono da pole, aparecendo para assumir a ponta.
 
Viñales, então, não segurou Márquez, que passou a pressionar Fabio, que vinha defendendo bem a ponta. Até a 11ª volta, porém. O piloto da SIC, entretanto, recuperou a ponta num erro do #93 na Magijk, a segunda curva, enquanto Viñales ia tentando quebrar a resistência de Marc. 
Maverick Viñales venceu pela primeira vez no ano (Foto: Yamaha)
Na 15ª volta, Viñales aproveitou a primeira perna da Geert Timmer para tomar o segundo posto Márquez e formar uma dobradinha da Yamaha. No giro seguinte, Maverick engoliu Quartararo e tomou a liderança. Metros adiante, foi o #93 quem colocou o francês para escanteio.
 
Depois de 2 anos e meio de espera, o confronto entre Viñales e Márquez vinha se desenhando. No entanto, o #12 errou na curva 1 e escancarou a porta para a passagem do líder do Mundial. Maverick se recompôs rápido e tratou de tomar a ponta outra vez. 
 
Uma vez no comando, Maverick apertou o passo e tratou de abrir vantagem. Sem rivais diretos na briga pelo título, Márquez acalmou e passou a controlar a corrida para receber a bandeirada em segundo.
 
Quartararo, por sua vez, não conseguiu acompanhar os ponteiros. Com os pneus mais desgastados e também sofrendo os efeitos físicos de uma cirurgia recente no braço, o #20 se isolou na terceira colocação, conquistando o segundo pódio seguido na MotoGP. 

A briga pelo quarto posto acabou sendo mais movimentada na parte final da corrida. Em um fim de semana ruim, as Ducati foram pressionadas, mas Andrea Dovizioso conseguiu manter a posição, 0s320 melhor que Franco Morbidelli, que passou Danilo Petrucci na última curva pelo quinto lugar.
 
Cal Crutchlow também vinha em um fim de semana discreto, mas se valeu de um erro de Mir para ficar em sétimo. Jack Miller aparece na nona colocação, com Andrea Iannone colocando a Aprilia na décima colocação.
 
Pol Espargaró vem na sequência, com Aleix Espargaró, Miguel Oliveira, Francesco Bagnaia e Hafizh Syahrin completando a zona de pontuação.
 
Dono de um currículo invejável em Assen, Valentino Rossi caiu ainda na quinta volta em um incidente que também envolveu Takaaki Nakagami. O piloto da LCR, aliás, foi levado ao centro médico para ser avaliado, mas está bem.

Com o desfecho da corrida deste domingo, Márquez chegou aos 160 pontos e ampliou para 44 a margem em relação a Dovizioso. Petrucci passou Rins e agora tem a terceira colocação, com Rossi fechando o top-5.
 
Paddockast #23
Lágimas em Le Mans



Saiba como foi o GP da Holanda de MotoGP:
 
A temperatura na província de Drenthe só fez aumentar com o passar das horas. Com o sol brilhando no norte da Holanda, a MotoGP alinhou na pista quando os termômetros apontavam 24°C, com o asfalto chegando a 41°C.
 
Pela terceira vez no ano, Fabio Quartararo tinha a pole-position, o que fez do #20, aos 20 anos e 70 dias, o mais jovem a conseguir poles seguidas na classe rainha do Mundial de Motovelocidade. Além disso, o piloto da SIC é o primeiro francês a conseguir tal feito desde Christian Sarron, em 1988.
 
Em sua melhor performance desde a Argentina, Maverick Viñales tinha o segundo posto, à frente de Álex Rins, que fez sua melhor exibição em classificação o desde Valência no ano passado.
 
Líder do Mundial, Marc Márquez ficou fora do top-3 do grid pela primeira vez no ano e saiu em quarto, seguido por Joan Mir e Cal Crutchlow.
 
Vice-líder do campeonato, Andrea Dovizioso ficou apenas em 11º, a segunda vez no ano que o italiano não entra no top-10. Valentino Rossi, por sua fez, ficou em 14º, seu pior resultado em Assen desde o 18º lugar no grid de 2006.
 
Na prova deste fim de semana, a Michelin levou os pneus macios, médios e duros, com os traseiros todos em versão assimétrica, com a borracha mais dura depositada do lado direito.
 
A largada foi autorizada em Assen, com Rins saltando para a primeira colocação. Quem seguiu o espanhol foi seu companheiro Joan Mir, que veio em segundo. Quartararo era o terceiro colocado.
Enquanto isso, Márquez acabou caindo uma posição, ficando em quinto e vendo Viñales estar à sua frente. Dovizioso também fez boa saída e aparecia na sexta colocação, ganhando cinco postos.
 
No fim do primeiro giro, a ordem era Rins, Mir, Quartararo, Viçnales, Márquez, Dovizioso, Petrucci, Morbidelli, Nakagami e Crutchlow completando os dez primeiros da tabela.
 
Em uma verdadeira reviravolta dos eventos, Rins acabou levando um tombo na curva 9, perdendo a liderança e vendo sua corrida acabar de forma precoce na segunda volta da disputa.
Álex Rins caiu quando liderava em Assen (Foto: Reprodução)
Quem se aproveitou de todo o problema foi Quartararo, que ultrapassou Mir para voltar para a primeira colocação da corrida. Enquanto isso, Viñales era o segundo colocado, com Márquez completando o pódio do momento.
 
Com 22 giros para a bandeira quadriculada, o titular da SIC e o piloto da Honda começaram uma emocionante batalha pela primeira colocação, mas com o #20 levando a melhor e mantendo a ponta.
Mais para trás, Nakagami e Rossi acabaram se envolvendo em um forte acidente na curva 8. Os dois acabaram passando em alta velocidade na curva, parando na caixa de brita. O japonês acabou levando a pior, aparentando dor e ficando caído.
Valentino Rossi e Takaaki Nakagami caíram juntos na curva 8 (Foto: Reprodução)
Na ponta, o francês tentava abrir distância do restante do pelotão, mas tinha o #93 e o #12 logo na cola. Inclusive, o pentacampeão estava com um pequeno atraso de apenas 0s170 para o #20.
 
A disputa pela segunda colocação também estava bastante emocionante em Assen. O piloto da Yamaha tentou dar o bote no espanhol da Honda, mas viu a porta ser fechada, não conseguindo avançar.
 
Enquanto isso, Dovizioso seguia escalando o pelotão, e depois de largar apenas em 11º, já vinha em quarto com 19 voltas para o final.

A ordem na tabela da prova era Quartararo, Márquez, Viñales, Dovizioso, Mir, Petrucci, Morbidelli, Cruthclow, Miller e Zarco completando o top-10.
Viñales e Márquez seguiam animados na briga pela segunda colocação. O embate dos espanhóis pegava fogo em Assen, com o titular da Yamaha tentando dar o bote, mas vendo a porta ser fechada.
 
Enfim, com 16 voltas para a bandeira quadriculada, Márquez conseguiu avançar em cima de Quartararo para se tornar o novo ponteiro da corrida. O espanhol já abriu 0s262 para o segundo colocado.
 
Mas as coisas mudaram novamente em Assen. Fabio estava determinado em alcançar seu primeiro triunfo na classe rainha e deu o troco em cima de Márquez, retomando a liderança na curva 2 se aproveitando de um erro do líder da classificação.
 
O trio da ponta estava separado por apenas 0s220, protagonizando uma grande briga pela primeira colocação. Dovizioso seguia no quarto posto, enquanto Petrucci era o quinto colocado.

Depois de tanto insistir, o #12 finalmente conseguiu tomar o segundo posto para si. Com 12 voltas para o fim, o espanhol ultrapassou o titular da Honda, começando a caçada em cima de Quartararo.
 
E Maverick ainda não havia terminado de ultrapassar. Agora, a vítima foi Quartararo, que acabou caindo para segundo. O espanhol quase foi superado também por Márquez, mas conseguiu manter o adversário atrás.
Mas não demorou muito para que o #93 conseguisse superar o #20 para assumir a segunda colocação da corrida holandesa. Nisso, Viñales estava com um respiro de 0s628 para o restante do pelotão.
 
Mais atrás, Dovizioso, o quarto, precisava se defender da aproximação de seu companheiro Petrucci, o quinto.
 
Na curva 1, então, Maverick acabou cometendo um erro, abriu demais e deixou o caminho livre para que Marc passasse sem grandes problemas. Mais para trás, Danilo consumava a ultrapassagem em cima de Andrea.
 
Mas os espanhóis estavam engatados em uma emocionante batalha pela primeira colocação. Viñales deu o troco em cima do #93, reassumindo a primeira colocação. Quartararo seguia a dupla de perto no terceiro posto.
 
Atrás, Mir se colocou entre os pilotos da Ducati, e começava a caçada em cima de Danilo para tentar assumir o quarto posto.
 
Seis voltas para o final, as coisas começaram a se acalmar nas posições do pódio, com os postos mais para trás oferecendo a maior emoção. Mir, o quarto, via Dovizioso, o quinto, e Petrucci, o sexto se aproximarem.

Três voltas para o fim e Viñales caminhava para encerrar a seca da Yamaha de vitórias. Márquez era o segundo com Quartararo completando o pódio. Dovizioso, Petrucci, Mir, Morbidelli, Crutchlow, Miller e Iannone completavam o top-10.
 
Então, com uma vantagem de 4s, Viñales trouxe a primeira vitória da Yamaha em 2019. Márquez cruzou a linha de chegada na segunda colocação, com Quartararo beliscando mais um pódio na temporada.
 
Dovizioso foi quem terminou na quarta posição, com Morbidelli fechando em quinto, e Petrucci, Crutchlow, Mir, Miller e Iannone completando os dez primeiros da corrida.

MotoGP 2019, GP da Holanda, Assen, Final:

 
1 M VIÑALES Yamaha 40:55.415 26 voltas
2 M MÁRQUEZ Honda +4.854  
3 F QUARTARARO SIC Yamaha +9.738  
4 A DOVIZIOSO Ducati +14.147  
5 F MORBIDELLI SIC Yamaha +14.467  
6 D PETRUCCI Ducati +14.794  
7 C CRUTCHLOW LCR Honda +18.361  
8 J MIR Suzuki +24.268  
9 J MILLER Pramac Ducati +26.496  
10 A IANNONE Aprilia Gresini +26.997  
11 P ESPARGARÓ KTM +34.095  
12 A ESPARGARÓ Aprilia Gresini +34.181  
13 M OLIVEIRA Tech3 KTM +34.249  
14 F BAGNAIA Pramac Ducati +34.494  
15 H SYAHRIN Tech3 KTM +48.357  
16 T RABAT Avintia Ducati +44.509  
  K ABRAHAM Avintia Ducati NC  
  J ZARCO KTM NC  
  T NAKAGAMI LCR Honda NC  
  V ROSSI Yamaha NC  
  A RINS Suzuki NC  
         
VMR M MÁRQUEZ Honda 1:33.712 174.4 km/h
REC M MÁRQUEZ Honda 1:33.617 174.6  km/h
MV F QUARTARARO SIC Yamaha 1:32.017 177.6 km/h
         
  Condições do tempo PISTA SECA   ar: 25ºC | pista: 44ºC
 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.