MotoGP

Márquez aproveita lambança de Lorenzo, dispara na ponta e vence na Catalunha. Quartararo é segundo

Marc Márquez viu a sorte lhe sorrir na corrida de casa e teve a vida amplamente facilitada por um erro de Jorge Lorenzo, que derrubou Maverick Viñales, Andrea Dovizioso e Valentino Rossi numa tacada só. Intocado no acidente da segunda volta, o #93 aproveitou para abrir vantagem e vencer pela quarta vez na temporada. Fabio Quartararo venceu o confronto com Danilo Petrucci e Álex Rins e ficou com o segundo posto

Grande Prêmio / JULIANA TESSER, de São Paulo / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
Sabe os contornos dramáticos da corrida da Moto3? Bom, na MotoGP foi ainda pior. Exceto para Marc Márquez, que contou com uma ‘ajudinha’ providencial de Jorge Lorenzo para escapar facilmente na ponta, encerrar a sequência vitoriosa da Ducati na Catalunha neste domingo (16) e ampliar consideravelmente sua vantagem na classificação do Mundial.
 
Tal qual nas classes menores, a prova catalã foi de muitas quedas na MotoGP, mas a mais chamativa aconteceu ainda no segundo giro. Saindo da segunda fila, Andrea Dovizioso tinha largado muito bem e tomado a ponta, com Márquez logo assumindo a segunda posição, com Maverick Viñales e Jorge Lorenzo completando o top-4. Já na parte final do segundo giro, o #4 deu uma bobeada e vinha cedendo a ponta para o pentacampeão, enquanto o #99 adiou a freada na curva 10.
 
E aí, deu-se a lambança. Jorge perdeu a frente da RC213V e caiu, derrubando Viñales e Dovizioso em sequência. Valentino Rossi ainda tentou evitar, mas também caiu. Os quatro abandonaram a corrida, enquanto Márquez ganhou um considerável respiro que, obviamente, tratou de aumentar logo de cara.
 
Rodando sozinho, Márquez não teve sua posição ameaçada e a diversão da corrida ficou mesmo por conta da disputa pelo segundo lugar. Vencedor do GP da Itália, Danilo Petrucci passou boa parte do tempo contendo os avanços de Fabio Quartararo e Álex Rins, mas o piloto da SIC conseguiu tomar a frente e abriu vantagem enquanto se empenhava em reduzir a folga do #93.
Marc Márquez venceu fácil na Catalunha (Foto: Repsol)
Rins, por sua vez, deu uma errada e escapou da pista, mas tratou de alcançar Jack Miller para recuperar a quarta colocação.
 
Quando a bandeira quadriculada por exibida ao fim das 24 voltas, Márquez venceu com 2s660 de vantagem para Quartararo, com Petrucci fechando o pódio, à frente de Rins e Miller.

7s040 atrás de Márquez, Joan Mir conquistou o sexto posto, seguido por Pol Espargaró. Takaaki Nakagami vem em oitavo, à frente de Tito Rabat. Johann Zarco completa o rol dos dez primeiros.
 
Em uma corrida de muitas quedas, apenas 13 dos 24 pilotos viram a bandeirada. Os três últimos foram Andrea Iannone, Miguel Oliveira e o wild-card Sylvain Guintolu.
 
Ainda na primeira volta, Bradley Smith e Aleix Espargaró se enroscaram. O piloto de testes da Aprilia foi arremessado da moto, mas o #41 teve de recolher aos boxes após o impacto. O piloto da casa, aliás, teve de ser carregado pelos mecânicos para deixar a moto.

Com o resultado em Montmeló, Márquez chegou aos 140 pontos e abriu 37 de frente para Dovizioso. Rins vem em terceiro, mais dois pontos atrás, seguido por Petrucci e Rossi.

Paddockast #22
O que torna uma corrida de qualquer categoria legal? E chata?



Saiba como foi o GP da Catalunha de MotoGP:
 
A MotoGP encontrou ótimas condições climáticas para a sétima etapa da temporada 2019. Com o sol brilhando no céu catalão, a classe rainha alinhou no grid com a temperatura na casa dos 26°C, com o asfalto chegando a 51°C. A velocidade do vento era de 5 km/h.
 
Pela segunda vez na temporada, Fabio Quartararo tinha a pole-position, à frente de Marc Márquez,que sai na primeira fila pela sétima vez seguida . Maverick Viñales se classificou em terceiro, mas foi punido por atrapalhar o #20 na classificação e caiu para sexto, promovendo Franco Morbidelli para a terceira colocação.
 
Dono de dez vitórias na Catalunha, Valentino Rossi aparece em sequência. Assim, a Yamaha tem quatro motos no top-5 do grid, o que não acontecia desde o GP da República Tcheca de 2012.
 
Andrea Dovizioso vem logo atrás como melhor Ducati, o que representa o pior desempenho da casa de Bolonha na Catalunha desde 2014, quando a melhor Desmosedici saiu apenas na sétima posição.
 
Danilo Petrucci se classificou em sétimo e vai sair na terceira fila pela quarta vez no ano. Álex Rins aparece logo atrás, escoltado por Cal Crutchlow e Jorge Lorenzo.
 
Luzes apagadas em Barcelona, com Márquez tentando para a liderança, mas Dovizioso foi quem conseguiu ficar com a primeira colocação. Quartararo era o terceiro, com Viñales e Petrucci logo atrás.
Entretanto, o titular da Honda cometeu um leve erro e permitiu a ultrapassagem do francês da SIC. Enquanto isso, lorenzo fez excelente largada e aparecia na quarta colocação, precisando segurar o avanço do #9.
 
No final do primeiro giro, a ordem era Dovizioso, Márquez, Viñales, Lorenzo, Petrucci, Rossi, Miller, rins, Quartararo e Pol Espargaró. Mais para trás, Smith abandonava por uma queda, enquanto Aleix deixava a prova por problemas.
 
Até que, um geande bolo foi visto na corrida. Quando Márquez surgia para conseguir a primeira colocação, Lorenzo caiu e derrubou em Dovizioso. No momento do incidente, acabaram levando junto Rossi e Viñales.
 
Na ponta do pelotão, então, Márquez tinha vida relativamente tranquila com a primeira colocação, enquanto Petrucci e Rins vinham completando o pódio do momento. Quartararo e Rins fechavam o top-5.
 
O titular da Honda já sustentava uma larga vantagem de mais de 1s5 para Danilo, enquanto o italiano precisava segurar a aproximação perigosa de Quartararo, que estava a 0s3 de distância.
 
20 voltas restavam para a bandeira quadriculada e Marc tinha vida tranquila na ponta. Petrucci, Quartararo, Rins, Miller, Mir, Pol Espargaró, Nakagami, Crutchlow e Morbidelli fechavam o top-10.
 
Mais um abandono era visto na corrida. Agora foi a vez de Pecco Bagnaia ver sua disputa acabar de forma precoce ao sofrer um pequeno incidente. Esse foi o quarto abandono do piloto na temporada.
 
Depois de toda a movimentação das primeiras voltas, as coisas estavam mais calmas na pista. Márquez sustentava a primeira colocação com uma vantagem de 3s895 para Petrucci, que via Rins cada vez mais próximo.
 
Até quem, enfim, Rins conseguiu dar o bote em cima de Petrucci. Com 11 giros para o fim, o espanhol conseguiu o segundo posto do italiano, mas era seguido de perto pelo titular da Ducati.

Com nove voltas para a bandeira quadriculada, foi a vez de Morbidelli entrar para a lista de abandonos do GP da Catalunha. Com isso, restavam apenas 14 pilotos na pista, ou seja, todos iriam pontuar.
 
Mas no pelotão da frente, Petrucci conseguiu dar o bote em cima de Álex. O #9 superou o titular da Suzuki para reassumir a segunda colocação, mas sem conseguir abrir grande distância para o espanhol.
 
A briga da dupla estava bastante animada, até que Rins cometeu um erro. O piloto quase foi ao chão na curva 1, mas conseguiu se manter em cima da moto, caindo apenas para a sexta colocação.
 
Foi então que Quartararo aproveitou o momento. Subindo para terceiro, o francês deu o ataque em cima de Danilo para assumir a segunda colocação. Enquanto isso, Miller passava Crutchlow para ser o quarto.
 
A prova catelã estava um verdadeiro festival de quedas e abandonos. Quando Cal tentou retomar a posição em cima de Jack, errou, saiu da pista na curva 4 e acabou caindo sozinho, deixando a disputa.
 
Márquez estava alheio a qualquer problema que estivesse acontecendo na parte de trás. Bastante tranquilo na primeira colocação, o titular da Honda tinha vantagem de nada menos que 4s679.

Com três voltas para o final, a ordem era Márquez, Quartararo, Petrucci, Miller, Rins, Mir, Pol Espargaró, Nakagami, Rabat, Zarco, Iannone, Oliveira e Guintoli, com todos os pilotos restantes na pista pontuando.
 
Sem ser incomodado por grande parte da corrida, Márquez aproveitou o tumulto do começo para garantir a vitória em Barcelona. Em segundo veio Quartararo, que garantiu o primeiro pódio na MotoGP, com Petrucci completando o top-3.
 
Rins, Miller, Mir, Pol Espaargaró, Nakagami, Rabat, Zarco, Iannone, Oliveira e Guintoli foram os nomes que completaram a lista de pilotos que cruzaram a linha de chegada catalã.
 
MotoGP 2019, GP da Catalunha, Montmeló, Final:

1 M MÁRQUEZ Honda 40:31.175 24 voltas
2 F QUARTARARO SIC Yamaha +2.660  
3 D PETRUCCI Ducati +4.537  
4 A RINS Suzuki +6.602  
5 J MILLER Pramac Ducati +6.870  
6 J MIR Suzuki +7.040  
7 P ESPARGARÓ KTM +16.144  
8 T NAKAGAMI LCR Honda +17.969  
9 T RABAT Avintia Ducati +22.661  
10 J ZARCO KTM +26.228  
11 A IANNONE Aprilia Gresini +32.036  
12 M OLIVEIRA Tech3 KTM +44.666  
13 S GUINTOLI Suzuki +51.363  
  C CRUTCHLOW LCR Honda NC  
  F MORBIDELLI SIC Yamaha NC  
  F BAGNAIA Pramac Ducati NC  
  H SYAHRIN Tech3 KTM NC  
  V ROSSI Yamaha NC  
  A DOVIZIOSO Ducati NC  
  M VIÑALES Yamaha NC  
  J LORENZO Honda NC  
  A ESPARGARÓ Aprilia Gresini NC  
  K ABRAHAM Avintia Ducati NC  
  B SMITH Aprilia Gresini NC  
         
VMR M MÁRQUEZ Honda 1:40.507 164.7 km/h
REC J LORENZO Ducati 1:40.021 166.5  km/h
MV J LORENZO Ducati 1:38.680 168.8 km/h
         
  Condições do tempo PISTA SECA   ar: 26ºC | pista: 51ºC



Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.