Viñales supera largada ruim, escapa na Austrália e encerra jejum da Yamaha. Márquez abandona

Maverick Viñales conseguiu deixar para trás uma largada ruim e tratou de escalar o pelotão e disparar na ponta para colocar um ponto final em um jejum de pouco mais de 1 ano e 4 meses de vitórias da Yamaha. Andrea Iannone venceu uma disputa com Andrea Dovizioso pelo segundo posto

Demorou, mas acabou. Um ano, quatro meses e três dias depois da vitória de Valentino Rossi no GP da Holanda de 2017, Maverick Viñales colocou um ponto final no histórico jejum de vitórias da casa de Iwata na MotoGP. O #25 conseguiu superar uma largada ruim neste domingo (28) e, depois de escalar o pelotão, disparou na ponta e não foi mais incomodado.
 
Se a briga pela vitória ficou atípica para Phillip Island, a batalha pelo pódio foi bastante mais divertida, envolvendo a dupla da Ducati, Valentino Rossi e Andrea Iannone, que entrou na corrida como favorito, mas cometeu uma série de errinhos ao longo da disputa.
 
Com cinco voltas para o fim, o #29 conseguiu assumir o segundo posto e aumentou o ritmo para descontar a margem de Viñales, que foi caindo sequencialmente. Na abertura do último giro, a distância entre os dois tinha baixado para 1s8, mas Maverick conseguiu respirar com a disputa entre Iannone e Andrea Dovizioso pelo segundo posto e recebeu a bandeirada com 1s543 de margem para o #29. O titular da Ducati completa o pódio.
Maverick Viñales colocou um ponto final no jejum da Yamaha (Foto: Yamaha)
Substituindo Jorge Lorenzo, Álvaro Bautista chegou a ameaçar Dovizioso pelo pódio, mas acabou em quarto. Álex Rins conseguiu bater Valentino Rossi na parte final da disputa e recebeu a bandeirada em quinto.
 
Correndo em casa, Jack Miller até chegou a assumir a ponta em Phillip Island, mas acabou apenas em sétimo, 6s7 atrás de Maverick. Franco Morbidelli bateu Aleix Espargaró pelo oitavo posto, com Bradley Smith fechando o top-10.
 
Campeão antecipado, Marc Márquez durou apenas cinco voltas no GP da Austrália. O espanhol foi atingido por trás por Johann Zarco na curva um e teve de abandonar por conta dos danos sofridos pela RC213V.
Com o desfecho do GP da Austrália, Márquez permanece com 296 pontos na classificação, agora 86 a mais que Dovizioso, que abriu 15 de vantagem para Rossi. Viñales aparece em quarto, seguido pelo ausente Cal Crutchlow.
 

Saiba como foi o GP da Austrália de MotoGP:
 

Assim como aconteceu ao longo dos últimos dias, o domingo em Phillip Island amanheceu bastante nublado, mas sem previsão de chuva. Antes da largada da MotoGP, os termômetros marcavam 13°C, com o asfalto chegando a 33°C. 
 
Pela quinta vez consecutiva ― igualando a marca de Casey Stoner entre 2008 e 2012 ―, Marc Márquez tinha a pole-position, a sexta do ano e a 51ª na classe rainha. Igualando seu melhor resultado na temporada, Maverick Viñales tinha o segundo posto, com Johann Zarco aparecendo para fechar a primeira fila. É a segunda vez no ano que duas Yamaha aparecem na primeira fila do grid da MotoGP.
 
Andrea Iannone ocupava o quarto posto, com Álex Rins e Jack Miller fechando a segunda fila. Valentino Rossi tinha o sétimo posto, com Danilo Petrucci e Andrea Dovizioso aparecendo na sequência.
 
Com a passagem de Hafizh Syahrin ao Q2 ― em decorrência da ausência de Cal Crutchlow na etapa australiana ―, esta é a primeira vez que a Yamaha tem quatro pilotos entre as quatro primeiras filas do grid desde o GP da Holanda do ano passado. No entanto, Jonas Folger não alinhou no grid de Assen em 2017 após uma queda no warm-up.
 
Como tradicionalmente acontece, a Michelin levou para a pista de Victoria os pneus macios, médios e duros, com os compostos todos em configuração assimétrica. Em caso de chuva, os pilotos podiam escolher entre macios e médios, apenas com os traseiros com a borracha mais dura do lado esquerdo.
 
A largada australiana foi autorizada, com Iannone saindo muito bem tentando superar Márquez. Enquanto isso, Petrucci deu um bote para assumir a primeira colocação, mas metros mais para frente acabou errando e saiu da pista, caindo para o fim do pelotão.
 

Em Phillip Island, então, Miller era o novo primeiro colocado, liderando a corrida caseira. Marc recuperou as posições que perdeu no início da prova e aparecia em segundo, com Iannone, Rins e Dovizioso completando o top-5.
 

Na abertura da segunda volta da disputa, o #93 aproveitou o vácuo da reta para ultrapassar Jack e tomar a ponta. Enquanto isso, o italiano da Ducati aparecia em segundo, com Iannone vindo em terceiro. A dupla da ponta tentava se desgarrar do grupo.
 
Com 25 giros para a bandeira quadriculada, a ordem era Márquez, Dovizioso, Iannone, Miller, Rossi, Zarco, Rins, Pol Espargaró, Viñales e Syahrin completando o top-10 do momento.
 
O pelotão da frente seguia bastante grudado, com Zarco e Rossi protagonizando uma bela briga pela quarta colocação, com o francês levando a melhor em cima do italiano. Enquanto isso, uma briga de Andreas – Dovizioso e Iannone, pelo segundo degrau do pódio.
Então, com 22 giros para a bandeira quadriculada, Johann protagonizou uma queda forte na curva 1. Quando tentou ultrapassar Márquez, acabou batendo na traseira do espanhol, indo ao chão e rolando diversas vezes. Com isso, o #93 caiu para 20º.
 

Quem levou a melhor com o problema foi Dovizioso, que assumiu a primeira colocação do pelotão. Quem vinha na segunda colocação era Miller, com Viñales, Iannone e Rossi logo depois. Não demorou muito para que Marc abandonasse a corrida.
 

Quem vinha escalando o pelotão aos poucos era Valentino. Com 20 voltas para o fim, o italiano aparecia em terceiro. Pouco depois, conseguiu passar Dovizioso, mas viu o piloto dar o troco e retomar o segundo posto. Viñales era o novo líder.
 
O espanhol da Yamaha conseguia se afastar aos poucos do restante do pelotão, já sustentando um respiro de 1s1 para Rossi, seu companheiro. Iannone, Dovizioso e Bautista completavam o top-5 do momento.
 
Com 16 voltas para o fim, a Honda vivia uma verdadeira onda de má sorte. Na curva 10, era a vez de Dani Pedrosa sofrer uma queda, abandonando a corrida. Na frente do pelotão, Viñales sumia na ponta, enquanto Iannone passava Rossi pela segunda posição.
 
Bautista, substituindo Lorenzo no final de semana, mostrou ter se dado muito bem com a Desmosedici. Faltavam 12 voltas para o final e o espanhol já aparecia na segunda colocação, atrás apenas de Viñales e à frente de Dovizioso.
 
A prova australiana entrou em sua reta final, e a lista dos dez primeiros pilotos do pelotão era Viñales, Dovizioso, Bautista, Iannone, Rossi, Rins, Miller, Syahrin, Smith e Aleix Espargaró.
 
Enquanto o #25 tinha vida fácil na ponta da prova, com 4s de vantagem para o restante dos pilotos, a briga pelas posições do pódio seguia pegando fogo. Iannone deu o bote em cima de Bautista para assumir o terceiro posto.
 
De forma surpreendente, Valentino reapareceu nas posições da frente. O italiano tomou a segunda colocação, mas na reta principal, o piloto foi vítima do vácuo e caiu para a quinta posição.
 
Com abandeira quadriculada quase tremulando na Austrália, Iannone fazia das tripas coração para, de alguma forma, alcançar Maverick, mas sem sucesso. Mais para trás, Rossi e Rins tiravam tinta um do outro pela quarta posição.
 
Então, enfim a Yamaha viu o encerramento do seu longo jejum de vitórias. Com um belo desempenho, Viñales conquistou o triunfo em Phillip Island, com Iannone e Dovizioso completando o pódio do dia.
 
Bautista foi quem cruzou a linha de chegada em quarto, com Bautista, Rins, Rossi, Miller, Morbidelli, Aleix Espargaró e Bradley Smith completando o top-10 da prova.
 
MotoGP 2018, GP da Austrália, Phillip Island, Final:
1 M VIÑALES Yamaha 40:51.081 27 voltas
2 A IANNONE Suzuki +1.543  
3 A DOVIZIOSO Ducati +1.832  
4 A BAUTISTA Ducati +4.072  
5 A RINS Suzuki +5.017  
6 V ROSSI Yamaha +5.132  
7 J MILLER Pramac Ducati +6.756  
8 F MORBIDELLI Marc VDS Honda +21.805  
9 A ESPARGARÓ Aprilia Gresini +22.904  
10 B SMITH KTM +22.940  
11 K ABRAHAM Ángel Nieto Ducati +34.386  
12 D PETRUCCI Pramac Ducati +35.025  
13 S REDDING Aprilia Gresini +36.348  
14 T NAKAGAMI LCR Honda +36.389  
15 X SIMEÓN Avintia Ducati +44.214  
16 T LÜTHI Marc VDS Honda +48.226  
17 J TORRES Avintia Ducati +1:04.965  
18 M JONES Ángel Nieto Ducati +1:19.817  
  P ESPARGARÓ KTM NC  
  H SYAHRIN Tech3 Yamaha NC  
  D PEDROSA Honda NC  
  M MÁRQUEZ Honda NC  
  J ZARCO Tech3 Yamaha NC  
         
REC M MÁRQUEZ Honda 1:28.108 181.7 km/h
MV J LORENZO Yamaha 1:27.899 182.1 km/h
         
  Condições do tempo PISTA SECA   ar: 13ºC | pista: 32ºC

#GALERIA(9579)

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube