Yamaha vence em pista favorável à Ducati e ganha fôlego na briga da temporada 2021

Depois de uma vitória impressionante de Maverick Viñales no GP do Catar, a casa de Iwata repetiu a dose neste domingo (4) com uma atuação igualmente destacada de Fabio Quartararo

Assista aos melhores momentos do GP de Doha de MotoGP (Vídeo: GRANDE PRÊMIO com Reuters)

A Yamaha ganhou um fôlego importante na briga pelo título da temporada 2021 da MotoGP. Mesmo que não tenha saído da rodada dupla de Losail com a liderança do Mundial de Pilotos ― que pertence a Johann Zarco ―, a casa de Iwata impôs duas derrotas à Ducati em um circuito que joga a favor das forças da Desmosedici, ainda que o histórico seja mais favorável a YZR-M1.

Depois da pré-temporada, Jack Miller foi para o campeonato como o favorito, mas o australiano não passou nem perto de executar este papel nas duas corridas da rodada dupla do Catar. A Yamaha, por outro lado, chegou para 2021 cercada por dúvidas ― merecidas ―, especialmente por causa do desempenho dos últimos anos.

Fabio Quartararo completou o domínio da Yamaha em Losail (Foto: Michelin)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Ao longo de 2020, não foram poucas as vezes em que as Yamaha andaram para trás. Rápidas na classificação, as M1 eram alvo fácil na largada e, como na conseguiam preservar os pneus e têm um déficit de velocidade importante, não conseguiam ser combativas uma vez que ficavam para trás no princípio da corrida.

Em 2021, porém, a história tem sido diferente. Maverick Viñales venceu no Catar depois de escorregar até o sexto lugar. Desta vez, Fabio Quartararo chegou a cair para o nono posto antes de receber a bandeirada como vencedor, com 1s457 de vantagem para Johann Zarco, o segundo colocado.

É claro que o fato de vencer as duas primeiras corridas do ano não garante que a Yamaha vai acabar campeã no fim de 2021. Afinal, Quartararo venceu as duas primeiras de 2020, e a Yamaha acabou derrotada pela Suzuki de Joan Mir. Mas a forma como venceu é um incentivo sinal importante.

Viñales teve no GP do Catar uma das melhores apresentações da carreira, enquanto Quartararo mostrou uma performance sólida e crescente neste fim de semana. No pior dos casos, o desempenho no Catar é um sinal de que a Yamaha caminhou na direção correta com a evolução da M1, mesmo com a diferença em relação ao motor Ducati.

Mesmo animado com o resultado do GP de Doha deste domingo, Quartararo mantém os pés no chão. Como diz o ditado, cachorro mordido de cobra tem medo de linguiça.

“Vamos passo a passo. No ano passado, eu venci as duas primeiras corridas do ano, em Jerez ― a segunda com vantagem, em determinado ponto da corrida, tive 8s de vantagem”, recordou. “Nós corremos duas vezes em uma mesma pista, então acho que é uma questão de confiança com a moto. Acho que podemos ser rápidos, mas não quero dizer sim e acabar sendo não”, seguiu.

“Eu acredito na nossa moto, mas não posso dizer que vai funcionar o ano todo”, considerou. “No momento, temos uma moto realmente boa”, elogiou Fabio.

O francês de Nice reconheceu, também, que se acontecer de novo de despencar no pelotão, ele saberá que é possível ainda conseguir um bom resultado.

Assim como no GP do Catar, Yamaha ficou à frente de duas Ducati no segundo GP de 2021 (Foto: Michelin)

“Quando estava em oitavo, disse a mim mesmo que tinha de fazer o máximo, mas logo pensei que não o máximo, que tinha de vencer”, relatou. “Quando estava em sexto, quarto, terceiro e segundo, vi que estava bem, que o pneu estava morto, mas que ainda podia dar mais”, seguiu.

“Quando você passa por isso uma vez, é diferente, então se acontecer de novo no futuro de cair para décimo ou oitavo, saberei que posso vencer a corrida”, frisou.

É fato que o resultado das últimas duas corridas dá uma injeção de confiança na Yamaha, mas é igualmente verdade que a chegada à Europa deve dar um novo gás a algumas das rivais, inclusive a Ducati. Até aqui, o campeonato foi de alto nível. Veremos quais surpresas restam pela frente.

A MotoGP retorna às pistas em 18 de abril para o GP de Portugal, em Portimão, terceira etapa da temporada 2021 do Mundial de Motovelocidade.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube