Quartararo caça Ducati e escapa para vencer GP de Doha. Zarco bate Martín e é 2º

Fabio Quartararo parecia quieto no meio da corrida em Doha, mas superou os rivais da Ducati para conquistar a primeira vitória na temporada. Johann Zarco e Jorge Martín fecharam o pódio em Losail

Jorge Martín arrancou aplausos do paddock por pole na MotoGP (Vídeo: MotoGP)

O GP de Doha da MotoGP parecia mais uma prova da Moto3, com o pelotão agrupado e muitas trocas na liderança. Depois de muitas disputas, Fabio Quartararo assumiu a liderança a quatro voltas para o final, disparou na frente conseguiu a primeira vitória na temporada, a segunda consecutiva para a Yamaha no campeonato. Johann Zarco e Jorge Martín fecharam o pódio em Losail.

Álex Rins ficou com a quarta colocação, seguido por Maverick Viñales, vencedor da primeira etapa do campeoanto. Francesco Bagnaia, Jack Miller, Joan Mir, Brad Binder e Alex Espargaró fecharam o top-10 no Catar.

VEJA TAMBÉM
⇝ Fatos e curiosidades do GP de Doha da MotoGP (sem Marc Márquez)
⇝ Como ficou o grid de largada para o GP de Doha, segunda etapa da MotoGP

Johann Zarco superou Jorge Martín na volta final e ficou em 2º (Foto: Pramac)

Com o resultado da corrida em Doha, Zarco chegou aos 40 pontos e assumiu a liderança do Mundial, quatro pontos à frente de Quartararo. Viñales caiu para terceiro, seguido por Bagnaia e Rins. No Mundial de Construtores, a Yamaha lidera, assim como no Mundial de Equipes.

A MotoGP retorna às pistas em 18 de abril para o GP de Portugal, em Portimão, terceira etapa da temporada 2021 do Mundial de Motovelocidade.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Saiba como foi o GP de Doha de MotoGP:

A temperatura seguiu caindo com o passar das horas. A MotoGP alinhou para a última das corridas noturnas da temporada com os termômetros medindo 21°C, com o asfalto chegando em 22°C. Diferente do previsto, porém, a temperatura do vento tinha diminuído um pouquinho e estava em 16 km/h.

Neste fim de semana, a Michelin disponibilizou pneus macios, médios e duros, com os traseiros e o dianteiro médio construídos em versão assimétrica, com a borracha mais resistente do lado direito do calçado. Quando foram para o grid, os pilotos tinham uma escolha quase uniforme, com a maioria optando pelo macio dianteiro, com exceção das quatro KTMs de Danilo Petrucci, Iker Lecuona, Brad Binder e Miguel Oliveira, que escolheram o médio. Na traseira, todos escolheram os macios.

Quando as luzes se apagaram na reta de Losail, o pole Jorge Martín repetiu a dose da semana passada e largou muito bem, mantendo a ponta, à frente de Zarco, Aleix Espargaró, Rins e Oliveira, que fez uma saída espetacular. As Yamaha andaram para trás na largada em Doha, com Quartararo caindo para sétimo e Viñales, nono.

A largada do GP de Doha da MotoGP (Vídeo: MotoGP)

Só na segunda corrida da carreira, Martín imprimiu um ritmo forte no primeiro giro para escapar das garras de Zarco, abrindo cerca de 0s2. Aleix e Rins vinham bem próximos dos ponteiros, mas o pelotão atrás tampouco estava distante.

Ainda na volta 3, Aleix lançou um ataque na direção de Rins, mas o catalão não conseguiu manter a linha e perdeu a posição, voltando para o quarto posto. Álex, então, grudou em Zarco, tentando tomar a segunda posição.

Mais atrás, Francesco Bagnaia passou Fabio Quartararo e assumiu o oitavo lugar no GP de Doha. Viñales vinha em décimo, à frente de Binder, Pol Espargaró e Franco Morbidelli.

Dupla da Pramac domina o início da corrida em Losail (Vídeo: MotoGP)

No fim da volta quatro, Rins conseguiu passar Zarco por dentro no miolo da pista, mas o troco foi praticamente imediato, contando com a força do motor Ducati na reta de Losail. O piloto da Suzuki não entregou os pontos, passou de novo, mas errou e viu o francês passar de novo. Na curva 6, Álex atacou mais uma vez e, desta vez, fez valer.

Enquanto isso, Martín foi tentando se afastar, chegou a abrir 0s6, mas a diferença caiu rápido, com Rins entrando na pressão pela liderança. Sem conseguir passar, o piloto da moto #42 perdeu o segundo posto para Zarco mais uma vez. De novo na reta, com a potência da moto de Bolonha.

Atrás, Bagnaia subiu para sexto, à frente de Miller. Quartararo caiu para oitavo, à frente de Oliveira e Viñales.

Johann Zarco e Álex Rins travaram um bom duelo no início do GP de Doha (Vídeo: MotoGP)

Rodando mais rápido que todo mundo, cravando uma volta rápida atrás da outra, Bagnaia foi escalando o pelotão e passou Mir para ser o quinto. Atrás, Viñales deixou Oliveira para trás e assumiu o nono posto.

Rins atacou mais uma vez e conseguiu recuperar o segundo posto de Zarco, 0s462 atrás de Martín, que seguia sem ser incomodado na liderança.

No final do nono giro, Zarco retomou a segunda posição de Rins, já 0s389 atrás de Martín. O primeiro pelotão seguia compacto, como nove pilotos: Martín, Zarco, Rins, Aleix, Bagnaia. Mir, Miller, Quartararo e Viñales. Décimo, Binder tinha 1s4 de atraso para o vencedor do GP do Catar.

Pouco depois, Miller partiu para o ataque. Empurrado pelo potente motor Ducati, o australiano jantou Mir e Aleix Espargaró na curva 16. Joan aproveitou e também deixou o piloto da Aprilia pelo caminho.

Pelotão da MotoGP mostrou muito equilíbrio em Losail (Vídeo: MotoGP)

1s7 atrás do líder, Viñales era o dono do melhor ritmo da corrida. Restavam 12 das 22 voltas do GP de Doha.

Com 11 voltas para o fim, Rins levou um belo de um susto ao perder a frente da GSX-RR. O espanhol conseguiu evitar o tombo, mas não teve como se defender de Bagnaia, que tomou a terceira colocação pouco depois.

Ao passo em que o pelotão ia se pegando, Martín seguia firme e forte na ponta, agora com 0s422 de vantagem para Zarco. Mais atrás, Mir atacou Miller, tocou no rival da Ducati na curva 10 e tomou a posição.

Miller e Mir tiveram um novo toque na sequência, o campeão não teve condições de se defender na reta e ainda foi superado por Aleix e Viñales. O toque entre Jack e Joan foi revisado pela FIM.

Miller e Mir se enroscaram no GP de Doha (Foto: Reprodução)

Mais atrás, Álex Márquez e Iker Lecuona caíram em momentos diferentes e abandonaram a disputa.

Quartararo também aumentou o ritmo em Doha, passou Rins e assumiu a quarta colocação. Aleix era o sexto, seguido por Miller, Viñales, Mir e Pol Espargaró.

A cinco voltas do fim, Zarco se aproximou de Martín na briga pela liderança, mas logo foi superado por Quartararo no miolo do circuito e o piloto da Yamaha subiu para a ponta. Na reta principal, porém, o espanhol se recuperou e deixou o francês pelo caminho. Mais atrás, Viñales superou Zarco pelo terceiro posto.

No giro 20, Viñales foi advertido por abusar dos limites de pista, mas sem punição. Na frente, Quartararo passou a abrir vantagem enquanto o companheiro de time se enroscava com a dupla da Pramac e Rins.

Na volta final, ainda teve Zarco superando o companheiro Martín na disputa pela segunda posição. Nenhum deles, porém, foi capaz de chegar perto de Quartararo, o vencedor em Doha.

Faltando sete voltas para a bandeirada, Martín seguia na liderança sem ser ameaçado, 0s370 à frente de Zarco. Bagnaia, por sua vez, ia resistindo à pressão de Quartararo pelo terceiro posto. Pecco, porém, passou da freada na curva 1 e caiu para a sétima colocação no GP de Doha.

Quem também vinha escalando era Viñales. Com cinco voltas para o fim, o espanhol passou Rins por dentro na curva 4 e assumiu o quinto posto. Lá na ponta, Quartararo tomou o segundo posto de Zarco, com Maverick passando Miller pela quarta posição.

No fim da volta 18, Martín recebeu o primeiro ataque direto e perdeu a liderança para Fabio, mas o troco foi quase imediato, com o espanhol retomando fácil na reta aproveitando o vácuo. O francês pressionou e conseguiu mais uma vez, aproveitando a velocidade de curva da YZR-M1. Viñales era terceiro.

Uma vez na ponta do GP de Doha, Quartararo apertou o passo e tratou de abrir vantagem. Era o único jeito de escapar da força do motor da Desmosedici na reta de mais de 1 km de Losail. Enquanto isso, Zarco passou Viñales e recuperou o terceiro posto.

Faltando só dois giros em Doha, a diferença entre Quartararo e Martín era de 0s571, com Zarco ainda pressionado por Viñales pelo terceiro posto.

Na 21ª volta, Mir passou Aleix, mas errou pouco depois e despencou no grid.

Para o giro final, Quartararo abriu mais de 0s8 de vantagem, praticamente assegurando a vitória. Martín, porém, vinha bem pressionado por Zarco, que conseguiu passar nos metros finais para receber a bandeirada com 0s043 de frente para o companheiro de Pramac em Doha.

Ex-Gresini na Moto3, Martín dedicou o primeiro pódio da carreira a Fausto Gresini, que morreu no início do ano, vítima da Covid-19.

MotoGP 2021, GP de Doha, Losail, Corrida:

1F QUARTARAROYamaha42:23.99722 voltas
2J ZARCOPramac Ducati+1.457 
3J MARTÍNPramac Ducati+1.500 
4A RINSSuzuki+2.088 
5M VIÑALESYamaha+2.110 
6F BAGNAIADucati+2.642 
7J MIRSuzuki+4.868 
8B BINDERKTM+4.979 
9J MILLERDucati+5.365 
10A ESPARGARÓAprilia Gresini+5.382 
11E BASTIANINIAvintia Ducati+5.550 
12F MORBIDELLISRT Yamaha+5.787 
13P ESPARGARÓHonda+6.063 
14S BRADLHonda+6.453 
15M OLIVEIRAKTM+8.928 
16V ROSSISRT Yamaha+14.246 
17T NAKAGAMILCR Honda+16.241 
18L MARINIAvintia VR46 Ducati+16.472 
19D PETRUCCITech3 KTM+16.779 
20L SAVADORIAprilia Gresini+38.775 
21A MÁRQUEZLCR HondaAbandonou 
22I LECUONATech3 KTMAbandonou 

GUIA MOTOGP 2021
⇝ MotoGP chega igual, mas diferente em campeonato condicionado por pandemia
⇝ Conheça quem são as equipes e pilotos para a temporada 2021 da MotoGP
⇝ Suzuki segue vida sem Brivio e tenta feito do bicampeonato na MotoGP em 2021
⇝ MotoGP volta com mistério: Marc Márquez retorna após três cirurgias? E como?
⇝ Honda aposta em encaixe de Pol Espargaró por encerramento de série de insucessos
⇝ Mir defende título da MotoGP para mostrar que conquista de 2020 não foi acaso
⇝ Quartararo precisará de regularidade e cabeça no lugar para substituir Rossi
⇝ Bastianini, Marini e Martín sobem para MotoGP com promessa de briga parelha
⇝ Yamaha rejuvenesce com Viñales e Quartararo e busca consistência na M1
⇝ Aos 42 anos, Rossi tem recomeço na MotoGP com SRT. Mas qual será o futuro?
⇝ Pol Espargaró tem chance da vida na MotoGP. Assustar Márquez é outra história
⇝ Equilíbrio também deve ser a marca nas categorias de apoio à MotoGP
⇝ Ducati faz mudanças arriscadas para deixar decepções de 2020 no passado
⇝ Aprilia ‘inventa’ Savadori e coloca tudo nas costas de Aleix Espargaró
⇝ VR46 dá primeiro passo na MotoGP ainda sem dizer se veio para ficar
⇝ Sucesso da Academia VR46, Morbidelli tenta aproveitar garagem com Rossi

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube