Stock Car

Barrichello chama de “momento especial” pódio no Velopark por “guiar desse jeito depois de tanto tempo”

Aos 46 anos, Rubens Barrichello é o mais velho piloto do grid da Stock Car. Mas isso passa longe de impedir que ele vá bem - como foi no Velopark, no último domingo (7), com a segunda colocação. Para o piloto da Full Time, isso é algo para ser celebrado

Grande Prêmio / FELIPE NORONHA, de São Paulo
Em uma corrida na qual ficou "emocionalmente cansado" por conduzir um carro com avaria no volante até o fim, Rubens Barrichello foi segundo colocado na abertura da Stock Car em 2019, no Velopark, no último domingo (7).

E, aos 46 anos, na semana em que completa 25 anos do primeiro pódio que obteve na F1, o #111 faz questão de se mostrar contente com o que segue capaz de apresentar na pista.

Ao GRANDE PRÊMIO, após a prova em Nova Santa Rita, ele comentou sobre o que sente sobre o momento que vive na carreira.

"Dava para pensar na vitória, mas agora não tem o 'se'. Tem que comemorar esses pontos do segundo lugar porque foi uma vitória", disse ele.
Rubens Barrichello (Foto: Duda Bairros/Stock Car)
"A gente pode achar que não, mas guiar desse jeito depois de tanto tempo é um momento especial para mim", completou o experiente piloto.

Ele somou 26 pontos pelo pódio e largou a temporada 40 da Stock Car como vice-líder, atrás apenas de Daniel Serra, o vencedor no Velopark.