Chevrolet até melhora, mas Toyota bate rival novamente em duelo apertado em Cascavel

É inegável que os carros da Chevrolet encaixaram melhor com o circuito de Cascavel - mas os resultados positivos não foram superiores aos da Toyota, que segue dominante em seu ano de estreia na Stock Car

Cascavel teve boa oportunidade de entregar corridas com emoções variadas no último final de semana, afinal três provas foram disputadas por lá, mas a realidade é que a Stock Car teve suas duas etapas mais mornas de 2020. Todos que largaram na pole venceram, e a única troca na liderança foi anulada após um uso irregular de ‘push’. Assim, os detalhes mais importantes ficaram na história principal da temporada até aqui: o duelo entre Toyota e Chevrolet.

É inegável que os Corolla da marca japonesa foram melhores nestas seis etapas já disputadas, marcando metade do ano. Mas também é possível dizer que os Cruze andaram em um ritmo melhor no Paraná, buscando uma equivalência inexistente até então.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

A Toyota se acostumou a ver o #1 ao seu lado (Foto: Duda Bairros/Vicar)

Se conseguiram, vale a discussão. Uma vitória veio, com Daniel Serra, na corrida 2 de domingo. Mas o placar dos triunfos da rodada tripla já entrega que a Toyota foi melhor, apesar da evolução rival: 2 a 1, já que Thiago Camilo venceu no sábado, e Bruno Baptista levou a corrida 2 dominical.

Na questão da velocidade em tiro curto, é possível dizer que os Cruze foram responsáveis por duas das três voltas mais rápidas: Denis Navarro no sábado e Diego Nunes no fim do domingo. Mas além de Baptista ter anotado o giro mais veloz da prova que venceu, as duas poles foram para os Corolla: com o próprio piloto da RCM e com Thiago Camilo. Ou seja: na ‘hora H’, vantagem Toyota.

E nos resultados gerais, a Chevrolet ocupou 16 dos 30 top-10 possíveis, mas, claro, com 16 dos 24 carros do grid. Proporcionalmente, a vitória é até da Toyota – que, mais importante do que isso, ocupa não só a liderança do campeonato mais uma vez, agora, com Cesar Ramos, como tem quatro dos cinco que mais pontuaram e seis entre os 10 primeiro colocados.

Claro que a Toyota selecionou equipes fortes para colocar seus carros, e erros de pilotos da Chevrolet, como o de Navarro no sábado, quando venceria com tranquilidade se não cometesse irregularidade, acabam alterando os números. Mas seis de 12 etapas já foram, e só Ricardo Maurício e Daniel Serra parecem capazes de impedir um título da Toyota. Há tempo, mas a Chevrolet precisa responder além de uma pequena melhora que, no máximo, igualou seus carros por um final de semana.

A curva do Bacião em Cascavel (Foto: Duda Bairros/Vicar)
Tendências

Entre os pilotos, quem sai por cima – além, claro, do líder Cesar Ramos – é uma dupla muito conhecida: Daniel Serra e Thiago Camilo. Campeão e vice em 2019, eles enfim venceram na temporada e, na pontuação, já se colocam como possíveis favoritos, ainda mais se considerados os futuros três descartes.

Por que essa possibilidade de favoritismo? Porque ambos parecem crescer em termos de desempenho em corridas recentes, e se essa tendência se manter, os descartes serão feitos em provas do começo do ano, quando ficaram abaixo dos talentos conhecidos.

Mas também por uma tática que vem ao acaso: se os cinco primeiros andam com lastro na etapa em que chegam em tais posições, Camilo foi para Cascavel em sexto e, mais leve, venceu; e Serra é quem vai para o Velo Città nesta posição, em duas semanas.

Daniel Serra (Foto: Renato Mafra)

Sem os maiores pesos que os líderes carregam, eles conseguem ganhar alguns décimos e balancear as estratégias: Rubens Barrichello, por exemplo, sofreu com os 30 kg extras no Paraná e caiu para quinto – agora, tem boa chance de recuperação, já que o lastro será bem menor.

Não que ser líder seja algo ruim, mas não ser pode ser algo bom. Confuso, mas ao menos dá alguma emoção a uma temporada complicada pela pandemia.

A Stock Car volta às pistas em duas semanas – para mais um final de semana com duas etapas. Nos dias 17 e 18 de outubro, o Velo Città recebe a categoria. O GRANDE PRÊMIO cobre tudo que acontecer em Mogi Guaçu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube