Truck

Etapa de Rivera define mais um campeão no ano e fecha primeiro ciclo internacional da categoria

Segunda prova internacional da Copa Truck vai coroar mais um campeão na temporada 2018. Vencedor das duas corridas em Buenos Aires, Felipe Giaffone lidera a competição e sai em vantagem
Warm Up / VINÍCIUS PIVA, de São Paulo
 Copa Truck define mais uma campeão no Uruguai (Foto: Duda Bairros)
Rivera, no Uruguai, recebe neste final de semana os caminhões da Copa Truck para mais uma etapa do calendário 2018. A prova uruguaia encerra a Copa Mercosul, a penúltima Copa do ano, que vai indicar mais três finalistas para a Grande Final em dezembro, e colocará um ponto final na temporada dos brutos no exterior.
 
Como em toda decisão, a expectativa é de boas disputas no autódromo Eduardo P. Cabrera, uma novidade para os pilotos da Copa Truck. A tabela de classificação da Copa Mercosul aponta nessa direção. Com 40 pontos em jogo nas duas corridas do domingo, tem muito piloto na disputa pelos troféus de ouro, prata e bronze. 
 
Os seis primeiros colocados são os principais protagonistas que vão lutar pelas três taças. São eles, pela ordem, Felipe Giaffone, Wellington Cirino, Beto Monteiro, Danilo Dirani, André Marques e Leandro Totti. Mas, não se pode esquecer, por exemplo, de Roberval Andrade, o sétimo na tabela, mas que sempre se mostra competitivo quando está na pista.  
Felipe Giaffone é o líder da Copa Mercosul (Foto: Duda Bairros)
Dos sete pilotos que estão na frente, quatro estão garantidos na Grande Final (Giaffone, Cirino, Marques e Andrade) e buscam somar mais pontos para chegar em melhores condições na prova derradeira do campeonato. Já Monteiro, Dirani e Totti ainda estão de olho em uma vaga na prova que definirá o campeão das Copas de 2018, em 2 de dezembro, na capital paranaense. 
 
Felipe Giaffone comandou as ações em Buenos Aires, na Argentina, e chega a Rivera na liderança da classificação, com 40 pontos. Vencedor da Copa Centro-Oeste, o #4 disse que vai em busca de mais um título no ano no Uruguai.
 
"Não conheço a pista, fazia tempo que eu não andava em uma pista da Copa Truck que eu não conhecia, é uma novidade grande. A ideia é tentar levar a Copa Mercosul. Vou com o olho não tão voltado para a prova, mesmo porque vou estar com o restritor de 70 mm, que tira mais potência do motor por eu ter vencido as duas últimas provas, e vou tentar administrar o campeonato nas duas etapas. Essa é a meta", revelou.
 
Wellington Cirino, vice-líder com 31 pontos, dominou os treinos na Argentina, mas não conseguiu chegar ao topo nas duas provas, embora tenha demonstrado performance consistente. O piloto da Mercedes aposta em novo pódio no Uruguai, mas desta vez quer o primeiro lugar.
Wellington Cirino vai de pintura nova em Rivera (Foto: Rodrigo Ruiz)
"Tenho a certeza de que o público da fronteira verá uma corrida muito disputada e um grande evento para todos. Sei que são aficcionados pelo automobilismo e irão lotar o autódromo. Eu acredito muito que estaremos no pódio novamente, e, de preferência, no lugar mais alto", projeta Cirino, que terá uma nova pintura de seu caminhão, na cor dourada.
 
"Meu desejo é que essa cor do caminhão também seja a cor do troféu que irei receber no fim da etapa em Rivera", brinca. 
 
Para Beto Monteiro, terceiro na classificação da Copa Mercosul, a etapa uruguaia é sua última chance real de conquistar um lugar entre os finalistas. Por isso, precisará mesclar a cautela com a agressividade. O piloto da Iveco mostrou-se muito competitivo dentro da pista ao longo da temporada, mas sofreu com problemas mecânicos.
 
“Tive um caminhão bem rápido durante o ano, mas tive muitos problemas inesperados e por conta disso não consegui garantir a vaga na Grande Final. Lógico que o otimismo é grande pelo desempenho de Buenos Aires, a vitória escapou pelos dedos por causa de uma conexão que ficou soltando água na roda traseira faltando poucas voltas para o final. Mas veio o bom resultado”, afirmou o #88.
 
“Agora o objetivo principal é garantir um lugar na Grande Final. Logicamente que a gente busca o melhor, se a gente puder vencer, sem dúvida vou tentar vencer, mas o importante é a vaga. Então vou tentar mesclar a cautela com a agressividade no momento certo para segurar essa vaga de qualquer forma, já que essa é a minha última chance”, assegurou.
Beto Monteiro quer um lugar na Grande Final (Foto: Duda Bairros)
Sobre a pista, Monteiro disse que não conhece Rivera, mas que tem estudado o traçado para chegar competitivo em solo uruguaio. "Não conheço Rivera, nunca fui lá. Já vi bastante coisa da pista, mas não faço ideia de como deverá ser o desempenho do meu caminhão lá. Buenos Aires é o tipo de pista que favorece meu caminhão, que é muito bom em pistas de alta. Como não sei como é Rivera a grande dúvida na minha cabeça é como será o desempenho do caminhão. Mas volto a dizer: o otimismo é gigante vindo do bom resultado e do desempenho em Buenos Aires”.
 
“Cada dia olho um detalhe e tento juntar com as informações que tenho do caminhão. Olhei algumas telemetrias de carros que andaram lá para tentar entender melhor e espero que o caminhão tenha um bom desempenho nessa próxima etapa. Vamos com força total buscar essa vaga", concluiu.
 
Danilo Dirani disputou apenas duas etapas neste ano com sua nova equipe, a PPD, e esteve sempre entre os primeiros. Em Goiânia, venceu as duas logo na estreia, e em Buenos Aires vem de um quinto depois de largar lá atrás, e um quarto na corrida 2.
 
O representante da Mercedes comemorou o fato de correr em uma pista nova depois de um longo período, e elogiou a fase internacional da categoria.
 
“Não conheço Rivera, vai ser uma pista nova para mim. Bacana mesmo depois de tantos anos correndo ter o desafio de correr numa pista nova, relembra os primeiros anos de fórmula quando não conhecia nenhuma pista e tinha de conhecer aos poucos. É um desafio”, disse o piloto do #28. 
 
“Muito importante para a categoria fazer essas corridas internacionais, a Copa Truck vem crescendo bastante, mostra a força dela. Esse foi um dos pilares que me motivou a montar a equipe. Com certeza para a categoria é muito importante ter Rivera.” 
 
Dirani diz que vai correr sem pretensão de disputar o campeonato. Seu foco está em fazer o melhor durante o fim de semana.
Danilo Dirani corre em Rivera sem pressão por resultados (Foto: Duda Bairros)
“Não tenho muita pretensão de disputar o campeonato, há dois meses nem equipe eu tinha. Então não penso no campeonato, mas na corrida em si. Como em Goiânia e em Buenos Aires vou lá para ter uma equipe apresentável em boxes, mecânicos, ferramentas. E na parte competitiva, ainda temos bastante para melhorar e o equipamento já é muito bom, já vencemos corridas, o Pedro já largou bem, vem competitivo. A cabeça é focar em ir para cima, pensar em ter o melhor resultado possível e aí o campeonato, se der para disputar, ótimo, senão vamos estruturar tudo direitinho para o ano que vem a gente vir com toda a força”, encerrou.
 
André Marques segue como o maior pontuador geral da temporada e diz que o objetivo é colocar o #77 entre os primeiros no Uruguai. Apesar da constância no pódio, Marques ainda não conseguiu vencer nesta temporada.
 
“Nosso trabalho é para manter os caminhões andando entre os primeiros colocados em cada corrida. Rivera verá um grande evento com um grande espetáculo para o público. Estou muito empolgado para acelerar neste autódromo que ainda não conheço”, destaca.
 
A primeira atividade de pista está marcada para sexta-feira, às 13h15, com o primeiro treino livre. A segunda sessão do dia acontece a partir das 15h40.
André Marques busca o primeiro triunfo no ano (Foto: Rodrigo Ruiz)