Primeiro campeonato exclusivo para mulheres, W Series nasce com estreia prevista para 2019

O automobilismo ganhou uma nova categoria, exclusiva para mulheres. A W Series surge com a proposta de melhorar a presença feminina no esporte, apostando em medidas como premiação de R$ 1,8 milhão ao vencedor e na formação de um grid tendo o talento como critério único

O automobilismo ganhou um novo campeonato de monoposto – e inédito, inclusive. A manhã desta quarta-feira (10) reservou a divulgação oficial da W Series, campeonato baseado na Europa que tem como proposta principal formar um grid composto exclusivamente por mulheres.
 
Com grid que deve variar entre 18 e 20 carros, a W Series quer aumentar a exposição ainda diminuta de mulheres no automobilismo. A formação de pilotas em massa é apontada como elemento importante para acabar com a falta de mulheres na Fórmula 1 – a última a participar das atividades de um fim de semana como titular foi Giovanna Amati, em 1992, quando falhou na tentativa de se classificar para três GPs.
 
Os carros da W Series vão ser de Fórmula 3 e já vão competir com o Halo, introduzido na F1 em 2018. O calendário ainda não foi divulgado, mas a categoria promete visitar circuitos tradicionais europeus.
 
A W Series é fruto de uma ideia da britânica Catherine Bond Muir, fã de automobilismo incomodada com a falta de mulheres no esporte.
 
“Como uma advogada e representante de finanças corporativa durante os primeiros 25 anos da minha carreira, tive meu primeiro bebê aos 45”, disse Bond Muir. “Durante a licença maternal, comecei a desenvolver o conceito da W Series em casa. Quase três anos depois, é incrivelmente empolgante finalmente anunciar publicamente a fundação da W Series”, continuou.
O carro da nova W Series (Foto: Divulgação)

“Simplesmente há poucas mulheres competindo em monopostos na atualidade. A W Series vai aumentar esse número significativamente em 2019, consequentemente aumentando o potencial de mais pilotas mulheres. As pilotas da W Series vão virar estrelas e modelos de inspiração para todas as mulheres”, encerrou.

 
A W Series promete prêmio de US$ 500 mil [ou R$ 1,8 milhão] à campeã da primeira temporada. Contando a bonificação dada aos outros pilotos, de acordo com posição final no campeonato, são US$ 1,5 milhão [ou R$ 5,6 milhão] distribuídos. Outra ajuda financeira vem na promessa de que o campeonato vai ser gratuito para as pilotas, o que significa escolher os competidores com base no talento.
 
O campeonato ainda não tem data exata para começar, mas a previsão inicial é de início na primavera europeia – outono brasileiro – de 2019.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar