DTM

Coluna Pisando Fundo, por Renan do Couto: O melhor ano de Rockenfeller

Mike Rockenfeller venceu em Moscou neste domingo, uma vitória convincente de um piloto que faz a melhor temporada da carreira. O campeonato está longe de ser decidido, mas já pode ficar muito bem encaminhado em duas semanas

Warm Up / RENAN DO COUTO, de São Paulo

A coluna ‘Pisando Fundo’ esteve de férias no último mês, devido à minha incursão pela Europa e sucessivas viagens às segundas-feiras, mas estou de volta ao Brasil e a este espaço para falar das categorias de turismo. Nesta semana, como não poderia deixar de ser, o enfoque fica no DTM e no passo importante que Mike Rockenfeller deu na luta pelo título do certame.

O alemão venceu, neste domingo (4), em Moscou. Uma vitória convincente de um piloto que faz a melhor temporada da carreira. Rockenfeller agora tem uma vantagem de 27 pontos para Bruno Spengler, que teve um raro fim de semana em branco. Há 11 corridas que ele não sabia o que era terminar fora da zona de pontuação.
Rockenfeller deu passo importante para lutar por título (Foto: DTM)
Restam quatro corridas no campeonato, o que é muita coisa, no DTM. 40% da temporada. Tudo o que o piloto da Audi precisa é manter a regularidade que apresentou até agora: depois de terminar em oitavo na etapa de abertura, em Hockenheim, teve como pior resultado um quinto lugar, em Norisring.

Acontece que, nos últimos anos, o DTM viu algumas viradas. Gary Paffett tinha 20 pontos de vantagem na mesma altura da temporada passada, mas perdeu para Spengler. O mesmo Spengler tinha 11 pontos na liderança em 2010 – quando a vitória ainda valia dez – e foi derrotado por Paul di Resta.

A virada de 2012 foi a mais impressionante, pois Paffett chegou a ter 42 pontos a mais que Spengler. Na reta final, contudo, a BMW cresceu muito, venceu quatro de cinco provas e faturou o título. O ótimo rendimento da montadora de Munique em Nürburgring, Oschersleben e Hockenheim, se repetido em 2013, ajudará e muito o atual campeão a recuperar terreno na luta pelo bi. No meio do caminho, tem a corrida de Zandvoort, dominada pela Audi em 2012.

Eu diria que, com mais um bom resultado, Rockenfeller poderá, enfim, começar a administrar a situação. Precisa marcar Spengler em Nürburgring, no dia 18, somar mais pontos e, então, começar a correr com a calculadora ao lado do volante.

O campeonato está longe de ser decidido, mas pode ficar muito bem encaminhado em duas semanas. Spengler não pode bobear. Diante da regularidade do adversário, tem de pensar que já saiu zerado de uma corrida vencida por Rockenfeller, e não dá para contar que o inverso acontecerá. Perder mais pontos em relação ao tedesco, em Nürburgring, permitirá a Rockenfeller colocar a mão na taça com três corridas de antecedência.

A estreia de Moscou
Circuito chato, viu. Bem que podiam mudar para o próximo ano. Estreito, muita curva seguida da outra e poucas ultrapassagens, mesmo com pneus diferentes e DRS.

Lotus do DTM
Ficou evidente, mais uma vez, em Moscou, como a Audi lida bem com os pneus Hankook, assim como a Lotus faz com os Pirelli na F1. Rockenfeller deu 54 voltas com um jogo de pneus macios, até entrar nos boxes para fazer seu primeiro pit-stop. Adrien Tambay foi ainda mais longe. Com essa tática, a montadora de Ingolstadt garantiu a vitória e quase fechou o pódio. Só não conseguiu porque, no meio do caminho, ficou Augusto Farfus.

Resultado bom dentro da pista, mas ruim para o campeonato
Augusto Farfus estava precisando reagir após uma sequência de infortúnios no DTM, e conseguiu. O brasileiro fez ótimo fim de semana, foi terceiro na classificação e na corrida e não tinha carro para bater Rockenfeller e Ekström. Só que, apesar da reação, Farfus viu as chances de conquistar o título ficarem menores, já que somou dez pontos a menos que Rockenfeller. São 46 pontos de desvantagem para quatro corridas. Situação difícil.

Outros que podem sonhar
Gary Paffett, terceiro, tem 37 pontos a menos que Rockenfeller. Christian Vietoris, quarto, 38. E Robert Wickens, sexto, 49. Se um desses conquistar um grande resultado em Nürburgring e o líder tiver problemas, aí sim poderão voltar à briga. Mas o se não pilota carro nenhum.

No Brasil
Neste fim de semana vai ter Stock Car. Ribeirão Preto, em um novo circuito de rua, em outro canto da cidade. A corrida vai passar ao vivo na TV Globo. Como a última corrida aconteceu há praticamente dois meses, é bom lembrar como está o campeonato.

Classificação
Ricardo Maurício lidera com 111 pontos, Daniel Serra tem 100 e Cacá Bueno é o terceiro com 107. Thiago Camilo está em quarto com 88 e Max Wilson, quinto, somou 64 pontos em seis corridas.

Já ganharam corridas
Ricardo Maurício, em Salvador, Daniel Serra, em Curitiba e Tarumã, Cacá Bueno, em São Paulo e Brasília, e Marcos Gomes, em Cascavel.