Zerado até chegar a Zandvoort, Félix da Costa vê triunfo como afirmação: “Nunca duvidei de que podia liderar e vencer”

O português António Félix da Costa venceu neste domingo (12) a primeira prova de sua carreira no DTM após um início não muito fácil na categoria: ele fizera somente seis pontos em 2014 e estava zerado em 2015

António Félix da Costa até conseguiu fazer uma ou outra boa apresentação desde que estreou no DTM, no início de 2014, mas também enfrentou muitas dificuldades nos primeiros 18 meses na categoria. Agora, o português espera que a primeira vitória marque uma virada e sirva como afirmação.
 
Apoiado pela Red Bull, Félix da Costa fez um ótimo campeonato na World Series e era o mais cotado para subir para a F1 em 2014. Mas, na reta final, a empresa decidiu promover Daniil Kvyat à vaga na Toro Rosso. E lá foi o gajo buscar o caminho do DTM.
 
Em 2014, foram seis pontos e a 21ª colocação no campeonato. Em 2015, ele estava zerado até largar em Zandvoort no último sábado. Foi segundo na primeira corrida da rodada dupla e, partindo da pole, venceu a prova de domingo.
Félix da Costa enfim comemora sua primeira vitória no DTM (Foto: DTM)
“As minhas brigas no meio do pelotão e as muitas corridas difíceis me tornaram um piloto de DTM melhor. Você precisa ganhar essa experiência para se tornar mais forte. Ao mesmo tempo, nunca duvidei de que podia liderar e vencer corridas se tudo desse certo. Finalmente foi o caso aqui, mantive a minha palavra e provei que posso vencer”, declarou o piloto de 23 anos ao site da BMW.
 
Félix da Costa lembrou um pouco mais de como foi este período de ambientação ao DTM. “Quando cheguei ao DTM, há um ano e meio, tudo pareceu fácil. O carro era ótimo, a BMW era muito forte, eu pude brigar ali na frente quando falaram ‘já’. Entretanto, tive alguns problemas. De repente, comecei a ter dificuldade para acertar o equilíbrio do carro, o que significou que não pude mostrar à BMW e ao DTM do que sou capaz”, lastimou.
 
“A segunda metade de 2014 foi muito difícil. No inverno, dei um grande passo à frente e analisei em detalhes a minha situação. Depois de alguns problemas para a BMW no começo da temporada, tudo se acertou aqui em Zandvoort, e estou no degrau mais alto do pódio. Estou, obviamente, muito orgulhoso disso”, completou.
Félix da Costa faz a festa em Zandvoort (Foto: DTM)
Félix da Costa saltou mais de dez posições na tabela de pontuação com os 43 pontos que marcou na Holanda e agora é o oitavo colocado. Líder, Jamie Green, da Audi, tem 81. O melhor piloto da BMW é Bruno Spengler, sexto, com 52 pontos.

O brasileiro Augusto Farfus, que ficou atrás de Félix da Costa neste domingo, foi outro que deu um enorme salto ao fazer o melhor fim de semana na temporada, marcar 30 pontos e chegar à 11ª pontuação na tabela.

 
A próxima etapa acontece nos dias 1 e 2 de agosto no Red Bull Ring, na Áustria.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube