Com Giovinazzi, Ferrari anuncia titulares dos hipercarros no WEC em 2023

Retornando ao Mundial de Endurance após 50 anos de ausência, Ferrari anunciou seus dois trios titulares para a disputa entre os hipercarros, com o ex-F1 Antonio Giovinazzi confirmado

A Ferrari se prepara para retornar à disputa do Mundial de Endurance (WEC) a partir de 2023, após 50 anos de ausência, e decidiu divulgar nesta terça-feira (10) os pilotos dos hipercarros #50 e #51, que serão utilizados pela Scuderia em sua primeira participação na categoria desde 1971. O modelo, denominado 499P, foi divulgado pelo time italiano ainda em outubro de 2022.

O carro #50, que homenageia os 50 anos desde o último envolvimento direto da Ferrari no endurance, será compartilhado por três nomes que já estavam presentes no grid do WEC em 2022, ainda que não na categoria principal — justamente a dos hipercarros. São eles: Antonio Fuoco, Miguel Molina e Nicklas Nielsen, que correram pela AF Corse no ano passado. Enquanto os dois primeiros disputaram a classe LMGTE Pro, o dinamarquês correu na LMP2.

▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Antonio Giovinazzi está confirmado como titular da Ferrari no WEC 2023 (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Por um lado, o trio de Fuoco e Molina — que ainda contava com o italiano Davide Rigon — terminou na terceira colocação na LMGTE Pro. Por outro, Nielsen não perdeu a oportunidade e conquistou o título da LMP2 junto ao francês François Perrodo e ao italiano Alessio Rovera.

No outro carro, o #51 — número que estampou alguns veículos vencedores da equipe na história —, os titulares serão Alessandro Pier Guidi, James Calado e Antonio Giovinazzi, único dos seis nomes que não participou da temporada 2022 do WEC.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Campeão da LMGTE Pro em 2022, Calado terá a oportunidade de correr com o hipercarro da Ferrari no WEC (Foto: Reprodução)

Os dois primeiros, inclusive, irão manter a numeração do ano anterior, já que competiram no AF Corse #51 ao lado do brasileiro Daniel Serra na última temporada. Os três correram na LMGTE Pro, mesma classe de Fuoco e Molina, e conquistaram o título com vitórias em Spa e Fuji.

Antonio Giovinazzi, por sua vez, teve um 2022 bem diferente dos outros pilotos anunciados. Enquanto os outros ao menos brigaram por um título em suas respectivas temporadas, o italiano terminou relegado à última posição entre os titulares da Fórmula E, sem nenhum ponto conquistado pela Dragon em 16 corridas. Após um péssimo ano na carreira, o ex-F1 tenta se reencontrar no endurance.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias do GP direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.