Toyota #7 lidera primeira hora em Le Mans. Da Costa voa com LMP2 e é 2º no geral

Em uma primeira hora complicada em razão da chuva, Mike Conway liderou na classificação geral e nos hipercarros com o Toyota #7. O grande destaque, porém, ficou com António Félix da Costa, que brilhou com o LMP2 da Jota e se colocou em segundo no geral

Fernando Alonso acelerou o Renault R.S.18, pintado com as cores da Alpine, neste sábado em Le Mans (Vídeo: WEC)

Começou a edição 2021 das 24 Horas de Le Mans. Diante de cerca de 50 mil espectadores nas arquibancadas do lendário circuito de La Sarthe, neste sábado (21), a mais importante corrida de resistência do calendário e uma das mais tradicionais do esporte a motor abriu a disputa, a primeira da era dos hipercarros, com a Toyota na frente. Mike Conway, a bordo do protótipo que largou na pole-position, liderou a primeira hora com a tripulação do carro #7. Em contrapartida, Sébastien Buemi, a bordo do Toyota #8, enfrentou problemas desde a primeira curva, quando foi tocado pelo Glickenhaus #708 guiado por Olivier Pla.

Mas quem brilhou mesmo na primeira hora foi António Félix da Costa, que se colocou em segundo na classificação geral com o LMP2 da equipe Jota, com direito até mesmo a fazer a então volta mais rápida da prova e lutar na pista e passar os hipercarros da Glickenhaus, por exemplo. Outro que mostrou bom trabalho neste início de corrida foi Nicky de Vries, novo campeão da Fórmula E, a bordo do LMP2 da equipe G-Drive.

24 HORAS DE LE MANS; CHUVA;
Largada molhada da edição 89 das 24 Horas de Le Mans (Foto: LeMans.org)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTubeGP | GP2

LEIA TAMBÉM
+24H DE LE MANS 2021: GUIA DE PILOTOS E EQUIPES – HYPERCAR
+24H DE LE MANS 2021: GUIA DE PILOTOS E EQUIPES – LMP2
+24H DE LE MANS 2021: GUIA DE PILOTOS E EQUIPES – LMGTE-PRO
+24H DE LE MANS 2021: GUIA DE PILOTOS E EQUIPES – LMGTE-AM

Saiba como foi a primeira das 24 Horas de Le Mans

Com pista molhada, a 89ª edição das 24 Horas de Le Mans começou caótica. A direção de prova adiou a largada em algumas voltas por conta das condições de pista. Quando o início de fato da prova foi confirmado, os 61 pilotos tiveram de lidar com os desafios diante do asfalto traiçoeiro. E logo no começo, um dos favoritos ficou para trás: o Toyota #8, guiado por Sébastien Buemi, que foi atingido pelo Glickenhaus #708 guiado por Olivier Pla, que também teve a dianteira do seu protótipo danificada. Pela batida, o carro foi punido em 10s, a ser cumprido no primeiro pit-stop.

Dentre os carros inscritos na classe dos hipercarros, quem também enfrentou problemas foi Nico Lapierre, da Alpine, que escapou na curva Indianápolis e perdeu muitas posições, caindo para 14º na classificação geral.

Por outro lado, Mike Conway aproveitou a pista livre à frente para abrir vantagem perante os demais concorrentes e liderava a prova com o Toyota Hypercar #7, com as Glickenhaus de Olivier Pla, com o #708, e Richard Westbrook, com o #709, em terceiro. Entre os LMP2, António Félix da Costa, que voava a bordo do protótipo da Jota, liderava na sua classe, seguido por Will Stevens, pela Panis Racing, e Nyck de Vries, novo campeão da Fórmula E, que fez a ultrapassagem sobre Robert Kubica na reta Mulsanne.

24 HORAS DE LE MANS; TOYOTA; SÉBASTIEN BUEMI;
Sébastien Buemi teve uma primeira hora complicada em Le Mans (Foto: Reprodução)

LEIA TAMBÉM
+Kobayashi derrota Hartley e coloca Toyota #7 na pole das 24 Horas de Le Mans

+Retornos, sonhos de vitórias e pódios: os seis brasileiros das 24 Horas de Le Mans
+Le Mans vai colocar hipercarros à prova e definir rumos do Mundial de Endurance
+24 Horas de Le Mans se preparam para volta do público e estreia dos hipercarros

Lapierre, sem problemas, conseguia reagir na prova e crescer no pelotão depois de superar o tráfego dos LMP2 e alcançar a oitava colocação. A jornada da Alpine no começo de prova foi um menos tortuosa na comparação com o Toyota #8 guiado por Buemi, que continuava em 18º lugar.

Com enorme performance, Félix da Costa, deixou para trás os dois hipercarros da Glickenhaus e assumiu a segunda colocação com o LMP2 da Jota, calçado com pneus intermediários. Já os carros que estavam mais atrás no grid se encaminharam para os boxes para trocar pneus e colocar compostos para pista seca.

Depois de 50 minutos de prova, a Toyota chamou o carro #7 para seu primeiro pit-stop. Também pararam para reabastecimento e troca de pneus os LMP2 da G-Drive, com Nyck de Vries, e da Jota, o #28, guiado por Sean Gelael. Desta forma, a Alpine assumiu a liderança provisória com Lapierre ao volante, seguido depois por Conway e Félix da Costa no top-3 geral. Buemi já aparecia em sétimo com o Toyota Hypercar #8 no momento em que a pista estava quase toda seca.

ANTÓNIO FÉLIX DA COSTA; JOTA; LMP2;
De LMP2, Félix da Costa passa hipercarro da Glickenhaus (Foto: Reprodução)

A Alpine fez seu pit-stop com 5 minutos para o desfecho da primeira hora de prova. Lapierre continuou no LMP1 para mais um stint depois da troca para os pneus slicks. Conway reassumiu a liderança em Le Mans, com Félix da Costa em segundo no geral e na liderança da LMP2. De Vries era o terceiro, mas não conseguiu manter a posição depois de sofrer a ultrapassagem de Buemi.

Em uma jornada que começou promissora, mas se mostrou problemática ao longo da primeira hora, o Glickenhaus #708 estava em 12º no geral e em quinto na classe dos hipercarros. Na LMP2, com 24 carros inscritos, a Risi Competizione aparecia em 11º com Oliver Jarvis, um dos companheiros de equipe de Felipe Nasr. Já nos GTs, a liderança na classe LMGTE-Pro depois de uma hora foi do Corvette #64, pilotado por Tommy Milner, seguido pela Ferrari de Miguel Molina, da AF Corse e companheiro de equipe de Daniel Serra.

Por fim, na GTE-Am, a liderança era de Nicklas Nielsen, com a Ferrari #83 da AF Corse, seguido pelo Porsche 911 RSR-19 pilotado por Julien Andlauer, da Dempsey-Proton Racing. Nicki Thiim, companheiro de equipe de Marcos Gomes no carro #98 da Aston Martin, aparecia em quinto na categoria, enquanto Felipe Fraga, responsável pela largada com o Aston Martin Vantage AMR da TF-Sport, se colocava em sétimo lugar.

APROXIMAÇÃO DE F1 E EUROPA DEIXA INDY COM ARES DE ANOS 90 | GP às 10

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar