Amigo vê Räikkönen “terrivelmente frustrado” e perto de aposentadoria da Fórmula 1

Toni Vilander, piloto consagrado no universo do endurance e pessoa muito próxima de Kimi Räikkönen entende que o compatriota não vai jogar a toalha e abandonar o grid no meio da temporada, mas acredita que a motivação do ‘Homem de Gelo’ não é a mesma, uma vez que não há perspectiva de bons resultados com a Alfa Romeo neste ano na Fórmula 1

A permanência de Kimi Räikkönen no grid da Fórmula 1 depois da temporada 2020 ainda é um enorme ponto de interrogação. Mas o finlandês, com poucas perspectivas de bons resultados com uma Alfa Romeo relegada às últimas posições do grid, está “terrivelmente frustrado” e com a motivação abalada. Quem diz é Toni Vilander, piloto consagrado no endurance e muito próximo de Räikkönen.

Segundo o também finlandês, que assim como Kimi tem 40 anos, o piloto da Alfa Romeo e último campeão do mundo com a Ferrari na F1 tem os dias contados na categoria porque, em sua visão, não faz sentido estar no grid para fazer número.

Toni Vilander vê o amigo Räikkönen “terrivelmente frustrado” no fim do grid da F1 (Foto: Alfa Romeo)

“Ele disse várias vezes que não estaria na F1 a menos que fosse algo muito importante para ele. Mas agora ele está numa situação difícil. Correr na parte de trás do grid, lutando com Latifi e Russell, isso não motiva muito Kimi”, salientou Vilander em entrevista à emissora finlandesa C More.

“Se ele lutasse por pontos e pudesse batalhar em classificações, Kimi ainda estaria muito motivado e faria o possível para seguir por mais uma temporada. Mas agora as coisas devem ser avaliadas de uma perspectiva ligeiramente diferente”, lembrou o nórdico.

“Kimi é um pássaro estranho da F1. Geralmente, os pilotos do status de Kimi se perguntam sobre a solução correta e o que os outros pensam. Mas Kimi não pensa assim de forma alguma. Ele toma a sua própria decisão. A primeira pessoa que ele consulta provavelmente é Minttu”, acrescentou o amigo de Kimi, fazendo menção à esposa do piloto da Alfa Romeo.

Entretanto, Vilander descarta a possibilidade de Räikkönen deixar a F1 no meio da temporada.

“Não, Kimi não faria isso. Ele é profissional e vai seguir o que foi combinado. Não faz parte da personalidade finlandesa jogar a toalha no ringue. Mas sei que Kimi está terrivelmente frustrado, e esse é o problema. É difícil para ele desenterrar a motivação se não houver nem mesmo um vislumbre de luz no fim do túnel”, finalizou.

Räikkönen, que tem 318 GPs disputados na Fórmula 1 e caminha para superar o recorde de mais largadas na história da categoria, que hoje pertence a Rubens Barrichello, com 323 GPs, está no seu último ano de contrato com a Alfa Romeo.

O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e em TEMPO REAL o fim de semana do GP da Espanha de F1. Siga tudo aqui.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube