Apaixonado por F1, Räikkönen reitera desejo de ficar e coloca futuro nas mãos da Ferrari: “Só depende deles”

Kimi Räikkönen se mostrou ainda apaixonado pela F1, apesar da temporada irregular que vive em 2015. Ainda assim, o desejo do finlandês é ficar por mais um ano, mas coloca na conta da Ferrari: “Depende deles”

Kimi Räikkönen ainda ama a F1 e pretende permanecer mais tempo no grid. O finlandês tem sido objeto de muitas especulações neste ano, especialmente por não ter o mesmo rendimento que Sebastian Vettel. Embora tenha a opção de renovação com o campeão de 2007, a Ferrari ainda não decidiu sobre o novo vínculo, e o chefe Maurizio Arrivabene entende que é cedo para traçar os planos para o próximo ano.

Assim como aconteceu no ano passado, quando viveu a parceria com Fernando Alonso, Räikkönen vem encontrando dificuldades para superar o companheiro Vettel. Neste momento, o nórdico está a 48 pontos do alemão na classificação do Mundial de Pilotos.

"As coisas nem sempre estão em nossas mãos", disse Kimi à emissora inglesa 'Sky Sports F1'. "Eles têm um contrato desde que assinei com eles, agora cabe a eles assinar ou não", completou. "Sempre me fazem essa mesma pergunta, mas eu realmente não tenho nada a dizer", acrescentou.

Kimi Räikkönen chega à pista de Mônaco nesta quarta (Foto: AP)

Durante o GP da Áustria, Räikkönen chegou a irritar com a imprensa, que apontou para uma redução em seu salário como condição para a renovação do vínculo. "Eu gostaria de saber quem escreveu isso. Primeiro de tudo, não tem ideia de como é meu contrato e nunca vai ter. É babaquice de quem diz isso. Continue assim. Não tem ideia do que diz meu contrato", afirmou o piloto no Red Bull Ring.

Ainda assim, Kimi reforçou que o desejo é continuar na F1. "Não estaria aqui ainda se não amasse a F1", reiterou. "Eu não preciso estar aqui, posso ir quando eu quiser, mas obviamente quero ficar. Quero fazer as coisas certas, a equipe também e, certamente, o time vai voltar a vencer no futuro. E tenho certeza que, no próximo ano, a história será diferente", acrescentou.

"Mas não é tão divertido quando você tem fins de semana como esses. Não é a primeira vez, mas espero que a última, mas as coisas dão errado muitas vezes", completouRäikkönen, citando o acidente que sofreu com Alonso ainda na primeira volta na Áustria.

E perguntando sobre a forte batida, o ferrarista admitiu que o incidente o assustou. "Certamente você fica com medo de muitas coisas na vida. Eu não penso sobre isso, mas quando algo dá errado desse jeito, você fica feliz que tudo ficou bem", disse o finlandês, que ainda fez uma comparação com as competições no rali. Nos dois anos em que esteve longe da F1, Kimi disputou o WRC e protagonizou diversos acidentes.

"Acho que, no fim das contas, o rali é mais perigoso, porque, quando você sai da pista, pode cair em um buraco ou bater em uma árvore. Na F1, você já escapa com pequenos erros, mas, no rali, isso geralmente acaba com o carro de cabeça para baixo em algum lugar. É um esporte diferente", finalizou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube