Após corrida de recuperação na Itália, Räikkönen fica sem entender problema na largada: “Fiz o que sempre faço”

Kimi Räikkönen tinha uma ótima posição de largada para este domingo (6), mas o motor quase morreu na largada. O campeão mundial, então, teve que escalar o pelotão. Foi até a quinta colocação

A melhor posição de largada desde 2009 para Kimi Räikkönen se transformou em pesadelo logo na permissão de largada do GP da Itália deste domingo (6). Para o veterano finlandês de contrato renovado, sobrou a dureza de uma corrida de recuperação. Sob o sol da Lombardia, Kimi fez uma corrida muito divertida, se recuperou e foi quinto.
 
Quando todo mundo largou, Räikkönen ficou travado no grid. O motor quase morreu, e o finlandês ficou parado. Foi o primeiro grande problema com as novas regulamentações de largada. Com todo o trabalho da classificação tendo ido embora pelo ralo, o que restou foi tentar se voltar. 
Kimi Räikkönen durante a classificação para o GP da Itália, em Monza (Foto: AP)
Com o motor Ferrari gritando, Kimi começou os trabalhos. Em cinco voltas, era o nono. Quando precisou parar nos boxes, voltou em sétimo, mas na captura de Sergio Pérez. Passou o mexicano de forma muito bonita, por fora, e ainda capitalizou o abandono de Nico Rosberg, que parou com o carro em chamas. Acabou terminando no quinto lugar.

"Eu fiz o que sempre faço, o que eu sei. Mas o motor entrou em modo 'anti-stall' e vocês viram o que aconteceu", falou logo após a corrida sobre a largada que fez. 

Segundo o chefe Maurizio Arrivabene, no entanto, Kimi "provavelmente se enrolou com os dedos". Quando a fase não é boa…

A F1 volta em duas semanas, em 20 de setembro, no GP de Cingapura. Foi Hamilton quem venceu por lá em 2014.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube