Após problema na vela, Ferrari contrata especialista em metais para departamento de controle de qualidade

A Ferrari não vai deixar barato que o campeonato tenha sido jogado fora de vez por uma peça barata. Depois do abandono de Sebastian Vettel por conta de falha na vela do motor no GP do Japão, a escuderia italiana contratou María Mendoza, que será uma das responsáveis pelo departamento de controle de qualidade em Maranello

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Após um trio de corridas asiáticas que praticamente aniquilou as chances de Sebastian Vettel conquistar o pentacampeonato mundial da F1 em 2017, a Ferrari precisou agir para evitar que novos problemas de confiabilidade apareçam nas etapas finais do campeonato. E a primeira ação foi apontar alguém especificamente para tomar conta dos componentes adquiridos pela equipe. A escolhida foi Maria Mendoza, que agora fica responsável pela controle de qualidade da Ferrari.

 
Depois da batida em Singapura e um GP da Malásia onde tanto Vettel quanto Kimi Räikkönen tiveram problemas no motor, foi uma questão na vela que forçou o alemão a abandonar ainda nas primeiras voltas no Japão. As velas de motor são componentes terceirizados e que custam apenas algumas dezenas de euros.
 
'Foi uma bobagem técnica que teve um impacto em um carro que custou milhões de euros. É um problema que nós ignoramos durante algum tempo porque nunca teve muita importância", reclamou ainda no fim de Suzuka o presidente Sergio Marchionne. "Todo mundo viu o que aconteceu. Você vê algum erro do time? O carro é bom, se não fosse pelos componentes que nos custaram", completou o chefe Maurizio Arrivabene. 
 
"Precisamos agora renovar nosso compromisso com a qualidade dos componentes que usamos na F1. Em pelo menos três ocasiões teve um impacto devastador na performance na escuderia. Vamos consertar", prometeu Marchionne.
Sebastian Vettel após o abandono no Japão (Foto: AFP)
Dias após a promessa, Marchionne resolveu remanejar Mendoza, que é especialista em metais e componentes químicos. María Mendoza já trabalhava no Grupo Fiat-Chrysler – dono da Ferrari – há cinco anos, onde comandou uma equipe de controle de qualidade composta por 25 pessoas responsável pela análise das peças vindas da Ásia para a Fiat. Agora, torna-se parte da F1.
 
Apesar dos esforços, o campeonato está quase perdido para Vettel, que tem uma desvantagem de 59 pontos para Lewis Hamilton num universo em que 100 tentos ainda estão em disputa. Hamilton não precisa sequer voltar ao pódio na temporada para confirmar o título.
’EXTRAORDINÁRIO’

DI GRASSI VÊ HAMILTON COMO UM DOS TRÊS MAIORES DA HISTÓRIA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube