F1

Button descarta blefe e acredita que Alonso retorna à F1 se McLaren voltar a ser competitiva

Ex-companheiro de McLaren, Jenson Button acha que Fernando Alonso vai voltar à F1, especialmente se a equipe inglesa retomar o caminho das vitórias nas próximas temporadas. Para o campeão de 2009, o espanhol não estava blefando quando deixou a porta aberta para um eventual retorno
Warm Up / Redação GP, de Curitiba
 Alonso e Button sobem no pódio de Interlagos: imagem virou símbolo da galhofa e de como eles souberam rir da desgraça (Foto: McLaren)
Definitivamente, Fernando Alonso vai retornar à F1 se a McLaren voltar a brigar em breve por posições no pelotão da frente. A opinião é de Jenson Button, que dividiu a equipe inglesa com o espanhol nos dois primeiros anos da parceria entre o time e a Honda. 
 
O bicampeão do mundo anunciou no início da semana passada a decisão de deixar a maior das categorias. Em sua segunda passagem pela esquadra de Woking, Alonso não conseguiu entrar na disputa por vitórias ou títulos - na verdade, devido à pouca performance do motor japonês na era das unidades de potência, nem sequer pódios estiveram ao alcance do piloto. Agora, mesmo com a mudança para os motores da Renault, a McLaren retomou o caminho do sucesso. Assim sendo, Fernando optou por procurar novos rumos na carreira. E como adiantou o GRANDE PRÊMIO, o asturiano vai defender a Harding na Indy a partir de 2019.
 
Só que Alonso também deixou uma porta aberta para um eventual retorno, se a McLaren se apresentar mais competitiva no futuro. "Eu sei que eles vão voltar fortes no futuro e aí pode ser um momento certo para estar de volta", disse Fernando em seu texto sobre a saída da F1.
 
Button, por sua vez, optou por deixar o Mundial em condições quase similares a de Alonso no fim de 2016 - tendo voltada apenas no GP de Mônaco do ano seguinte, substituindo o espanhol, que estava em Indianápolis. Jenson foi buscar novos ares no Mundial de Endurance. Mas está convencido de que Alonso vai voltar se achar mesmo um cockpit competitivo.
Alonso e Button compartilharam a McLaren entre 2015 e 2016 (Foto: McLaren)
"É sempre muito pessoal a decisão de deixar a F1. Mas ele fez uma escolha como a minha. Ou seja, saiu, mas deixou uma porta aberta. Acho que é a opção certa a se fazer. E a se a McLaren for rápida e vencer corridas, ele vai estar de volta à F1, definitivamente", afirmou o inglês.
 
"Todo piloto no mundo adoraria ter nas mãos um carro vencedor na F1. Você se aposenta, eu acho, mais porque começa a se aborrecer com tantas viagens e estresse e se os resultados também não surgem, então não há razão para ficar. Agora se o carro for rápido, tenho certeza de que ele vai querer voltar em 2020", completou.
 
Alonso, porém, contou que a decisão de sair se deu mais por conta das corridas ruins na F1 do que pelos resultados da McLaren. Só que Button tem uma opinião diferente e comparou a situação com o cenário que envolve o espanhol no Mundial de Endurance com a Toyota.
 
"Os comentários dele sobre a F1 talvez não tenham sido os melhores, especialmente quando diz que as corridas são entediantes. Quer dizer, ele está no WEC agora, onde há um domínio total da Toyota. Ou seja, a única briga é com os próprios companheiros de equipe, entendo o que eu digo?"
 
"Acho que ele não pode dizer isso, mas o compreendo. Se você está disputando a vitória, aproveita muito mais. Mas quando você já venceu vários campeonatos como ele e está agora brigando no pelotão intermediário, então tudo fica muito chato", emendou o campeão de 2009.
 
Por fim, Button elogiou o espanhol e o descreveu como o "companheiro de equipe mais difícil" que já teve, afirmando que Alonso foi um "desafio maior" do que quando dividiu a McLaren com Lewis Hamilton.
 
"Ele tem sido excepcional. Ganhou dois mundiais e ainda esteve perto de vencer outras vezes, não muitos que conseguiram isso. Foi realmente meu companheiro de equipe mais difícil, mas eu gostei", concluiu.
 
Button também está no WEC com Alonso, mas correndo pela SMP.