Sainz aproveita ataque tardio da Ferrari e lidera TL1 do GP de São Paulo de F1

Ninguém estava muito interessado em liderar o primeiro e único treino livre do GP de São Paulo, mas a Ferrari atacou no fim. Carlos Sainz liderou

Os treinos livres realizados nas semanas em que a Fórmula 1 conta com formato de corrida sprint não primam pela emoção, definitivamente. E foi assim que aconteceu o treino livre único do GP de São Paulo, nesta sexta-feira (3), em Interlagos. Sem muita gente interessada em andar rápido, Carlos Sainz foi quem ficou com a dianteira.

Com duas formações de grid pela frente, pouca gente quis utilizar pneus macios. Houve até quem, como a Red Bull, ficasse somente com os duros. Mas a Ferrari resolveu colocar os macios nos últimos cinco minutos e tomou as primeiras colocações. Sainz virou 1min11s732 e liderou, seguido por Charles Leclerc, com 0s108 de desvantagem. Leclerc fez um melhor terceiro setor, contudo.

Relacionadas


Atrás deles, George Russell, que liderou durante grande parte do treino. De pneus médios, ficou 0s133. Nico Hülkeberg foi outro a andar de macios e ficou no quarto posto. Alexander Albon, Lance Stroll, Pierre Gasly, Guanyu Zhou, Logan Sargeant e Kevin Magnussen fecharam um top-10 dominado por quem usou macios.

Fernando Alonso veio no 11º lugar e com um destaque: era um dos mais rápidos da pista de pneus duros, algo importante após duas corridas tenebrosas da Aston Martin. Max Verstappen, que também só usou os pneus mais duros, foi 17º. As posições derradeiras foram das duas McLaren, mas pouco importa. Oscar Piastri desfilava na pista de macios e partia para a liderança com uma volta perfeita da atividade quando resolveu recolher o carro antes do fim. Lando Norris também andava rápido de macios e desistiu de cronometrar o tempo. A McLaren tem bom carro.

GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades AO VIVO e EM TEMPO REAL e cobre o GP de São Paulo de Fórmula 1 ‘in loco’ com Evelyn GuimarãesGabriel CarvalhoGabriel CurtyJoão Pedro NascimentoLuana MarinoPedro Henrique Marum Rodrigo Berton. Em SEGUNDA TELA, o GP acompanha a etapa com transmissões da classificação, da sprint e da corrida. Na sexta-feira, no sábado e no domingo, o BRIEFING repercute tudo que acontece na etapa brasileira.

Carlos Sainz foi o mais veloz com a Ferrari (Foto: Ferrari)

Confira como foi o treino livre do GP de São Paulo:

O dia em São Paulo começou prometendo fortes emoções. O calor no momento do treino livre se aproximava dos 30°C, com direito ao asfalto em 44°C. A umidade era alta e o céu, fechado. A promessa era de chuva nas horas posteriores, mas ainda não durante o treino. Por fim, o vento era bastante considerável, com média acima dos 11 km/h.

Ninguém quis perder tempo quando veio a bandeira verde: carros em peso na pista. Esteban Ocon foi o primeiro a avisar que tinha problema, um parafuso solto numa das rodas. Ao menos era a impressão que tinha, mas a Alpine avisou que podia permanecer.

As voltas rápidas também começaram. Max Verstappen logo pulou para a frente com os pneus duros. É bom ressaltar que a Pirelli colocou à disposição a gama intermediária de pneus: C2, C3 e C4. A gama do México foi a mais macia, como também será o caso em Las Vegas e Abu Dhabi.

Aliás, os pneus duros eram a escolha geral para os primeiros 15 minutos de treino. Os 20 pilotos cravaram voltas com os C2, ninguém ficou preso nos boxes. Verstappen liderava, mas também informava que o assento no cockpit estava um tanto quanto solto e teria de ser ajustado quando fosse aos boxes.

Sergio Pérez aparecia na segunda colocação, somente 0s025 atrás. George Russell também aparecia no mesmo décimo, enquanto Lewis Hamilton, em quarto, já estava 0s318 afastado. Era apenas o princípio, contudo.

George Russell liderou a primeira metade do TL1 (Foto: Mercedes)

A próxima reclamação era de Logan Sargeant, que apontou “algo de errado com o visor”. O piloto da Williams, que vê a vaga para 2024 muito mais segura agora que Felipe Drugovich foi confirmado como reserva na Aston Martin para 2024, não era o último colocado, porém. A honra cabia a Kevin Magnussen, que chegou a São Paulo apenas após o fim da quinta-feira após sofrer com voo cancelado no México.

A informação do dia, em Interlagos, era a renovação contratual da Fórmula 1 com São Paulo. Se o acordo anterior ia até 2025, agora se estende até 2030.

Os problemas da Aston Martin continuavam. Enquanto fazia uma simulação de corrida, Fernando Alonso recebeu a convocação da equipe para voltar aos boxes por conta de um furo de pneu.

Apenas passando da marca dos 20 minutos de atividade é que os pneus médios começaram a aparecer. Com eles, Yuki Tsunoda se lançou ao primeiro lugar com 1min12s802. Valtteri Bottas também usou a borracha de faixa amarela, mas fez somente volta de instalação. Enquanto a coisa começava a esquentar, Verstappen retomou a dianteira por um instante, ainda de pneus duros. Mas, aí, Russell voou de médios e registrou 1min11s865. Suficiente para colocar 0s928 de frente.

Boas notícias finalmente na Aston Martin? Alonso andou bem veloz de duros e superou o melhor tempo de Verstappen.

A marca de 30 minutos apontava Russell na frente de Alonso, Verstappen, Tsunoda, Pérez, Hamilton, Lando Norris, Charles Leclerc, Nico Hülkenberg, Carlos Sainz.

Durante a transmissão da TV inglesa, o chefe da Haas, Guenther Steiner, apareceu falando sobre a previsão para os pneus e que dificilmente haveria uso dos pneus macios na corrida.

De qualquer maneira, a ação continuava na pista. Magnussen colocava pneus macios e virava o terceiro tempo, ao passo que o companheiro dele, Nico Hülkenberg, aparentou distração e, mais lento na pista, virou o carro sem se alertar para o fato de que um mais rápido Norris passava por ele. O toque foi inevitável, mas nada drástico e ambos seguiram em frente.

Hülkenberg, bom que se dissesse, preparava para abrir a volta rápida, algo que fez na sequência com os pneus macios. E pulou para a segunda colocação geral, além de ser 0s7 melhor que Magnussen.

Preocupação na Alfa Romeo. Com Bottas dentro do cockpit, os mecânicos se multiplicavam para averiguar o bólido. O companheiro Guanyu Zhou já tinha volta rápida de médios, algo que Valtteri não fizera. O uso de pneus duros ainda controlava, com os médios aparecendo de vez em quando. Macios, só a Haas.

Sargeant mostrava dificuldades sérias para completar o ‘S’ do Senna e saía do trilho principal ou da pista mais de uma vez. “O que está acontecendo? O carro saiu do chão”, questionou. “Algo está errado com a região dianteira direita”, disse depois. De fato, a imagem corraborou: a parte da qual reclamava, saía do chão sozinha.

Se Sargeant sofria e reclamava do carro, Alexander Albon colocava pneus macios e pulava para a terceira posição. Atrás de Hülkenberg, portanto.

O pequeno uso de pneus macios tinha explicação: o fato do fim de semana, com semana sprint, contar com duas classificações. Mas a McLaren colocou os macios em Oscar Piastri, que foi o mais rápido da pista nos dois primeiros setores e parecia caminhar para a liderança. Mas desistiu no fim e entrou nos boxes. De médios, Norris também fez o melhor segundo setor e recolheu.

E problemas na Haas: Hülkenberg avisou que o carro perdeu potência e resolveu guardar o carro. No mais, um ataque da Ferrari nos cinco minutos finais: Carlos Sainz virou 1min11s732 e tomou a liderança com os pneus macios; Charles Leclerc, em seguida, fez o melhor terceiro setor, mas a volta ficou 0s1 acima. Sainz, portanto, na liderança.

Com o cronômetro zerado, reclamação de Pierre Gasly: o francês sentiu ter sido bloqueado justamente pelo companheiro de equipe Esteban Ocon. Mas foi só isso.

F1 2023, GP de São Paulo, Interlagos, TL1:

1C SAINZFerrari1:11.732 30
2C LECLERCFerrari1:11.840+0.10831
3G RUSSELLMercedes1:11.865+0.13330
4N HÜLKENBERGHaas Ferrari1:11.928+0.19619
5A ALBONWilliams Mercedes1:12.044+0.31227
6L STROLLAston Martin Mercedes1:12.136+0.40426
7P GASLYAlpine1:12.184+0.45231
8G ZHOUAlfa Romeo Ferrari1:12.481+0.74927
9L SARGEANTWilliams Mercedes1:12.579+0.84730
10K MAGNUSSENHaas Ferrari1:12.592+0.86024
11L HAMILTONMercedes1:12.615+0.88328
11F ALONSOAston Martin Mercedes1:12.638+0.90630
13Y TSUNODAAlphaTauri Honda1:12.714+0.98229
14D RICCIARDOAlphaTauri Honda1:12.778+1.04627
15E OCONAlpine1:12.779+1.04729
16M VERSTAPPENRed Bull Honda1:12.793+1.06129
17V BOTTASAlfa Romeo Ferrari1:13.012+1.28031
18S PÉREZRed Bull Honda1:13.056+1.32430
19L NORRISMcLaren Mercedes1:13.629+1.89725
20O PIASTRIMcLaren Mercedes1:13.838+2.10628

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

CHEGA DE ASSÉDIO! O que a F1 pode fazer para EVITAR | WGP
Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.